Home / Notícias / destaque / 15 de dezembro de 2015, o dia em que a PF fez o PMDB, que é 15, “quinzar”!

15 de dezembro de 2015, o dia em que a PF fez o PMDB, que é 15, “quinzar”!

alan alex painel politicoColuna Painel Político, Por Alan Alex

Polícia Federal bota para cima de caciques do maior partido do país e deixa os peemedebistas em polvorosa

Deu ruim

Eduardo Cunha, como era previsto, foi acordado pela Polícia Federal na manhã desta terça-feira. Mas ele não foi preso. Ainda. Mas vai ser e não demora. O PMDB “quinzou” no dia 15 de dezembro de 2015. É o começo do fim. Vai afundar junto com o PT. A Lava-Jato, os petistas não podem acusar, de estar sendo partidária. E não se preocupem. Em brve ela deve atingir também o tucanato. A bandidagem no Brasil não escolhe ideologia ou cor partidária.

Por aqui

A Polícia Civil acordou a turma do mal que vinha atuando no IPEM e levou 10 para serem ouvidos coecitivamente e fez busca em 12 locais, além do próprio órgão. De acordo com a polícia, os servidores acusados avisavam alguns donos de postos de combustíveis e empresas que vendem extintores, de fiscalizações que iriam ocorrer. Em troca, claro, ganhavam um pixuleco. Agora veja a seriedade da coisa. Você ai, que paga seu carro com maior esforço, anda com cuidado, acredita estar abastecendo em um posto sério e descobre uma bandalheira dessa. Ou pior, quem precisa de extintor de incêndio e descobre, na hora do sufoco, que o mesmo está adulterado.

Esses servidores

Deveriam ser presos e a justiça tinha que jogar a chave fora. São uns vagabundos de marca maior, infiltrados no serviço público, enriquecendo na safadeza. Pior é que um delinquente desses não é demitido. É reintegrado por decisão judicial e termina aposentando. E vai roubar de novo.

Achaque

E os empresários que não pagavam o pixuleco, sofriam sucessivas fiscalizações, daquelas de procurar agulhas no palheiro. Ou seja, eles criavam dificuldades para vender facilidades. Em julho desse ano, PAINEL POLITICO publicou matéria falando sobre uma série de problemas que vinham acontecendo no IPEM. O ex-presidente, Osny Ortiz foi acusado, entre outras, de perseguir servidores e de receber diárias indevidamente. As investigaçõe remontam à sua gestão. O atual presidente é o ex-deputado estadual Edvaldo Soares, que assumiu em outubro desse ano. Nessa ele não está enrolado.

Nesta quarta

O Tribunal Regional Eleitoral julga a ação contra o deputado estadual Léo Moraes por supostamente ter usado a “máquina sindical do sindicato dos delegados” para captar votos (?). Pois é. O Ministério Público Federal, que não enxergou ilegalidades monstruosas na campanha de Confúcio Moura, Lúcio Mosquini, Nilton Capixaba e outros conseguiu achar uma “captação ilícita de recursos” já que, segundo o MPF, o presidente do sindicado dos delegados teria usado e-mail da entidade para enviar correspondência aos filiados.

O problema

É que não aconteceu nada disso. Foi feita uma denúncia descabida por alguns delegados, que inclusive estão lotados em outras secretarias (ao invés de estarem nas delegacias), que estavam com raivinha, porque grande parte dos delegados apoiavam a candidatura de Expedito. Para prejudicar um projeto político da categoria (Léo obteve apoio maciço da Polícia Civil como um todo porque foi eleito para brigar por projetos da segurança pública) que seria contrário aos interesses do atual governo.

Enfim

Nesta quarta-feira acontece o julgamento e a Corte deve definir essa situação. Léo está sendo injustiçado nesta questão e tomara que a Corte tenha bom senso nessa questão. Ele vem sendo de longe o deputado mais atuante, tanto em relação as demandas da segurança pública quanto nas demais. É jovem, limpo e tem personalidade, coisa rara no parlamento estadual. Foi uma grata surpresa. E provou isso, mais uma vez, nesta terça-feira ao promover o arquivamento ridículo do IPVA, mais uma proposta insana do governo. Dessa conta, pelo menos, estamos livres.

