Rondônia - 17 de outubro de 2018
Home / Notícias / Norte / Rondônia / Governadores afirmam que controle sanitário para produção de alimentos é prioridade do Consórcio

Governadores afirmam que controle sanitário para produção de alimentos é prioridade do Consórcio

governadores-afirmam-que-controle-sanitario-para-producao-de-alimentos-e-prioridade-do-consorcio540x304_74383aicitono_1a6r456hbh6d1vsjn45pbm1th7a

Porto Velho, RO – O governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, afirmou nesta sexta-feira (18), em Porto Velho, antes do início do Fórum dos Integrantes do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central (CBC), que a região produz atualmente mais de 50% dos alimentos consumidos no País.

Por isso, uma das prioridades da base de projetos estratégicos de desenvolvimento integrado regional é o controle das condições sanitárias tanto dos grãos quanto da carne bovina produzidos na região. “Essa pauta das questões sanitárias é uma das importantes”, afirmou.

O governador do Tocantins, Marcelo Miranda, destacou que a maior vitória do consórcio de governadores até aqui é o pacto federativo, por meio do qual os governadores agem com um só ideal e buscam ser mais ouvidos.

Após registrar a presença do senador Petecão (AC), Reinaldo Azambuja destacou a importância de um maior intercâmbio com os parlamentares, onde um grupo composto por mais de 20 senadores e deputados já apoia as propostas do fórum.

O senador disse que mais do que defender as propostas do fórum, ele também defende a adesão do Estado do Acre, principalmente pela posição estratégica em relação à rota da rodovia transoceânica para o mercado futuro de exportação de alimentos para o continente asiático.

O governador de Mato Grosso, Pedro Taques, explicou que o fórum busca encontrar solução para “necessidades” nas áreas da saúde, infraestrutura e desenvolvimento regional, com a união de esforços, por exemplo, para criação de um consórcio interestadual de saúde.

Já desperta, segundo ele, o interesse de outros estados, que veem na entidade a oportunidade para aprofundar o debate da reforma tributária com a União. A reforma traz como consequência maior endividamento para as unidades federativas que não podem continuar sendo tratadas como se fossem operadoras de cartão de crédito para pagar juros incalculáveis.

Pedro Taques destacou, ainda, que do ponto de vista das exportações, Estados como Mato Grosso e Rondônia, além do Mato Grosso do Sul e Tocantins, têm localização estratégica na região, onde predomina o agronegócio. Ele defende a elaboração de uma pauta conjunta de exportações e acentuou que um dos produtos de ponta é a carne produzida em Rondônia, que já possui um rebanho com mais de 13 milhões de cabeças.

Rondônia, segundo o governador Confúcio Moura, exporta mais do que importa, e há muito contribui para manter, junto com outros estados da região, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em níveis positivos.

O governador de Goiás e presidente do Fórum, Marconi Perillo, lembrou a importância da criação de um banco de projetos de desenvolvimento nas áreas de infraestrutra de portos, hidrovias, ferrovias e rodovias. Segundo ele, também é imprescindível encaminhar proposta ao Ministério do Planejamento para que a União repasse recursos para, ao menos, três obras prioritárias em cada estado da região, além da liberação de uma parte dos recursos dos fundos constitucionais para financiar obras de infraestrura.

O governador Rodrigo Rollemberg, do Distrito Federal, foi representado pelo Chefe da Casa Civil, Sérgio Sampaio.

Fonte: DECOM