Rondônia - 23 de outubro de 2018
Home / Notícias / Famosos e Variedades / Williams precisa de “avanço triplo” para alcançar rivais, diz Massa

Williams precisa de “avanço triplo” para alcançar rivais, diz Massa

massa-1024x651

O brasileiro Felipe Massa acredita que a Williams precisa lograr um “avanço triplo” durante a pré-temporada, a ser realizada no inverno europeu, se quiser alcançar os desempenhos das rivais Mercedes e Ferrari. A equipe de Grove assegurou o terceiro lugar no Mundial de Construtores no GP Brasil, disputado no último dia 15.

“Claro que nós queremos sempre mais. Eu esperava, talvez, lutar pelo segundo lugar do campeonato de construtores e isso não foi possível”, disse o piloto de 34 anos. “A Ferrari foi um pouco mais rápida, eles conseguiram grandes melhorias em comparação com as outras equipes, com exceção da Mercedes, que estão muito à frente”, explicou o vice-campeão mundial de 2008, analisando a temporada da Williams neste ano como satisfatória.

“Fizemos uma boa temporada ao terminar o campeonato em terceiro, mas eu lembro que no ano passado nós comemoramos muito por terminarmos na terceira posição. Agora estamos em terceiro com uma boa diferença, então eu acho que foi definitivamente uma boa temporada”, avaliou o paulista.

Após 18 etapas, a Williams atingiu quatro pódios, divididos entre Massa e Bottas, e 253 pontos, 75 a mais que a quarta colocada, a Red Bull, que em 2014 foi a vice-campeã entre os construtores, mas que neste ano sofreu por conta da falta de potência dos motores Renault.

“Mas queremos mais e estamos trabalhando duro para ver se conseguimos um avanço triplo para o ano que vem, que é a única maneira de alcançar os caras que estão à frente”, avisou o sexto colocado do campeonato de 2015.

Possibilidade de uma F1 mais competitiva em 2017

Além da expectativa por um progresso no ano que vem, Massa crê que o renovado regulamento para 2017 – com carros possivelmente cinco segundos por volta mais rápidos – possa oferecer à Williams uma grande oportunidade para se tornar mais competitiva.

“Eu acho que a mudança no regulamento será uma grande oportunidade para todos. Evoluímos muito quando nós tivemos a última mudança nas regras, então talvez sim (podemos fazê-lo novamente). Mas é muito cedo para dizer isso. Precisamos de mais tempo, precisamos entender o regulamento em primeiro lugar e ver o que está funcionando para cada equipe”, encerrou o brasileiro.

Fonte: Gazeta Esportiva