fbpx
31 C
Porto Velho
domingo, 05 julho 2020, 15:11
Site de apostas
Site de apostas

Produtores de filme polêmico com maus tratos a cão poderão ser presos




Quatro vidas de um cachorro

A secretaria de Veterinária do governo do Canadá está investigando o suposto caso de maus tratos contra um cachorro durante as gravações do filme “Quatro Vidas de Um Cachorro”. As imagens vazaram na internet e mostram um pastor alemão sendo forçado a entrar na água. O cachorro luta para não entrar na piscina enquanto é segurando por um homem.  Se for confirmado que o animal foi realmente foi vítima de abuso, os responsáveis pela produção devem ser processados e podem pegar até seis meses de prisão, além de multa de dez mil dólares.

Após a polêmica a Universal Pictures e a produtora Amblin Entertainment decidiram cancelar a pré-estreia da trama, que estava marcada para acontecer neste final de semana, em Los Angeles, nos Estados Unidos.

Em um comunicado, a Universal Pictures e a Amblin, afirmaram que, por causa de um vídeo “editado”, a distribuidora Universal Pictures decidiu cancelar a première e as entrevistas agendadas com a imprensa para divulgação. A estreia, no entanto, segue confirmada para o dia 27 de janeiro, nos Estados Unidos.

“Não queremos que nada atrapalhe este filme que celebra o relacionamento entre homens e animais. Desde que essas imagens surgiram, a Amblin está em contato com o pessoal da segurança, treinadores e coordenadores de dublês para revisar o que ocorreu”, afirmou.

As imagens das gravações do filme foram divulgadas pelo site TMZ e teriam sido feitas em 2015. Nas imagens, é possível perceber o momento em que um homem tenta jogar o cachorro em uma piscina.ç O animal luta para não entrar na correnteza. O vídeo gerou polêmica e críticas nas redes sociais.

Um das maiores organizações de defesa dos animais do mundo, a Peta defendeu o boicote ao filme. “A PETA está convidando os amantes de cães a boicotar o filme para enviar a mensagem de que cães e outros animais devem ser tratados com humanidade, e não como adereços de filmes”, afirmou o órgão.

Fonte: Correio 24h

Últimas notícias: