Rondônia - 24 de Maio de 2018
Home / Notícias / Religião / Estudos de Provérbios / Provérbios 24:24 – O que disser ao ímpio: Justo és, os povos o amaldiçoarão, as nações o detestarão

Provérbios 24:24 – O que disser ao ímpio: Justo és, os povos o amaldiçoarão, as nações o detestarão

estudo de provérbio deus

A preguiça traz consigo uma consequência certa. Você não pode evitá-la. Assim, ao viajar, você certamente chegará ao seu destino e como um homem armado pode derrotar um desarmado, a pobreza o levará para o fundo do poço. É uma mentira pensar que em não se fazendo alguma determinada coisa hoje, isto não terá dolorosas consequências.

Você não pode impedir a pobreza se você não trabalhar duro. Ela certamente está a caminho. A questão não é se ela virá, mas quando virá. Você está descendo a ladeira – este é o juízo da ciência econômica e da perfeita punição celestial. Porque Deus sabia que você poderia duvidar ou se ressentir deste fato líquido e certo, Ele inspirou Salomão a escrever isto duas vezes (Pv 6:11).

Salomão sabia que o caráter de um homem trabalhador pode se fazer conhecido pela condição do seu negócio (Pv 24:30-34). Se não estivesse em perfeita condição, ele sabia que o homem dormia demais. Considerando que você não tem campos ou vinhedos, meça a sua receita. Uma rápida regra básica diz que um homem deve ganhar anualmente R$ 1,5 a R$ 2,0 mil por cada ano de idade, refletindo como os outros valorizam os seus esforços.

Verdadeiros cristãos dão um duro no trabalho (Rm 12:11; ICo 15:10). A diligência ajuda os homens a progredirem (Pv 22:29; Ec 9:10), e ela identifica uma mulher virtuosa (Pv 31:10-31). Só tais homens e mulheres, que trabalham no duro, merecem a honra e as riquezas que procedem da diligência (Pv 10:4; 12:24).

A característica oposta do preguiçoso identifica os homens e as mulheres que deveriam ser lançados fora das igrejas de Cristo depois de lhes serem negadas o alimento (IITs 3:6-15). “Mas, se alguém não obedecer à nossa palavra por esta carta, notai o tal e não vos mistureis com ele, para que se envergonhe. Todavia, não o tenhais como inimigo, mas admoestai-o como irmão.” Se você pensa que isso é severo demais, você não conhece a Bíblia nem o incentivo apropriado a ser aplicado (Pv 20:4; 16:26).

No plano de Deus para os homens os ricos ficam mais ricos e os pobres mais pobres (Mt 25:29). Mentes socialistas numa geração efeminada ressentem isto, mas isto é realidade por causa do esforço dispendido pelas duas categorias. Deus recompensa o diligente e pune o preguiçoso. Isto faz sentido perfeitamente para uma mente justa, e você deveria abençoar o Deus celestial e amar a Sua Bíblia.

É claro, se você dormir até mais tarde alguma manhã, você não verá nenhuma grande consequência, mas tal escolha torna-se muito mais fácil dormir até mais tarde no dia seguinte! Se você falta ao trabalho um dia porque não está se sentindo muito bem (a não ser que esteja doente comprovado com atestado médico), você provavelmente é preguiçoso. Todo mundo tem dores e sofrimentos, e muitos os tem mais do que você, mas trabalham!

Você deve observar que aqueles que são os mais ocupados realizam mais e se oferecem para fazer mais. É impressionante! Aqueles que não têm nada p´ra fazer, efetivamente, não fazem nada e raramente se oferecem a fazer algo. Eles querem que aqueles que trabalham o tempo todo não só os alimentem, mas façam as outras tarefas que surgem. O diligente faz mais e o preguiçoso faz menos. Incrível!

O quanto você crê na palavra de Deus? Aqui temos sabedoria. Alguns pais e governos pretendem derrubar esta regra de provérbios sustentando crianças ou cidadãos preguiçosos. Você pode chamar isto de mesada, assistência social, incapacidade, auxílio desemprego ou outros nomes. A intenção é a mesma – Deus e Salomão na Bíblia são duros demais; portanto, vamos taxar os trabalhadores e alimentar os dorminhocos.

A palavra de Deus é verdadeira. A pobreza virá para as sanguessugas que aceitam doações sem haver necessidade premente. A pobreza também virá para as nações que legislam tais doações, como a América e a Europa em 2013. A regra é certa: isto derrubará os preguiçosos e os seus governos, a não ser que o trabalho duro é estimulado, recompensando os diligentes e matando de fome os preguiçosos.

A lição do provérbio é a certeza da pobreza para aqueles que não trabalham no duro. Isto é a lei de Deus. Salomão enxergou isto e avisou diversas vezes (Pv 6:6-11; 19:15; 20:13; 24:30-34). Não engane a si mesmo pensando que vai escapar levando a vida na moleza e trabalhando menos do que os outros. Arrependa-se. Levante. Comece a trabalhar duro agora em algo necessário.

Existe outra forma de pobreza pior do que a financeira – a pobreza espiritual. Ela também é o resultado certo da preguiça. Você não consegue evitá-la. Aqueles que faltam aos cultos da igreja ou outras obrigações porque estão cansados são membros de igreja lastimáveis. O valor e a produtividade no reino do céu somam muito pouco, quando poderiam representar muito.

Ma outra certeza aguarda os fiéis, que anos após anos buscam primeiramente o reino de Deus e trabalham diligentemente para servir a Ele e a outros de qualquer maneira que puderem – eles enriquecem com o aperfeiçoamento do discernimento espiritual e maior força para uma vida vitoriosa (Lc 8:18; 16:10-12; 19:11-27). Eles produzem frutos ate a velhice (Sl 92:12-14).