Rondônia - 23 de agosto de 2017
Home / Notícias / Religião / Estudos de Provérbios / Provérbios 14:21 – O que despreza ao seu companheiro peca, mas o que se compadece dos humildes é bem-aventurado.

Provérbios 14:21 – O que despreza ao seu companheiro peca, mas o que se compadece dos humildes é bem-aventurado.

 

A maneira que você se relaciona com outros atinge três partes interessadas – O Deus celestial, aqueles à sua volta, e a sua própria alma! Se você for cruel, agressivo, egoísta ou violento para com o outro você peca contra Deus, você os priva de necessitada ajuda, e você mesmo se sentirá infeliz. Esta é a regra do provérbio.

O primeiro mandamento é o de amarmos o Deus Criador da Bíblia – Jeová – de todo o seu coração, mente, alma e força (Dt 6:4-5; Mt 22:36-38). O segundo mandamento é o de amar o seu próximo tanto quanto você ama a si mesmo (Lv 19:18; Mt 22:39). Quando você ama o seu próximo, você também ama a Deus, porque Ele criou o seu próximo e fez com que ele cruzasse o seu caminho numa hora de necessidade (Pv 14:31; 19:17; IJo 4:20).

Deus o abençoará, se você for cuidadoso, perdoador, honesto, amoroso e paciente para com seus próximos (Sl 41:1-3; 112:9; Lc 6:27-38). Deus o julgará e o punirá, se você for nocivo, malicioso, arrogante, severo ou vingativo para com eles (Dt 15:7-11; Is 58:7-11). O cristianismo cria a mais alta motivação para amar aqueles com quem você se encontra, porque a diferença entre uma vida feliz e abençoada e uma miserável e problemática é o resultado certo.

Num mundo cobiçoso, ganancioso e egoísta, é difícil acreditar ou imaginar que amar os outros pode trazer felicidade. Mas é isso que o provérbio nos ensina! E tanto Jesus Cristo como Paulo confirmam este fato: “Tenho-vos mostrado em tudo que, trabalhando assim, é necessário auxiliar os enfermos e recordar as palavras do Senhor Jesus, que disse: Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber.” (At 20:35). Creia nesta regra ou viva e mora miseravelmente!

Quando um advogado perguntou a Jesus quem era o seu próximo (advogados geralmente procuram falhas nas definições para evitar a responsabilidade), o Senhor respondeu com a história do bom samaritano, em que um Samaritano agiu como amigo e ajudou a um judeu ferido à custa da inconveniência e das despesas geradas (Lc 10:25-37). Apesar dos judeus e dos samaritanos desprezarem um ao outro, este homem nobre demonstrou bondade quando os próprios compatriotas judeus não quiseram se envolver!

Seja lá o que você tem ou você é lhe foi dado por Deus; qualquer diferença entre você e os outros é por escolha Dele (ICo 4:7). Portanto, é um despeito profano para você se vangloriar sobre os outros.

A alegria de auxiliar outros se estende até ao Dia do Juízo, onde aqueles que mostram compaixão aos menores filhos de Deus serão gloriosamente recompensados (Mt 25:31-46; Lc 14:12-14). Você estará fazendo um bom investimento para aquele Dia, ao dar para aqueles que estão passando necessidade (ITm 6:17-19).

Comente pelo Facebook

comentários