Rondônia - 19 de agosto de 2018
Home / Notícias / Viveiristas participam de treinamento para produção de mudas de café em Ouro Preto do Oeste

Viveiristas participam de treinamento para produção de mudas de café em Ouro Preto do Oeste

Viveiro-Mudas-Café-Clonal-Nova-Brasilandia-Foto-Dhiony-Costa-e-Silva-570x379.jpgOuro Preto do Oeste, RO – Começou na manhã desta quinta-feira (03) o Curso para viveiristas – produção de mudas de café com qualidade, no Centro de Treinamento da Emater (Centrer), em Ouro Preto do Oeste, com a participação de viveiristas, responsáveis técnicos por viveiros e fiscais da Agência de Defesa Sanitária Agrossilpastoril do Estado de Rondônia (Idaron). O curso segue até esta sexta-feira (04).

Durante o evento, os participantes assistirão palestras sobre qualidade fisiológica de mudas, manejo de viveiro e implantação de jardim clonal; sanidade na produção de mudas de cafeeiro; aspectos legais e sanitários para a produção e comercialização de mudas de café; e sobre o programa café sustentável, além de uma visita técnica ao Campo Experimental da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).

Na abertura do curso, o presidente da Idaron, José Alfredo Volpi, citou a Portaria n. 558, que trata das novas regras para produção, comercialização e trânsito, armazenamento e utilização de mudas de café. “A Idaron vai executar a portaria à risca. Nós precisamos produzir mudas de café com qualidade para que o produtor aumente a sua produção”.

O pesquisador da Embrapa, José Roberto Vieira Junior, disse que mais uma vez a instituição atende ao chamado do Estado para contribuir com a produção cafeeira em Rondônia. “O Estado está passando por um desafio muito grande na questão sanitária da produção de café. E precisamos estar juntos para vencer esta guerra”

Curso para viveiristas (Centrer) - Foto Dhiony Costa e SilvaPara o secretário de Estado da Agricultura (Seagri), Evandro Padovani, os envolvidos na produção de café precisam fazer alguns ajustes para não cometer erros cometidos no passado. “Todos nós temos responsabilidade sobre a produção de café. Nós não queremos que os viveiristas tenham prejuízos, nós queremos que eles produzam mudas com sanidade para obtermos frutos de qualidade”.

O viveirista e produtor de café Arlindo Schulz comenta que o tempo para participar de treinamentos é curto, mas que este vai fazer bem. Sobre as adequações que os viveiristas terão que fazer, ele acredita que no começo será difícil, mas que daqui a alguns anos será bom para o Estado.

O curso é promovido pela Seagri, Idaron, Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Embrapa e Sebrae. O Estado de Rondônia é o quinto maior produtor de café do Brasil, sendo o segundo em produção de café conilon.

A portaria já foi encaminhada para publicação e os viveiristas terão 180 dias para se adequarem. As medidas estabelecidas na portaria já são adotadas em outros estados produtores de café, como Espírito Santo, Minas Gerais e Paraná.