Rondônia - 25 de maio de 2017
Home / Notícias / Colunas / Opinião de Primeira / TEMER OUVE PEDIDOS DE RONDÔNIA. NA PAUTA, AS DUAS BRS ….

TEMER OUVE PEDIDOS DE RONDÔNIA. NA PAUTA, AS DUAS BRS ….

Coluna Opinião de Primeira, Por Sérgio Pires – Um grupo de empresários, do time peso pesado, foi recebido nessa semana pelo presidente Michel Temer, no Planalto. Membros de uma comitiva do sistema S, com representantes principalmente da região norte, os rondonienses, à frente o presidente da Federação das Indústrias (Fiero), Marcelo Thomé, entregou a Temer uma carta com várias reivindicações. A maioria delas, com assuntos que estão há longo tempo na pauta do Estado, mas que até agora não foram resolvidas. Entre elas, apelo por melhorias drásticas em duas BRs. Para a 364, a duplicação urgente, por motivos recheados de obviedades. Para a 319, que nos liga a Manaus, que ela seja restaurada, porque, asfaltada, significaria uma grande melhora na ligação entre Porto Velho e Manaus e incrementaria, em muito, os negócios entre Rondôia e Amazonas. A regularização fundiária; a internacionalização do aeroporto de Porto Velho, com a instalação da alfândega e a renegociação de dívidas do FNO e do BNDES, também fizeram parte da pauta. Foi um momento ímpar, em que os representantes do empresariado de Rondônia puderam expor ao Presidente suas dificuldades e a busca da parceria com a União, para resolver nossos problemas e facilitar nosso crescimento econômico. Um destaque na comitiva foi o ex deputado Constituinte Chagas Neto, presidente do Conselho de Representantes da Fiero. Ele viveu momentos de emoção, ao voltar ao Planalto e a Brasília, a Capital Federal onde cumpriu, no Congresso, um mandato inesquecível, recheado de conquistas para Rondônia.

Compuseram ainda a delegação recebida por Temer, nomes conhecidos do meio empresarial, como o vice presidente da entidade, Osvaldo Rosalino.; Adélio Barofaldi, Cida Mourão, Marcos Cerruti e Maurílio Vasconcelos, assim como o atuante superintendente da Fiero, Gilberto Baptista, braço direito da entidade há muitos anos. Foi um importante momento para Marcelo Thomé e sua troupe. O encontro com Temer, graças ao apoio do presidente da CNI, Robson Andrade, pode trazer resultados práticos em breve. O Chefe da Nação ouviu atentamente as reivindicações e o fez com interesse, porque quer saber dos pleitos dos setores produtivos do país, conforme destacou o presidente da Fiero, depois do encontro. Foi uma avanço, sem dúvida. Com sua economia crescente e quase uma ilha ainda de prosperidade no contexto da pesada crise nacional, a União começa a olhar para Rondônia com interesse especial. Tomara que isso se transforme em apoio, na prática.

QUEM MANDA NA BR 319?

A influência das ONGs internacionais e das empresas ligadas ao transporte de balsas e barcos é tão poderosa, na Amazônia, que esse conjunto de esforços, bem conhecidos, conseguem empacar uma obra da grandeza da BR 319, que liga Porto Velho a Manaus. Dos perto de 900 quilômetros, faltam menos de 300 para serem asfaltados, mais ou menos no meio do percurso entre as duas Capitais. Não adianta a movimentação de governadores da região (Confúcio Moura tem batalhado muito pela obra); dos senadores; das bancadas federais. Nada disso tem peso, ante o poderio das ONGs que dominam a região e as empresas de transporte fluvial. Com o aval de entidades ambientais e com a parceria de gente que trabalha contra a Amazônia, como Marina Silva, essas empresas e as ONGs deitam e rolam, decidindo o que é bom para elas, não para a maioria da população. O governo Temer já prometeu várias vezes recomeçar a obra. Ninguém, entre os que conhecem os bastidores do assunto, acredita nisso.

MATANDO UM LEÃO POR DIA!

Pelos lados da Prefeitura, notícia positiva é de que estão atuando, ao mesmo tempo, 31 frentes de trabalho, em toda a Porto Velho. Os serviços principais são os de limpeza e tapa-buracos, mas há também busca de soluções para problemas de canalização, para escoamento das águas das violentas chuvas que têm se abatido toda a cidade, também estão entre as prioridades. Enquanto isso, o prefeito Hildon Chaves determinou, ainda, duas medidas importantes. A primeira delas, o planejamento para que o 5º BEC execute serviços de asfaltamento e infraestrutura em vários bairros da zona leste, com os 132 milhões de reais de emendas, que deputados e senadores de Rondônia destinaram à Capital. A outra, é que a recém criada Superintendência de Licitações comece a preparar a concorrência pública para o sistema de transporte coletivo, que será realizada ainda esse ano. Hildon alega que não há outra solução para a questão dos ônibus, a não ser realizar a nova licitação. Enfim, trabalho duro é o que não falta pelos lados do Palácio Tancredo Neves. O Prefeito e sua equipe estão tentando matar um leão por dia…
MÁRCIO E OS ÔNIBUS

