Home / Notícias / Brasil / Mais 10 mandados de prisão são cumpridos em Pontes e Lacerda

Mais 10 mandados de prisão são cumpridos em Pontes e Lacerda

_DSC8109A Polícia Federal cumpre, nesta quarta-feira (18), dez mandados de prisão temporária dos líderes dos garimpeiros, identificados durante a desapropriação na última semana, que ainda resistem à determinação judicial de desocupação do garimpo. Eles estavam atuando na Serra do Caldeirão, local de exploração ilegal de minério, localizada a 20 quilômetros de Pontes e Lacerda (457 km de Cuiabá). Batizada de operação ‘Reco’, a ação tem o apoio da Polícia Militar.

Após desocupar o garimpo e implodir as galerias na Serra do Caldeirão, os serviços de inteligência da Polícia Federal, Polícia Militar e Polícia Rodoviária Federal identificaram algumas lideranças que fomentavam os garimpeiros à prática de ações de perturbação da ordem em Pontes e Lacerda.

Dentre as ações ilegais dos garimpeiros, estava o fechamento da BR-174, importante rodovia federal de interligação das cidades situadas na faixa de fronteira, tendo sido posteriormente desocupada mediante intervenção das forças policiais. Conforme a Polícia Federal, houve radicalismo por parte dos ocupantes da via.

Os garimpeiros impediram a entrada e saída da cidade de ambulâncias com pacientes em estado grave de saúde, estudantes que se dirigiam para a faculdade, presos e alimentos encaminhados ao sistema prisional. As atitudes teriam sido fomentadas por pessoas que atuavam como lideranças.

Por conta disto, a Polícia Federal instaurou inquérito policial para apurar tais fatos e promover a responsabilização criminal dos principais envolvidos. Ao todo, os policiais cumprem dez mandados de prisão temporária dos líderes identificados e quatro mandados de busca e apreensão, todos expedidos pela Justiça Federal de Cáceres (MT).

Os líderes do movimento devem responder pelos seguintes crimes: constrangimento ilegal (art. 146 do CP), ameaça (art. 147 CP), atentado contra outro meio de transporte (art. 262, art. 263 e art. 264 do CP), incitação ao crime (art. 286 do CP), apologia de crime ou criminoso (art. 287) e associação criminosa (art. 288 do CP).

Operação Reco

A operação policial recebeu o nome de “RECO” fazendo uma analogia à denominação dada pelos garimpeiros à terra que era descartada pelos principais donos de “buracos” a terceiras pessoas que se aventuravam na procura de encontrar algum ouro no material descartado.

 

Fonte: Olha Direto