Rondônia - 18 de outubro de 2018
Home / Notícias / Destaque / Era um protesto contra o governo da Transilvânia?

Era um protesto contra o governo da Transilvânia?

protesto com pouca gente - domingo.jpgColuna Opinião de Primeira, Por Sérgio Pires – Se depender do povo tomando as ruas, pode-se dizer que  maioria os brasileiros quer mesmo o impeachment da Presidente Dilma? O domingo foi mais uma vez de protestos contra o governo. E, novamente, a participação popular foi pífia, ao contrário das previsões ufanistas das redes sociais. Foi mais uma tentativa de levar o povão a  berrar contra o governo, que está caindo de maduro, por incompetência e por se registrar o maior ataque aos cofres públicos  da nossa história. Mas foi a decepção repetida. Em São Paulo, por exemplo, onde se concentra a maior, apenas a manifestação de março vale a pena ser registrada.   A de domingo, com a presença dos mesmos de sempre, retratou o que  a maioria dos brasileiros está fazendo em relação à crise política: se lixando. Em Porto Velho, a mesma coisa, com um pouco mais de decoração. Um grupo de 72 pessoas chegou o Espaço Alternativo, escoltado por nada menos que seis viaturas da PM, com 28 policiais, ou seja, um PM para cada 2,5 manifestantes. Uma pequena multidão caminhava, corria ou apenas passeava pelo Espaço. Ninguém parou de fazer o que fazia, para participar do protesto. É como se ele estivesse sendo feito contra o governo da Transilvânia, não o do nosso país. Um conhecido petista, que caminhava por lá, ironizou: “desse jeito, essa tal revolução contra o governo Dilma ,vai demorar uns 30 anos!”. E saiu rindo.

Numa democracia, é bom que se saiba: ninguém derruba um governante legitimamente eleito, apenas  com frases de efeito, grosserias e gozações criativas pelas redes sociais ou com meia dúzia de pessoas nas ruas, como os sonhadores imaginam. Mas a pressão do povo nas ruas tem o poder  de dar legitimidade ao impeachment. Sem isso, caso se derrube  a Presidente, tudo ficará apenas como ato de políticos, sem a assinatura popular.

 

IPVA E ICMS EM PAUTA

Se não houver mudança de última hora, que modifique a pauta, esta terça será decisiva na Assembleia Legislativa, para as pretensões do governo do Estado em aumentar impostos para 2016. Nos bastidores há uma verdadeira guerra surda, envolvendo governistas e representantes das classes empresariais (Fiero, Fecomércio, Federações e entidades do comércio e de setores da indústria). A previsão de rejuste do IPVA em até 50 por cento; o aumento do ICMS e do imposto sobre os combustíveis, vi fazer ferver os debates entre os deputados. Vai ser uma terça quentíssima, pelos lados do parlamento.

 

DOMÍNIO DA BRUTALIDADE

Violência, brutalidade, desrespeito às leis e à vida. É isso que está acontecendo nesse país dominado pelo crime, desde que as leis foram criadas para proteger assassinos, bandidos e gente cruel, que estão cheias de “direitos humanos”, enquanto as vítimas só padecem. Em Rondônia, em menos de 72 horas, em apenas dois eventos, seis pessoas foram mortas com requintes de crueldade. Quatro homens, ex presidiários de Rondônia,  foram massacrados num sítio em Apuí, no Amazonas. Na Reserva Cinta Larga, em Espigão do Oeste, dois madeireiros foram mortos a flechadas, após bebedeira com índios. Os assassino de Espigão estão presos. Os de Amazonas não.

 

ABRAÇOS E PEDIDOS

Se aceitar os convites e conselhos que ouviu nesta semana, quando percorreu várias cidades do interior, a deputada federal Mariana Carvalho vai desistir mesmo de disputar a Prefeitura de Porto Velho. Foi uma sucessão e abraços e  pedidos para que ela fique onde está.  A jovem política, alias, está cada vez mais distante da disputa. Se dependesse só dela, a decisão já estaria tomada. Mas seu partido não pensa em Plano B. Os tucanos querem Mariana, que lídera todas as pesquisas para 2016, concorrendo à cadeira de Mauro Nazif. A pressão, a partir do início do ano que vem, será ainda mais dura. E Mariana, o que vai decidir?

 

O RISCO DO ZIKA VÍRUS

Secretarias de Saúde do Estado e dos municípios estão se mobilizando para não serem pegas de surpresa com casos e zika vírus. Pelo menos um caso foi oficialmente confirmado em Porto Velho: o de uma mulher que viajou ao Nordeste e voltou contaminada. Pode haver mais casos, mas se os há, ainda não foram oficialmente comunicados. Há um grave surto da doença, principalmente no estado de Pernambuco, mas também em outras regiões nordestinas.  A possibilidade de que a doença se espalhe pelo país é grande. A única chance de evitá-la é a prevenção, com combate duríssimo contra o mosquito da dengue.

 

PF ENTRE OS ÍNDIOS

Pela enésima vez, a Polícia Federal anuncia que vai ocupar  Reserva Roosevelt, em Espigão do Oeste, onde os índios Cinta Larga vivem sobre um mina dos diamantes. Há muitos anos há informação de que a entrada na Reserva é proibida e que há fiscalização. Os acontecimentos recentes, envolvendo caciques, que estariam mancomunados com garimpeiros ilegais, provam que esse isolamento, na verdade, não existe. A PF também dará prosseguimento à Operação Crátons, que envolveu contrabando ilegal de diamantes, patrocinado por envolvidos na Operção Lav Jato. Vem muito mais bomba por aí!

PERGUNTINHA

O governador Confúcio Moura vai apoiar a campanha e apoio o impeachment da Presidente Dilma, como informalmente está apoiando seu partido, o PMDB; vai se posicionar a favor de Dilma ou vai ficar em cima do muro?

 

 

Leia o Blog:   www.opiniaodeprimeira.com.br