Home / Notícias / Religião / Estudos de Provérbios / Provérbios 21:25 – O desejo do preguiçoso o mata, porque as suas mãos recusam-se a trabalhar

Provérbios 21:25 – O desejo do preguiçoso o mata, porque as suas mãos recusam-se a trabalhar

estudo de provérbio deus

O que é pior do que ser preguiçoso? É ser preguiçoso e desejar coisas! Que espada de dois gumes! A combinação de gostar de coisas boas, mas odiar o trabalho é fatal. Isto mata o homem preguiçoso.

Quão frustrante é ver propagandas de coisas, mas amar o dormir, o laser e a internet tanto ao ponto de recusar o trabalho necessário. É por causa disso é que você não tem nada (Pv 13:4). Isto é uma morte justa!

Quão frustrante é assistir à ascensão do diligente subindo na escada corporativa ou prosperando nos negócios, mas ser tão consumido pela preguiça que não pode nem imaginar um meio de progredir (Ec 10:15).

Este provérbio está intimamente ligado com o seguinte, “Todo o dia avidamente cobiça, mas o justo dá e nada retém.” (Pv 21:26). A morte que os preguiçosos experimentam é a perda da sua paz pelos desejos gananciosos e avarentos enquanto odeiam trabalhar.

Quão espertos são os preguiçosos? Eles são tolos. Desejam os confortos e os prazeres que os outros desfrutam, mas recusam trabalhar para obtê-los. Eles são perversos. A combinação de ganância com a preguiça é insanidade – pois eles se opõem e levam o preguiçoso à loucura.

A preguiça é um grande problema? É. Salomão é quase redundante com os seus numerosos avisos (Pv 6:6-11; 10:4,26; 12:24,27; 13:4; 15:19; 18:9; 19:15,24; 20:4; 22:13; 24:30-34; 26:13-16). Examine-se a si mesmo, leitor. O que você deveria estar fazendo hoje que você “empurrou com a barriga”?

Diligência nos negócios é parte do verdadeiro cristianismo (Rm 12:11). Que característica elevará um homem de uma posição mediana à de excepcional? A diligência (Pv 22:29). O que é, de longe, a característica mais dominante da mulher virtuosa – da mulher perfeita? A diligência (Pv 31:10-31).

É tolice e pecaminoso confortar, discutir, ou alimentar um preguiçoso. Se você confortá-lo, estará dando honra a um tolo (Pv 19:10; 26:1,8). Se você der ouvidos ao tolo, você confunde a sua própria honra (Pv 26:4,13-16). Se você o alimentar, você sustenta a preguiça dele (Pv 20:4; IITs 3:10).

O que os Estados Unidos faz para os preguiçosos? Comete todos os pecados acima condenados pela Bíblia. Qual é o resultado? A presunção arrogante de direitos, um aumento diário de tais sanguessugas, e as despesas explosivas com aqueles que trabalhariam se fosse cortada a comida (Pv 16:26)!

Raramente tantos fizeram tão pouco e exigiram tão mais. Raramente tão poucos trabalharam tanto, para pagar tanto mais, para receberem tão pouco. Raramente um governo puniu tão severamente os trabalhadores com a taxação e a inflação e recompensou os preguiçosos tão generosamente por subsídios e bem estar social.

A preguiça agora atravessa as linhas raciais, etárias e sexuais. Distinções culturais e nacionais são menos óbvias (Tt 1:12). Estudantes exigem que o governo pague seus estudos, ao mesmo tempo faltam pagar as prestações de generosos empréstimos estudantis. Eles discutem e brigam por seus direitos, mas nunca consideram as suas responsabilidades. A preguiça mata a consciência, o caráter, a comunidade e o bom senso.

Na América pode haver Moisés, os Dez Mandamentos, ou a Bíblia em locais bem visíveis, mas não há conhecimento ou uso dos mesmos, mesmo numa questão tão simples como – não existem refeições grátis, e aqueles que não trabalham não deveriam comer (IITs 3:10). Isto não é ciência complicada; isto é economia básica. Qualquer pessoa que questiona isto é um tolo (Pv 26:12,16).

Qual é a lição? Evite e condene preguiçosos. Eles destruirão os seus negócios se você os contratar; destroem a sua reputação, se você der uma referência a respeito deles; e destroem a sua posição diante de Deus, se você confortar, ou argumentar, ou der de comer a eles. Deixe-os com fome até trabalharem antes que eles matem a si mesmos com cobiçosa ganância! Veja a si mesmo como o salvador deles! Pegue uma porcentagem da receita!

Qual é a lição? Não seja um preguiçoso, ou você merecerá ser punido. Você tem iniciativa como a formiga (Pv 6:6-11)? Você está subindo como o creme no leite (Pv 22:29)? O seu negócio está indo de vento-em-popa (Pv 24:30-34)? Você está preparado para mudanças (Pv 27:23-27)? Você tem mais do que necessita de forma que possa doar generosamente (Pv 21:26; Ef 4:28)?

Qual é a lição? Ensine seus filhos e outras pessoas sob a sua influência a ser diligente, pois isto é piedoso e justo. Tarefas para as crianças, o que já foi uma lei natural, agora soam como abusivos. Se as crianças não ajudam com os deveres da casa, eles não devem recebem privilégios da cozinha. Eles aprenderão rapidamente. Se você tem um negócio, dispense o preguiçoso, e dê bonificações para os diligentes.

Qual é a lição maior? A maioria deseja o céu, mas poucos trabalham para merecê-lo. Suas almas recusam trabalhar pelo alimento que dura para a vida eterna (Jo 6:27). Eles querem o portão largo e o caminho espaçoso (Mt 7:13-14). Eles querem dormir e se embriagar como o resto do mundo (ITs 5:6-7). Eles não tolerarão a sã doutrina (IITm 4:3-4).

Os espiritualmente diligentes empregam a força para entrar no reino (Mt 11:12; Lc 16:16). Eles se esforçam para entrar pelo portão estreito (Lc 13:24). Eles dão toda a diligência para garantirem os seus chamados e eleições (IIPe 1:5-11). A fé deles funciona, eles amam o trabalho, e as suas esperanças estão no Senhor Jesus Cristo (ITs 1:2-4; Tg 2:14-26). Deus jamais se esquece do trabalho de amor (Hb 6:10).

Notáveis cristãos são diligentes com as coisas celestiais e os da terra, nessa ordem, com uma clara prioridade, e eles não negligenciam seus deveres de negócios. Eles são exemplos diante de Deus e dos homens. Eles seguem o Senhor e o Mestre deles, que diz, “Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar.” (Jo 9:4).