Rondônia - 18 de agosto de 2018
Home / Notícias / Brasil / Romário diz que Del Nero irá depor na CPI no dia 16

Romário diz que Del Nero irá depor na CPI no dia 16

romarioandre-551x350

A próxima quarta-feira, dia 16 de dezembro, promete ser um marco para o futebol brasileiro. Para esta data já estavam marcados o depoimento de José Maria Marin para o Departamento de Justiça dos Estados Unidos, em Nova York, e a eleição do novo vice-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Marco Polo Del Nero, presidente licenciado da CBF, vai aproveitar a data para finalmente depor à CPI do Futebol, em transcurso no Senado. Também o presidente em exercício, Marcus Vicente, deputado federal pelo PP do Espírito Santo, também deverá ser ouvido.

Uma nova sessão da CPI do Futebol, presidida pelo senador Romário (PSB-RJ) estava marcada para acontecer na última terça-feira, mas Del Nero não atendeu ao convite e a reunião acabou cancelada. O encontro foi remarcado para esta quarta-feira (9), mas novamente em nenhum momento houve a possibilidade real de o ex-presidente da CBF comparecer.

Os senadores então pretendiam votar nesta quarta um requerimento convocando Del Nero, o que tornaria obrigatório o seu comparecimento. De acordo com o ex-jogador, minutos antes do início da reunião, um grupo de senadores foi ao gabinete dele e informou que Del Nero se comprometeu a depor na próxima quarta-feira.

“O presidente licenciado da CBF, Marco Polo Del Nero, conversou com o relator da CPI do Futebol, senador Romero Jucá, e se comprometeu a depor no Senado na próxima quarta-feira. O novo presidente da entidade, Marcus Vicente, também deve depor na sessão”, contou a assessoria de Romário. Jucá é aliado político de Del Nero.

Ainda segundo o ex-jogador, estiveram presente ao encontro os senadores Ciro Nogueira (PP-PI), Zezé Perrela (PDT-MG, ex-presidente do Cruzeiro), Paulo Bauer (PSDB-SC, vice-presidente da CPI), Omar Aziz (PSD-AM) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Na semana passada, a CPI do Futebol aprovou a quebra dos sigilos telefônico e telemático de Del Nero, então presidente da CBF, e de Marin. Já o ex-presidente Ricardo Teixeira teve os sigilos bancário e fiscal quebrados. Os senadores também decidiram pela quebra dos sigilos bancário e fiscal do Comitê Organizador da Copa do Mundo de 2014 (COL), bem como o acesso ao demonstrativo dos resultados e lucros do órgão.

Del Nero teve o sigilo quebrado a partir de 12 de março de 2013. Marin, no período compreendido entre março de 2012 e maio de 2015 – depois disso, ele foi preso. O acesso aos dados bancários e fiscais de Teixeira são referentes ao período de 1º de janeiro de 2007 a 12 de março de 2012, data de sua renúncia.

Fonte: atribuna