Rondônia - 21 de julho de 2018
Home / Notícias / Centro-Oeste / Suposto protesto de índios em rodovia que liga RO a MT deixa PRF em alerta

Suposto protesto de índios em rodovia que liga RO a MT deixa PRF em alerta

suposto-protesto-de-indios-em-rodovia-que-liga-ro-a-mt-deixa-prf-em-alerta540x304_08083aicitono_1a6ld1sn34n3fpne6kt3r17aa

Na tarde desta terça-feira, 15, a reportagem do FOLHA DO SUL ON LINE recebeu a informação de que índios da etnia Enawenê Nawê estariam organizando um bloqueio nos pontos de pedágio localizados em dois trechos da BR-174, entre os municípios de Vilhena e Juína (MT).

Os indígenas estariam revoltados devido ao delegado da PF no Mato Grosso, que está à frente das investigações sobre a morte dos dois jovens que foram executados na reserva deles na última semana, ter encaminhado à Justiça Federal pedidos de mandados de prisão contra pelo menos três líderes da tribo.

O grupo de índios teria a intenção de fechar a rodovia que faz ligação entre os dois Estados no momento em que houvesse um grande numero de pessoas entre os dois pontos de bloqueio, na tentativa de mantê-los encurralados, ou até mesmo como reféns.

A reportagem do site manteve contato via telefone com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) para colher mais informações sobre a suposta ameaça. O policial que atendeu a ligação disse não ter conhecimento sobre as intenções de manifestação, mas relata que a PRF está de prontidão para qualquer episódio que possa acontecer.

A única empresa de ônibus que faz a linha Vilhena/Juína também foi procurada pela reportagem. O funcionário da TUT Transportes disse que, na manhã de hoje, um coletivo saiu com destino ao Estado vizinho, mas até o momento não houve qualquer relato de que tenha acontecido algo fora do comum. Outro ônibus que também tem como destino Juína sai de Vilhena já à noite e fará o trajeto pelo município de Sapezal (MT).

O clima se tornou ainda mais tenso na região, após a Polícia Militar de Juína prender, na manhã desta terça-feira, 15, outras duas caminhonetes que estavam em poder dos indígenas e que constavam como objetos de roubo/furto.

Fonte: Jornal Rondônia Vip