Home / Notícias / Brasil / PF realiza buscas na casa de Eduardo Cunha

PF realiza buscas na casa de Eduardo Cunha

pf na casa de cunha by marcelo camargo.jpgA Polícia Federal cumpre nesta manhã 53 mandados de busca e apreensão na residência oficial do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, localizada na Península dos Ministros, e em seus endereços no Rio de Janeiro.

A PF surpreendeu Cunha na residência oficial, com a família, mas sua assessoria informou que ele não vai se pronunciar sobre o assunto porque deseja antes se informar. O mandado foi assinado pelo ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal.

Também o senador Edison Lobão (PMDB-MA), ex-ministro de Minas e Energia dos governos Lula e Dilma, e o deputado Aníbal Gomes (PMDB-CE), que é ligado ao senador Renan Calheiros (PMDB-AL), presidente do Senado, também são alvos da operação desta terça-feira (15) da PF.

Outro alvo é o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE), que foi ministro da Integração Nacional do governo Dilma Rousseff.

O objetivo da Procuradoria Geral da República é promover uma devassa total na vida de Eduardo Cunha, por isso todos os seus endereços estão sendo vasculhados, incluindo seus amigos, aliados como o ministro Celso Pansera (Ciência e Tecnologia), em Duque de Caxias (RJ) e até mesmo endereço “religosos”, isto é, de igrejas evangélicas que ele frequenta.

Os federais cumprem ao todo 9 mandados no Distrito Federal, 15 em São Paulo, 14 no Rio de Janeiro, 6 no Pará, 4 em Pernambuco, 2 em Alagoas – onde reside o ministro Henrique Eduardo Alves (Turismo), amigo íntimo e velho aliado político de Eduardo Cunha e 1 no Rio Grande do Norte.

O ex-senador Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, subsidiária da Petrobras, igualmente ligado a Calheiros, é alvo na operação que se desenvolve nesta terça.

De acordo com a Polícia Federal, a operação tem como principal objetivo evitar que provas importantes sejam destruídas. São apurados supostos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, organização criminosa, entre outros.

A operação foi batizada de “Catilinárias”, que são uma série de quatro discursos célebres do cônsul romano Cícero contra o senador Catilina.

Está marcada para esta terça-feira (15) uma nova reunião do Conselho de Ética da Câmara, para discutir o processo aberto contra Eduardo Cunha. Será a oitava tentativa para dar sequência ao processo, agora sob novo relator.