Rondônia - 18 de agosto de 2018
Home / Notícias / Brasil / Romário pretende apresentar relatório paralelo na CPI do Futebol

Romário pretende apresentar relatório paralelo na CPI do Futebol

romarioandre-551x350

O presidente da CPI do Futebol, senador Romário (PSB-RJ), tem a intenção de apresentar parecer paralelo ao do relator, Romero Jucá (PMDB-RR), no fim dos trabalhos da comissão de inquérito que investiga a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e o Comitê Organizador Local da Copa do Mundo 2014. Quem revela é Randolfe Rodrigues (Rede-AP), um dos poucos aliados do ex-jogador no colegiado.

“Se essa CPI não fizer indiciamentos de personagens como o senhor Marco Polo Del Nero, com este depoimento deprimente que ele prestou ainda há pouco, eu lhe garanto que nós, e eu falo também pelo senador Romário, apresentaremos um relatório paralelo”, garantiu o senador amapaense, logo após o fim da audiência pública para ouvir o depoimento do presidente licenciado da CBF, Marco Polo Del Nero, nesta quarta-feira (16).

Insatisfeitos com a condução apática do relator, quase sempre ausente nas sessões, Romário e Randolfe têm atuado juntos e praticamente isolados para combater o lobby da CBF na comissão. Durante a instalação da CPI, em jogada ensaiada entre o PMDB e a bancada da bola – formada por parlamentares ligados aos clubes e federações de futebol –, Romário tomou um drible, perdeu a relatoria, e Jucá foi infiltrado na CPI com a missão de atrasar as investigações, conforme informou o Fato Online. Logo, Romero Jucá apresentou um plano de trabalho burocrático e quase não comparece às audiências.

Há duas semanas, em resposta à ação protelatória de Jucá e às sucessivas derrotas para a influente CBF, Randolfe e Romário conseguiram prorrogar a CPI por mais 180 dias (seis meses), que deveria ser concluída no dia 22 de dezembro.

Uma fonte do gabinete do senador Romário confirmou a informação de Randolfe Rodrigues e adiantou que uma “equipe formada por jornalistas, policiais e advogados próximos ao ex-jogador” já estaria preparando o relatório paralelo. “Aqui entram vários amigos do senador nessas três áreas para orientá-lo”. Hoje (16) mesmo um policial civil aqui do DF que joga futevôlei e é muito amigo dele observou pessoalmente a audiência do Del Nero”.

Um dos membros da CPI do Futebol também disse, sob condição de anonimato, que “realmente havia a possibilidade da apresentação de um relatório paralelo” mas, segundo o senador, antes da prorrogação da CPI. “Agora é preciso aguardar o decorrer das investigações e o comportamento do relator, mas não vejo impedimento para a apresentação de um relatório paralelo”, declarou.

“Vão perder de chocolate”

Um dos deputados federais que compareceram à sessão que ouviu Marco Polo Del Nero e é um dos mais combativos parlamentares em defesa dos clubes de futebol no Congresso, ironizou o esforço dos senadores Romário e Randolfe Rodrigues.

“Eles não podem estar falando sério. Não têm maioria para ganhar no voto. Se apresentarem o relatório deles, vão perder de chocolate”. O deputado disse ainda acreditar que os outros membros da CPI dificilmente aceitarão “este movimento anti-democrático”.

Informado pela reportagem sobre a possibilidade de a comissão receber dois relatórios para serem analisados, um dos senadores que compõem o colegiado e defende interesses da CBF já avisou que fará tudo ao alcance para impedir. “Não aceitaremos imóveis e sabemos como reagir”, avisou.

Boatos de que o senador Romário, revoltado com a atuação de Jucá, planejava atropelar o relator já rondavam o plenário. Outro congressista contou ao Fato Online que havia presenciado uma conversa em que Romário reclamava da “omissão” e da “parcialidade” de Romero Jucá.

No dia 30 de setembro, a reportagem procurou a assessoria do senador Romário. Por e-mail, foi informada que o senador carioca “espera que o senador Romero Jucá apresente um documento com conclusões e encaminhamentos que colaborem para uma mudança estrutural no futebol brasileiro”.

E concluiu: “Não há como prever, neste momento, se será necessário apresentar um relatório paralelo”.

Fonte: faxinageral