Home / Notícias / Ministro da Saúde confirma vinda a Rondônia para inaugurar unidade do Heuro na Regional de Cacoal

Ministro da Saúde confirma vinda a Rondônia para inaugurar unidade do Heuro na Regional de Cacoal

forca-tarefa-dengue-02-570x428.jpgO ministro da Saúde, Marcelo Castro, confirmou visita a Rondônia para o próximo dia 11 para inaugurar a unidade do Hospital Estadual de Urgência e Emergência (Heuro) na Regional de Cacoal. A informação foi confirmada nesta sexta-feira (4) pelo secretário estadual de Saúde, Williames Pimentel.

De acordo com o secretário, a vinda do ministro se deve à excelente performance do estado no setor de saúde, com investimentos na capacitação de servidores, ampliação de oferta de leitos do Sistema Único de Saúde (SUS), triplicação do número de leitos de UTI, certificação da maternidade do Hospital de Base (HB) pelo método canguru, investimento na área de captação e transplantes de órgãos, inauguração do Centro de Hemodiálise de Ariquemes, descentralização do atendimento de média e alta complexidade, entre outros avanços.

“O novo Hospital Estadual de Urgência e Emergência é um compromisso de governo do Estado de Rondônia, que começa a ser entregue à população com a unidade de Cacoal”, disse Pimentel.

O secretário explicou que o Heuro Regional de Cacoal vem suprir uma lacuna da Rede Assistencial do SUS em Rondônia, que atualmente conta com o Hospital e Pronto-Socorro Estadual João Paulo II, em Porto Velho – responsável por quase 40 mil atendimentos por ano – para atender a todas as demandas do estado.

DESCENTRALIZAÇÃO
A inauguração do Heuro Regional de Cacoal faz parte do programa de descentralização do atendimento de média e alta complexidade implantando pelo Governo de Rondônia. A meta, além de encurtar o acesso da população ao atendimento de alta complexidade, é desafogar em pelo menos 30% o número de pacientes vindos de cidades do interior para Porto Velho e, com isso, diminuir a demanda no João Paulo II, construído em 1984, com 50 leitos, para atender aos funcionários da Eletronorte que trabalhavam na construção da Hidrelétrica de Samuel. Em 1989, o Governo do Estado assumiu o controle do hospital, reinaugurando como unidade de urgência e emergência, com 100 leitos, estrutura que se manteve até os dias atuais.

Passados 29 anos, o número de habitantes no estado triplicou, os problemas de saúde relacionados ao urbanismo, como as violências, os acidentes de trânsito e do trabalho e as doenças cardiovasculares aumentaram as demandas por atendimento por urgência e emergência, e a unidade tornou-se limitada em dar respostas a estas novas demanda.