Rondônia - 23 de Abril de 2018
Home / Notícias / Opinião / Artigos / Como funciona a amortização do financiamento imobiliário

Como funciona a amortização do financiamento imobiliário

Imagem meramente ilustrativa
Imagem meramente ilustrativa

Artigo, Por Sophia Parente – O financiamento imobiliário é um dos principais meios disponíveis para os brasileiros realizarem o sonho da casa própria. Como adquirir um imóvel representa um volumoso gasto financeiro, o financiamento permite tomar dinheiro emprestado de uma instituição financeira e pagar essa dívida em um prazo longo – geralmente, de 20 a 35 anos.

Uma das grandes questões envolvendo o financiamento imobiliário é que, na prática, você não estará tomando emprestado apenas o dinheiro necessário para adquirir o seu imóvel. As parcelas de um financiamento englobam, também, os juros (quanto a instituição financeira cobra para lhe emprestar o dinheiro) e encargos (taxas operacionais, seguros e demais serviços adicionais inerentes ao contrato).

Apesar de o financiamento permitir a realização do sonho da casa própria, é evidente que permanecer 20 ou 30 anos pagando parcelas não é o sonho de ninguém. Aí é que entra a amortização do financiamento imobiliário, um mecanismo que permite a redução do saldo devedor e uma quitação mais rápida do financiamento.

O saldo devedor do financiamento imobiliário

Antes de entender o funcionamento dos sistemas de amortização de financiamento imobiliário, é importante compreender o que você estará amortizando.

Suponhamos que você tenha adquirido um imóvel de 500 mil reais, dando 100 mil reais de entrada e financiando 400 mil. Este último valor é o seu saldo devedor. O valor referente a juros e demais encargos bancários não integra o seu saldo devedor.

Ao amortizar o financiamento imobiliário, você estará antecipando o pagamento do seu saldo devedor e reduzindo o prazo do seu financiamento. Significa que você pagará as parcelas por menos tempo e quitará o empréstimo mais rapidamente.

Os sistemas de amortização de financiamento imobiliário

Basicamente, existem dois sistemas de amortização de financiamento imobiliário. Cada um possui suas próprias características, vantagens e desvantagens. O melhor sistema de amortização dependerá de quanto do seu orçamento mensal pode ser comprometido com as parcelas e em quanto tempo você deseja quitar o seu financiamento.

Os dois principais sistemas de amortização de financiamento imobiliário são:

  • Tabela SAC (Sistema de Amortização Constante): nesse sistema, a amortização mensal é constante. Entretanto, as primeiras parcelas incluem um valor maior de juros, enquanto as parcelas finais ficam menores, já que você estará amortizando apenas o saldo devedor principal. No sistema da Tabela SAC, as parcelas do financiamento imobiliário vão diminuindo com o tempo.
  • Tabela Price: no sistema Tabela Price, as parcelas são fixas durante todo o prazo do financiamento imobiliário. A principal vantagem desse sistema é que as parcelas iniciais são menores do que na Tabela SAC; entretanto, um financiamento imobiliário pela Tabela Price pode representar, em média, um acréscimo de 10% no valor total do financiamento.

Se você pode suportar parcelas maiores no início do financiamento imobiliário e quer pagar menos no final do empréstimo, o ideal é utilizar a Tabela SAC. Se, por outro lado, você prefere pagar parcelas iniciais mais baixas e manter um valor constante de parcelas ao longo do financiamento (mesmo que isso represente um custo final maior), a Tabela Price é o sistema de amortização de financiamento imobiliário mais indicado.

Caso o momento financeiro esteja difícil e você deseje captar recursos monetários, uma boa opção pode ser refinanciar o seu imóvel. Leia este artigo do BlogSiteImóvel sobre refinanciamento de imóvel e entenda todos os detalhes dessa modalidade de empréstimo!

noticias doidas