‘Eduardo Cunha é um picolé lambido por todos’, comenta Arnaldo Jabor

Leia abaixo a íntegra do comentário de Arnaldo Jabor:

O desastre econômico do PT no governo é tal que o programa do PSDB está sendo plagiado. “Somos todos tucanos”,  dizem os partidos. O PMDB roubou o programa do PSDB, com tudo que os social-democratas pleiteiam.

O Planalto abriga o pobre tucaninho Levy. Será uma vitória para o Planalto se der certo ou o neoliberal culpado se não der. Até o Lula tucanou, protegeu um pouquinho o Levy e fez uma confissão, dizendo: “Erramos ao dizer uma coisa antes e fazer o oposto depois”.

O que é isso? É a desorientação de impotentes, diante da paralisia do pais, que está nas mãos de um homem só. Eduardo Cunha é um sorvete, um picolé lambido por todos. Ele tem a chave da crise na mão.O PT puxa-lhe o saco para evitar o impeachment, a oposição puxa-lhe o saco para haver o impeachment.

E ele fica no se…se…”se o Planalto me proteger contra a cassação, eu rejeito o pedido de impeachment”…se não…e na puxação de saco, os tucanos estao unidinhos ao PT. Ambos evitam falar em cassação de Cunha, com o mesmo discurso: “Não podemos prejulgar…enquanto não houver provas”.

É fascinante. Há extratos bancários na Suíça, assinaturas em cheques, passaportes, número de contas. Essas não são provas? É isso…o destino do Brasil está nas mãos de um homem só, que usa nosso futuro para seus interesses pessoais. “Se o brasil me cassar, eu casso o Brasil”.  Isso não é mais crise, é um pesadelo humorístico.