Rondônia - 24 de outubro de 2017
Home / Notícias / Religião / Estudos de Provérbios / Provérbios 17:8 – Pedra mágica é o suborno aos olhos de quem o dá, e para onde quer que se volte terá seu proveito

Provérbios 17:8 – Pedra mágica é o suborno aos olhos de quem o dá, e para onde quer que se volte terá seu proveito

Presentes são coisas maravilhosas. Eles podem realizar muito – para o bem ou para o mal. Tendo recebido um presente, e olhando para o mesmo procurando estimar o seu valor, um homem fará qualquer coisa que lhe for pedido. Como uma joia, ela ofusca a vista e aquece o coração para realizar uma tarefa desejada. Uma joia é linda vista de qualquer ângulo, e um presente realizará seus objetivos na maioria das situações.

Temos aqui uma observação geral de Salomão a respeito do poder de presentes. Funcionam! O provérbio não condena presentes, mas aponta para o seu poder potencial – para o bem ou para o mal. Se forem usados com bons motivos, o nobre fim será realizado. Se forem usados com motivos perversos, o pecado terá sido consumado.

Filipe da Macedônia, o pai de Alexandre o Grande, disse, “Não há fortaleza tão forte, que não se pode superar, se um jumento carregado de ouro for levado ao seu portão!”

Quem está com o presente neste provérbio? O doador ou o receptor? Porque não os dois? O dono do presente acredita que o seu presente moverá qualquer vontade determinada para fazer prosperar os seus intentos. O recebedor de um presente, considerando-o uma doce bênção, está disposto a agir rapidamente para realizar o que foi pedido a ele. A escolha não altera a interpretação. A lição é a mesma – presentes funcionam!

Salomão ensinou mais alguma coisa sobre presentes? Sim, homens maus usam presentes como subornos para corromper a justiça (Pv 17:23). Presentes funcionam no sentido de obter uma audiência com uma pessoa importante (Pv 18:16), e podem conquistar amigos (Pv 19:6). Presentes podem apaziguar a raiva de um adversário (Pv 21:14). Gabar de dar um presente sem tê-lo realizado é inútil e sem efeito (Pv 25:14).

Em outra passagem Deus condena severamente os presentes com fins malignos. Presentes cegam os olhos e subvertem a sabedoria e a justiça (Êx 23:8). Presentes corrompem o juízo e pervertem as palavras do justo (Dt 16:19). Com presentes se pode comprar a morte de um homem inocente (Dt 27:25). Os filhos de Samuel aceitaram subornos, mas ele mesmo não (ISm 8:3; 12:3). Numa nação ímpia os subornos acontecem com frequência (Mq 7:3). Homens piedosos recusam subornos (Is 33:15).

Não é se admirar que a Senhora Justiça é uma mulher de olhos vendados com uma espada em uma mão e uma balança na outra. Ela não olhará para as pessoas que estão diante dela ou para qualquer presente que possam oferecer para poder avaliar com justiça as circunstâncias de cada caso e corretamente aplicar qualquer punição.

Presentes funcionam! Podem servir para ganhar amigos e influenciar outros para o bem, e podem ser usados como subornos ou pagamentos por maldades. A lição é que funcionam. A sabedoria é usá-los somente com bons objetivos em vista e reconhecer que muitos homens praticarão o mal para obtê-los.

Você pode se lembrar de presentes dados por um bom motivo? Jacó amoleceu o coração de Esaú com presentes bem espaçados (Gn 32:13-21). Jacó enviou um presente ao áspero governante no Egito (Gn 43:11-14). Abigail amoleceu o coração de Davi com um presente (ISm 25:18-20,35). Davi pacificou a tribo Judá por não terem participado de uma batalha contra os filisteus (ISm 30:11-20; 30:26-31). Os sacerdotes filisteus sabiamente sugeriram hemorróidas e ratos de ouro para apaziguar o terrível Deus de Israel (ISm 6:5)!

Você consegue se lembrar de presentes dados com fins iníquos? O cobiçoso Balaão não conseguia controlar a sua concupiscência por causa das moedas de Moabe (Nm 22:7-8,21; IIPe 2:15-16). O iníquo Simão tentou comprar o dom apostólico do Espírito Santo, mas Pedro recusou (At 8:17-24). Claro, os judeus pagaram a Judas trinta moedas de prata para trair a Jesus Cristo (Mt 26:14-16), mas também haviam subornado os guardas que estavam presentes à Sua ressureição (Mt 28:11-15).

Leitor, você está isento da atração por um presente? Muitos homens foram enlaçados pelos favores de uma mulher quando deveriam ter usado do temor do Senhor (Pv 31:30). Muitas mulheres caíram tão somente por palavras bondosas de um homem sedutor (Gn 34:1-3). Você já comprometeu a verdade em troca de um presente, uma venda, um bônus ou uma promoção?

Os ministros de Deus devem odiar o lucro imundo, para evitar que o mesmo desvie sua interpretação ou aplicação da escritura (Is 56:11; Jr 6:13; 8:10; Mq 3:11; Ml 1:10; ITm 3:3,8; Tt 1:7,11; IPe 5:2). Ai daquele ministro que se preocupa com a quantia de membros ou da sua renda em troca da verdade da palavra de Deus e a santa aplicação da mesma.

Há lugar na sua vida para dar um presente hoje? Você poderia honrar seus pais com um presente? Ou melhor, ainda, seu sogro e sua sogra? Você poderia reconciliar um amigo afastado com um presente dado em segredo (Pv 21:14)? Você poderia confortar e alegrar, hoje, com um presente, uma pessoa desanimada? Faça-o!

A melhor dádiva é o presente de Deus que deu o Seu único Filho pelos pecados de um inimigo rebelde. Deuses pagãos exigiam a morte do seu filho para serem pacificados (IIRs 17:17). Mas o verdadeiro Deus deu o Seu único Filho pelos Seus inimigos! Considere este presente! Ele gerou resultados onde quer que foi anunciado? Sem dúvida! Satisfez a justiça divina e obteve a justiça eterna para cada um deles (Is 53:10-12). Isto é chamado de dom indizível (IICo 9:15; Rm 5:15-19; Rm 6:23)!

Comente pelo Facebook

comentários