Já o ICMS

Foi feito um acordo entre governo e representantes do setor produtivo e comércio para um reajuste de 0,5% ao invés de 1% como o governo queria. O acordo foi necessário porque os deputados governistas (quase todos) iam aprovar de qualquer forma. Ponto para a sociedade que se fez presente ao plenário da Assembleia para pressionar os deputados.

E a Fabíola?

Bombou nos grupos de Whatsapp a relação extraconjugal de uma bancária de Belo Horizonte, identificada como Fabíola, que tem um caso com o melhor amigo do marido. Cenas deprimentes do marido traído quebrando o carro do “ricardão” na recepção de um motel, filmado por um outro amigo, chamado para esta função, “obtenção de provas” e a pedido do próprio marido, “que fossem espalhadas em redes sociais”. Certamente ele não tinha dimensão do problema que estava arrumando para si. Tomado pela fúria, bate na mulher, ameaça mata-la e nada faz contra o “amigo”, que assiste acovardado a amante apanhar.

Evidente

Que a passionalidade faz com que qualquer um perca a cabeça, inclusive existem atenuantes no código penal para crimes cometidos nessas situações. Mas a tecnologia trouxe outro tipo de vingança, que é a superexposição de situação como essa, levando ao conhecimento do mundo inteiro, uma situação particular. Se Fabíola quiser, ela processa o marido traído, que corre o risco de ser preso e pagar uma indenização enorme, tanto a ela quanto ao amante. Pior, o marido ficou conhecido como corno em todo o país e isso não “lavou sua honra”, pelo contrário, o tornou ainda mais corno. E para coroar o chifre, ele ainda espalhou vídeos de sua mulher em cenas de sexo explícito que estavam no aparelho celular dela. É, a Fabíola também filmava as performances do Léo.

E Mariana?

A cidade mineira que foi soterrada pela lama tóxica de uma barragem rompida continua gerando dramas. Mais um corpo foi localizado nesta terça-feira, 15.  De acordo com os bombeiros, um caminhão que era usado pela mineradora foi localizado em baixo de toneladas de lama próximo ao local do rompimento. Diante da possibilidade de um corpo ser encontrado, as buscas foram intensificadas e culminaram no encontro da vítima, que ainda não chegou a ser identificada e segue presa aos destroços.

Agora

Pergunte se alguém foi preso? Pergunte como está a situação dos desabrigados? Pergunte se algo vai acontecer com os executivos da Samarco, empresa responsável pela barragem. Coisas do Brasil da impunidade.

Na grade

Marcelo Odebrecht, um dos homens mais ricos do Brasil vai passar o natal na cadeia. O STJ negou na tarde desta terça-feira o pedido de habeas corpus feito pelos advogados. Com isso, aumentam as chances dele vir a fazer um acordo de delação premiada.

Clínica Mais Saúde informa – Uso de antidepressivos na gravidez aumenta risco de autismo no bebê

Usar antidepressivos na gestação, em especial os inibidores seletivos de recaptação de serotonina (SSRIs, na sigla em inglês), pode aumentar em até 87% os riscos do surgimento de distúrbios do espectro autista nos filhos. É o que diz um estudo recém-publicado no periódico científico JAMA Pediatrics. No trabalho, pesquisadores da Universidade de Montreal, no Canadá, analisaram dados de saúde de quase 146 mil mães e crianças, acompanhadas durante dez anos, durante o período da gestação. Os resultados mostraram que 4.724 (3,2%) dos fetos foram expostos a antidepressivos. A maioria deles (4.200) foi exposta no primeiro trimestre da gestação. Ao longo dos 10 anos de acompanhamento, 1.054 bebês (0,7%) foram diagnosticados com autismo, mas o risco de desenvolvimento da doença aumentou 87% entre aqueles cujas mães tomaram antidepressivos nos últimos seis meses de gravidez (segundo e terceiro trimestre). De acordo com os autores, embora no geral o risco de autismo ainda seja muito baixo, ele é maior em relação aos filhos com mães que não tomam estes medicamentos.

Fonte: Painel Político