A situação do transporte coletivo na Capital; os funcionários do antigo consórcio dos ônibus que estão desempregados; as relações dos motoristas e cobradores, via seu sindicato, com a Prefeitura e até o futuro do transporte, com a possível chegada do Uber, são temas que fazem parte da entrevista que o vereador Márcio do Sitetuperon concedeu a Sérgio Pires. Vai ao ar nesse sábado, a partir das 10h30 da manhã, na Record News Rondônia. Pode ser acompanhada pelo Canal 58, na TV Aberta; Canal 358 na Sky e Canal 17, TV a Cabo. Márcio conta os detalhes da situação dos trabalhadores no setor, muitos dos quais até agora não conseguiram voltar ao mercado de trabalho; fala da relação com o prefeito Hildon Chaves e sua administração e conta sua história, desde o começo da carreira até se tornar um dirigente sindical, que agora chegou ao segundo mandato como Vereador. Não perca!
FILME DE TERROR

Uma história de terror, daquelas que a gente imagina só ver em filmes, aconteceu aqui mesmo em Rondônia. Um agricultor manteve toda a sua família em cárcere privado durante anos, ameaçando a todos de morte; teve relações sexuais com suas duas filhas (uma dela, ainda teve um filho dele) e ainda estava “casado” com duas mulheres. A história horripilante aconteceu na pequena Theobroma, localizada na região central do Estado, próximo a Jaru e foi um filme de horror real, durante uma década e meia. O homem, cujo nome não foi divulgado não se sabe porquê, foi condenado em primeira instância a 85 anos de cadeia. Não vai cumprir prisão perpétua e nem pena de morte, que é o que merece, porque por aqui, o crime compensa. E os 85 anos a que foi condenado são para inglês ver. No Brasil, ninguém fica preso por mais de 30 anos. E, com as leis vigentes, em poucos anos o anormal pode estar nas ruas novamente, cumprindo “semiaberto”!. Se fosse num país sério, que valoriza a vida e as pessoas de bem e não os criminosos, ele apodreceria na cadeia. Mas aqui…

O OURO ABUNDA

As denúncias não param. Ribeirinhos estão enviando às redações, fotos e informações sobre o garimpo ilegal de ouro do rio Madeira, que, apesar das afirmações de autoridades de que não existe mais, continua firme. Várias dragas e balsas estão trabalhando em plena luz do dia, na região do Belmont e em outras áreas, muito próximos à cidade. De vez em quando, é feita uma operação policial para retirada dos garimpeiros do Madeira. Eles são afastados num dia e, dois dias depois, estão lá de novo. Não há vigilância, para impedir que as balsas sequer cheguem ao local onde vão prospectar ouro e, ainda, há decisões judiciais contraditórios, eventualmente mandando retirar as balsas e dragas, impondo multas, mas não autorizando destruir os equipamentos ou prender os envolvidos. O garimpo no Madeira, na área em que ele atravessa a cidade de Porto Velho, é proibido há décadas. Mas, mesmo assim, sempre volta. Até porque o ouro ainda abunda no nosso rio.

ILUMINAÇÃO SUPERFATURADA

Durante todo o seu mandato, Mauro Nazif não viu praticamente nenhuma denúncia sobre mau uso do dinheiro público em nenhuma área. Bastou terminar o governo e os problemas começaram. O primeiro deles foi com o Tribunal de Contas, que denunciou suspeita de desvios de mais de 2 milhões de reais, na realização de trabalhos de iluminação natalina em Porto Velho. Três ex secretários e uma assessora técnica foram denunciados e têm prazo de duas semanas para contestarem os números e apresentarem suas defesas. Como muitas decisões do TCE não são detalhadas, quando chegam ao público, ainda não se sabe todos as informações sobre compras ilegais, superfaturamento de enfeites e outros componentes da denúncia. A conclusão do TCE não deixa de ser uma surpresa. Ao menos até agora, não havia um só sinal de ilegalidades no governo Nazif. Sua administração pode ter sido aquém do se se esperava, mas não teria deixado manchas. O Tribunal de Contas diz que não é bem assim….

PERGUNTINHA

Não foi sensacional o parte do depoimento do ex Presidente Lula à Justiça, num dos tantos processos em que ele é réu, ao pedir que as pessoas leiam a Bíblia antes de falar o nome dele em vão, como se Deus fosse?

Comente pelo Facebook

comentários