Home / Notícias / Centro de Sismologia da USP confirma terremoto de pequena magnitude em Londrina

Centro de Sismologia da USP confirma terremoto de pequena magnitude em Londrina

O estrondo e o tremor de terra sentidos por moradores do jardim Califórnia, na zona leste de Londrina, por volta das 6h de segunda-feira (14), foi causado por um abalo sísmico. O terremoto de pequena magnitude foi confirmado pelo Centro de Sismologia da Universidade São Paulo (USP). Pela medição, registrada pela estação de Fartura (SP), localizada a cerca de 160 km de Londrina, o abalo teve magnitude de 1,8 na Escala Richter e aconteceu nas proximidades do Califórnia às 6h16. “Pelas coordenadas, o epicentro do abalo foi registrado a cerca de três quilômetros do bairro, mas essa diferença é perfeitamente normal, já que a estação responsável por identificar o tremor fica bem distante de Londrina e, por isso, não consegue medi-lo com exatidão”, argumentou o técnico em sismologia do Centro da USP, José Roberto Barbosa, em entrevista ao Bonde nesta terça-feira (15).

Reprodução
Reprodução

O horário do registro também aparece diferente no sistema de medição, conforme o técnico. “Em sismologia, a gente trabalha com a relação do Meridiano de Greenwich, que está três horas à frente do horário de Brasília. Por isso que o evento aconteceu às 6h16, mas aparece no site às 8h16”, explicou Barbosa, lembrando que, atualmente, o país está no horário de verão.

O técnico confirmou, ainda, que os estrondos e tremores sentidos por moradores entre quinta (9) e domingo (13), ainda de menor intensidade, também podem ter sido causados por abalos sísmicos. “Mas, nesses casos, os eventos foram tão micros que a população nem os percebeu direito”, completou.

Barbosa esclareceu que todo e qualquer tipo de abalo sísmico é causado pela tração das placas tectônicas. “Tensões se acumulam nas camadas do interior da terra e, de vez em quando, são liberadas e causam esses tremores. Os eventos são completamente naturais e não podem ser previstos”, resumiu, acrescentando que, somente neste ano, o Centro de Sismologia da USP já registrou centenas de abalos semelhantes em todo o país. “A maioria acontece em área remotas e não são são percebidos. Mas, de vez em quando, o abalo é registrado em locais povoados e acaba sendo motivo de preocupação, ainda mais por não estarmos habituados com essa situação”, frisou.

No caso do jardim Califórnia, conforme o técnico, o abalo foi muito pequeno, mas acabou notado por ter acontecido muito próximo da superfície. “Não tenho como estimar a profundidade focal desse evento, mas a gente pode colocar que foi um tremor de terra bem perto do solo. Por isso que causou tantos problemas e assustou os moradores”, destacou. Conforme relatos recebidos pelo Bonde, o tremor derrubou o teto de gesso de uma residência do bairro e causou rachaduras na calçada e nas paredes de outras várias.

O Centro de Sismologia da USP possui cerca de 90 estações de medição de terremotos espalhadas por todo o país. Na região de Londrina, são três: uma no interior de São Paulo (Fartura) e mais duas no Paraná (Tijucas do Sul e Pitanga). O órgão também possui um serviço online voltado para quem perceber tremores de terra em todo o território nacional. “É interessante quando somos avisados por que conseguimos analisar as medições e descobrir se o relato foi realmente de um tremor de terra”, observou Barbosa.

Em 2009, um episódio semelhante já havia sido registrado em Londrina. Na ocasião, no entanto, o terremoto não foi confirmado.

Fonte: Bonde