Rondônia - 17 de julho de 2018
Home / Notícias / destaque / A Argentina volta para as mãos do capitalismo

A Argentina volta para as mãos do capitalismo

argentina mudaColuna Opinião de Primeira, Por Sérgio Pires – O populismo exacerbado e demagógico, o ranço contra qualquer pensamento que não coadune com quem está mandando (isso conhecemos muito bem. aqui nas bandas brasileiras), encerrou um ciclo de 12 anos na Argentina. O Estado voltado aos amigos; os cofres públicos geridos pela ideologia; a preocupação em jogar uma parte  da população contra  outra, foi extirpado pelas urnas de um dos nossos vizinhos, com a eleição do novo Presidente, o empresário  Maurício Macri. O adeus à Cristina Kirschner  e seus discursos vazios; a um governo que  ameaçava que, se não elegesse seu sucessor, os pobres sofreriam, perdendo todos os benefícios que conquistaram, foi melancólico. Os argentinos, em sua maioria, arrependidos por terem dado um segundo mandato à mulher dos discursos confusos (qualquer semelhança em ambos os casos – segundo mandato e discursos confusos –  não é mera coincidência!), colocou agora no comando do país um capitalista, que quer ver o país crescendo pelo trabalho e pela produção e não apenas com um sistema econômico confuso, com programas sociais sem fim, que endividaram o país e o deixaram numa situação caótica (Ops! Não é mais uma grande coincidência?)

Há muitas semelhanças com os governos de esquerda da América Latina. Todos, sem exceção, deixaram claro que funcionam até determinado ponto, baseados em grandes programas sociais, mas  partir dali, quando a exploração dos bens do Estado para beneficiar quem não produz e, principalmente, para dar espaço à “cumpanheirada”  (na vizinhança isso também abunda!),   a coisa começa a dar errado. A Argentina acordou 12 anos depois. Em 6 e dezembro, haverá eleições na Venezuel. Se elas forem limpas,  a tendência é que o povo se livre do aprendiz de ditador  Nicolás Maduro. Pode estar começando o efeito dominó.  Quem será o próximo?

 

TROCA DE SECRETÁRIOS

Mudança importantes no governo Confúcio Moura à vista. Entre esta quarta e o final de semana, o governo anuncia trocas no primeiro escalão. Nesse primeiro momento, três nomes serão substituídos. O primeiro que saiu da administração é o coronel Lioberto Ubirajara Caetano de Souza, que ficou apenas nove meses à frente do DER. Entra no lugar dele o ex deputado Ezequiel Neiva, que já foi subchefe da Casa Civil e é primeiro suplente do PMDB na Assembleia Legislativa. Ele já foi comunicado da mudança. Outros dois nomes, de áreas consideradas estratégicas no governo, também devem sair, provavelmente ainda nesta quarta. Até há pouco, não havia confirmação de quem seriam os outros substituídos e nem quem vai assumir.

 

GRANA NO BOLSO

Quarta-feira festiva para os milhares de servidores públicos do Estado. Começa hoje o pagamento do mês de novembro. Para dezembro, os valores do salário do mês e do 13° também estão garantidos e serão pagos antes do Natal, provavelmente. Enquanto a maioria dos Estados brasileiros não tem a mínima ideia de como terminará o ano, neste quesito estamos, por estas terras de Rondon, nadando de braçada. O mérito deve ser dado a quem merece: Confúcio Moura preparou seu governo, apertou cintos, mudou, mexeu e remexeu e chega ao fim de 2015, mesmo com toda a crise, pagando o  funcionalismo dentro do mês trabalhado. Merece elogios, sim!

 

SERÁ QUE AGORA VAI?

Vamos ver por quanto tempo! A Justiça Federal liberou as obras do trecho central da BR 319, algo em torno de 400 quilômetros da rodovia, desde Porto Velho até Manaus, que estavam interditadas por outra decisão que atendia exigências do Ibama.  A pressão contra a rodovia é cada vez maior. Enquanto a grande maioria dos amazônidas é prejudicada com  falta de ligação por terra entre as duas capitais, uma  minoria – representada pelos ambientalistas internacionais que mandam no Ibama e por empresas proprietárias de balsas – é quem tem conseguido impedir que a 319 seja finalmente concluída.  São quase 40 nos e espera. Terá chegado ao fim?

 

BRUTALIDADE NA LCP

A violência que assola Rondônia, principalmente onde atuam grupos de sem térrea  (onde os verdadeiros colonos são muito poucos), continua fazendo vítimas. Nesta semana, dois líderes da famosa Liga cós Camponeses Pobres (LCP), aquele onde nem a polícia tem coragem de entrar nos acampamentos, foram brutalmente assassinados. Terezinha Meciano, de 57 anos, considerada uma das  principais cabeças do grupo, foi morta com vários tiros de espingarda e ainda com requintes de crueldade, pois levou várias machadadas. Seu namorado, Anderson André Santos, de 33 anosa, foi morto da mesma forma, junto com a mulher.  Não há pistas ainda dos criminosos. Um terror!

 

DESMORALIZOU

Não se fazem mais terroristas como antes! Uma mulher que fazia parte do grupo do Estado Islâmico que atacou Paris, cometeu suicídio, explodindo uma bomba que levava em  volta do corpo, ao ser descoberta pela polícia. A vida pregressa dela, levantada pelas autoridades, nada tem a ver com as crenças islâmicas. A mulher era sim uma dama da farra. Vivia bêbada, fumava desbragadamente e, mais que tudo, tinha vários parceiros sexuais. Desmoralizou as crenças jihadistas!

 

PERGUNTINHA

Será que o povo vai continuar chamando o novo Tudo Aqui de Shopping Cidadão, como chama o Palácio Rio Madeira de CPA?

Leia o Blog:   www.opiniaodeprimeira.com.br