Rondônia - 20 de outubro de 2018
Home / Notícias / Religião / Estudos de Provérbios / Provérbios 30:18 – Há três coisas que me maravilham, e a quarta não a conheço

Provérbios 30:18 – Há três coisas que me maravilham, e a quarta não a conheço

Medite sabiamente em quatro mistérios. Longe de uma compreensão total, eles estimulam a mente a considerar o Criador responsável pelas suas propriedades individuais. Além da habilidade humana de entender completamente ou capacidade para duplicar, eles humilham a mente de forma a admitir a grande necessidade de sabedoria.

O inspirado profeta Agur usou conjuntos de quatro coisas para ensinar a Itiel e a Ucal (Pv 30:1). O homem não consegue explicá-los, muito menos duplicá-los e, por isso, deve humildemente admirá-los.

Deveria um professor admitir ignorância? Agur já havia feito isto antes e repete-o agora (Pv 30:2-4). Se o objetivo é o de glorificar a sabedoria de Deus ou provocar considerações, é uma boa técnica de instrução. O objetivo aqui de Agur é a de exaltar estas quatro coisas pelas suas propriedades misteriosas.

Qual é a lição a ser extraída? É a quarta coisa maravilhosa – o caminho do homem com uma jovem. As outras três maravilhas da natureza conduzem à quarta. A glória e o poder do amor jovem entre um homem e a mulher da sua juventude são incomparavelmente preciosos! Para obter mais detalhes daquela quarta coisa e sua aplicação prática, veja os comentários de Provérbios 30:19.

O caminho da águia no ar é gloriosamente misterioso. Flutuando e planando em correntes de ar ascendentes, a águia pode planar e circular majestosamente com quase nenhum movimento de suas asas de 2,3 metros (aprox.). Mergulhando em direção à terra para pegar suas vítimas incautas no ar, na terra ou nas águas, ele pode exceder a velocidade de 185 km/h! O namoro da águia inclui demonstrações aéreas espetaculares na qual elas agarram um pé ao outro lá nas alturas e despencam em direção à terra, girando com suas asas e pés estendidos. Quem pode compreender seu sábio propósito?

O caminho da serpente sobre uma rocha é, da mesma forma, impressionante. A cobra não tem braços, pernas ou pés! Deslizando e contorcendo através da grama ou da areia é uma coisa, mesmo assim uma cena espetacular, mas o que dizer de uma rocha lisa! Onde ela encontra uma alavancagem? De que forma ela se move para frente e para cima em uma superfície lisa sem mãos ou pés? Irritada ou assustada, ela se move rápida e diretamente se afastando de um inimigo. Ela não usa cavidades para os dedos e não deixa rastros, mas se move eficientemente. Quem pode compreender seu sábio propósito?

O caminho de um barco no meio do mar também é notável. Um barco a vela não tem asa, remos, ou outros meios de propulsão visível, mas navega com facilidade. Seu imenso tamanho é dirigido por um timão e um leme muito pequeno. Não deixa para trás um rastro a ser seguido em sua insignificante esteira; ele pode enfrentar a maioria das tormentas sem virar; e cruza grandes distâncias de água sem letreiros indicativos ou balizas até o seu porto desejado. E é o ar que está à frente de suas velas que o movem, não o ar por detrás das velas! Quem pode entender seu sábio propósito?

O caminho de um homem com uma jovem é maravilhoso e misterioso. Uma menina virgem – uma jovem – é geralmente bem protegida durante 15 ou 20 anos. Ela pode ficar alegremente contente com afazeres, escola, trabalho, passatempos, natureza, amigos e família. Amor e sexo raramente a perturbam. Mas considere a mudança quando um homem a encanta! Com atenção, palavras e promessas, ele acender uma reação fogosa nunca sentida antes. Alguns poucos abraços e beijos e ela fica emocionalmente obcecada e fisicamente disposta a dar a ele qualquer coisa. Ela apaixonadamente deixa tudo para segui-lo, sem medo, apesar dos avisos. Quem pode compreender seu sábio propósito?

Admire a águia; respeite a serpente; aprecie a navegação; e considere o romance emocional e sexual num precoce casamento. Deus fez todas as coisas maravilhosas em seu próprio tempo e local, mas os homens buscaram invenções ímpias a abusam destas invenções (Ec 3:1-11; Ec 7:29). A sabedoria aprecia os sábios propósitos de Deus e os utiliza de acordo com a vontade Dele.

Algo maravilhoso, bem maior do que estas quatro coisas, é a sabedoria de Deus e o poder em redimir o Seu povo dos seus pecados pela morte do seu Filho unigênito nascido de uma virgem (ICo 1:17-25; Ef 1:3-14; Hb 10:1-14). O segundo Adão realizou muito mais para eles do que aquilo que o primeiro Adão arruinou pelo pecado (Rm 5:12-19). Amém!