Rondônia - 19 de julho de 2018
Home / Notícias / Opinião / Artigos / Despertando a Força com Star Wars

Despertando a Força com Star Wars

Artigo, Por Gabriel Bocorny Guidotti – Está na vitrine de inúmeras lojas, mesmo aquelas não especializadas em brinquedos ou jogos de videogame. As discussões na internet a respeito do novo filme não param. É incrível como uma franquia cinematográfica pode silenciar, inclusive, os calorosos debates relativos ao impeachment no Brasil. Nesta semana, estreou nos cinemas um longa muito esperado pelos fãs de Darth Vader e companhia. ‘Star Wars: o despertar da força’ é o sétimo da franquia.
Nos anos de 1970, quando do lançamento do episódio IV, ‘Uma nova esperança’, o público se surpreendeu positivamente com os efeitos de primeira categoria promovidos pela equipe de George Lucas – criador e então diretor da saga. Um filme sobre o espaço em uma época de expansão espacial da humanidade certamente deu asas à imaginação. No caso de Star Wars, a imaginação tinha forma e enredo bem definidos. A trilogia original chocou e emocionou cinéfilos no mundo inteiro.
Agora, na era da internet, é possível sentir o alcance da franquia. Num mundo globalizado, fãs de diversos países conversam a respeito dos caminhos da Força. O lançamento do novo filme constitui a primeira cartada da Disney após a compra dos direitos da saga, em 2012, pela bagatela de US$ 4,05 bilhões. George Lucas sabia que chegaria o dia no qual precisaria passar seu bebê adiante. Ele criou uma ‘religião’ forte demais para ficar parada indefinidamente. Dito isso, a Disney planeja novos longas nos próximos anos.
O grande mérito de Star Wars é ponderar na telona questionamentos políticos, sociológicos e filosóficos a respeito das relações entre diferentes. O enredo traz personagens provenientes de diversos planetas de uma “galáxia muito, muito distante”, de modo que a interação entre soberanias planetárias constitui o cerne do poder. Poder este resguardado pelos antigos cavaleiros Jedi, representados por figuras carismáticas como Obi-Wan Kenobi e Yoda, e ambicionado pelos Sith, que tem em Darth Vader seu membro mais expoente.
‘O despertar da força’ trará novos duelos entre as duas facções. Trata-se de um embate que jamais terá fim, pelo visto. Cada lado defende a crença que considera pertinente. Ademais, mais que um fenômeno de consumo, Star Wars é patrimônio cultural de nossa espécie. As referências à saga estão espalhadas por toda parte. Tendo isso em vista, o filme retrata o início de uma nova fase – e de uma nova trilogia – para os fãs. Que a Força esteja com eles!
Gabriel Bocorny Guidotti
Jornalista e escritor
Porto Alegre – RS