Rondônia - 20 de setembro de 2017
Home / Notícias / destaque / Um policial morto a cada dois dias, no Rio: A mídia divulgou isso?

Um policial morto a cada dois dias, no Rio: A mídia divulgou isso?

É vergonhosa e facciosa, a cobertura de alguns veículos da grande imprensa, sobre a reação policial contra baderneiros, vândalos e os bandidos, entre outros os do grupo Black Block, que agiram com extrema violência, durante a manifestação da última sexta-feira, principalmente no Rio de Janeiro.

Eventualmente, houve sim excesso aqui e ali, mas a grande mídia continua tratando os policiais como bandidos e os bandidos como vítimas. Ninguém usou expressões como “vândalos” ou “criminosos”, para denunciar os vagabundos que quebram vitrines de lojas: jogaram pedras na PM, fogos de artifício ou queimaram pneus e lixo, impedindo o livre ir e vir, em algumas cidades.

O que se viu foram comentários facciosos, como se um ou outro excesso fosse a prática geral, denunciando policiais que estavam defendendo a grande maioria da sociedade, que não estava envolvida na greve e que, em quase todos os locais onde reagiu, a PM só o fez por ter sido atacada.

É esse tipo de inversão de valores que faz com que os bandidos temam cada vez menos a polícia e que a ataque, matando dezenas de homens da lei, sem que isso seja destacado na grande imprensa. No Rio de Janeiro e apenas lá, para se ter uma ideia, em quatro meses de 2017, foram assassinados por criminosos nada menos do que 56 PMs e seis policiais civis, totalizando 62 assassinatos brutais, um a cada dois dias.

Alguém leu alguma coisa sobre isso? Ouviu na grande mídia protestos, gritos, pedidos de mudança na lei, para proteger a vida de quem protege a sociedade? Nada…O que se lê, vê e ouve são ataques à PM, que, no geral, se defende só quando é afrontada por marginais.

No caso da Greve Geral de sexta, em que se contou meia dúzia de gatos pingados na maioria das cidades brasileiras (exceção aos grandes centros, como Rio, São Paulo e Belo Horizonte, entre outras poucas capitais que tiveram mais gente), é impressionante a parcialidade com que as coisas foram noticiadas. Muitas redações, dominadas pelo esquerdismo, inventaram números fictícios, tentando transformar um fracasso em sucesso, repetindo a máxima do nazista Goebeles: “uma mentira repetida muitas vezes, se transforma em verdade”. O mesmo se pode falar sobre as ações policiais. Houve excessos? Houve sim, como exceção. Mas no geral, a polícia agiu corretamente, enfrentando os baderneiros. Menos, é claro, para os amigos dos Black Blocks e outros bandidos. Para eles, a PM é que não presta. A maioria da população, contudo, sabe muito bem quem é da lei e quem é criminoso.

“LER É ALGO LIBERTADOR!”

Vale a pena divulgar um curto texto, publicado nas redes sociais, pela jovem e competente advogada porto velhense Natália Lemos Mourão, sobre a liberação do empresário Eike Batista: “Antes de emitir críticas severas ao Ministro Gilmar Mendes, que concedeu habeas corpus para Eike Batista, sugiro que antes leia a decisão. Quem é processualista sabe que o Ministro agiu corretamente e que, sobretudo, foi uma decisão bem fundamentada. Como venho dizendo, emitir um juízo de valor sem ler, é temerário e leviano. Ler, meus amigos é algo Libertador. A primeira prisão que você se livra, é das garras perversas da ignorância e, com o passar dos anos, você não aceitará qualquer resposta desprovida de um mínimo de fundamentação e coerência. E não se trata de defender corruptos, mas sim, de garantir uma defesa técnica amparada pela lei, e que todos sejam punidos no limite de sua responsabilidade”. Precisa dizer mais alguma coisa?

A CRUEL BRUTALIDADE

Na semana passada, cinco assassinato brutais numa área de sem terra na divisa de Rondônia com o Mato Grosso, na região de Colniza. Agora, mais três mortes brutais, que podem ter ligação também com questões da terra, na Linha 90. Dessa vez em Vilhena, já em território rondoniense. No primeiro caso, os pistoleiros invadiram um acampamento de sem terra e mataram a tiros e golpes de facão todas as vítimas, numa ação de extrema crueldade. Se alguém achava que não poderia haver coisa pior, a segunda matança o foi. As vítimas, além de mortas covardemente, já que a principal suspeita é que tenham sido emboscadas, ainda foram queimadas dentro dos veículos em que viajavam. Todas eram do Mato Grosso. A brutalidade e a violência extrema chegaram com tudo a Rondônia. Não dá mais para conviver com tantas mortes, como se isso fosse normal. Não podemos nos deixar anestesiar pela violência e para a absurda falta de segurança.

MILHARES NO CONCURSO

O sábado e o domingo próximos (dias 6 e 7) serão decisivos para os planos de cerca de 35 mil rondonienses. Esse é o número aproximado de inscritos para o concurso da Secretaria de Saúde do Estado, a Sesau, que oferece 1.140 vagas, apenas, perto de 25 candidatos para cada vaga. Mas, quando se vai par ao detalhamento, a disputa por vagas é muito mais complexa. O exemplo principal é o do Agente Administrativo, onde 8.776 concorrentes vão buscar apenas seis vagas. Ou seja, cada vaga terá nada menos do que 1.463 candidatos. Os salários vão de 717 reais (menos que o atual salário mínimo), até 9.028. Houve pelo menos um caso em que nenhum candidato se apresentou à vaga: foi para o cargo de médico urologista infantil. Os profissionais da área, que são raros, não apareceram. O concurso terá provas objetivas e será realizada no próximo final de semana, em várias escolas.

O UBER E OS TAXISTAS
Pelas redes sociais, segue a guerra entre taxistas, mototaxistas e adeptos do aplicativo Uber, que, ao menos por enquanto, está distante de Porto Velho, ao menos oficialmente. Os taxistas atacam seus futuros concorrentes, alegando basicamente que eles não têm praticamente nenhum custo, não pagam impostos e ninguém sabe como eles serão controlados. Já os que querem o Uber consideram que o sistema deu certo em todos os lugares onde existe, tem preços muito mais baixos e uma qualidade de serviços muito superior ao sistema atual. Há também ameaças de que, caso comecem a circular na Capital, os carros do Uber podem ser atacados. Uma mensagem divulgada no Facebook, ,dias atrás, avisava: “é bom que o pessoal do Uber faça um bom seguro, antes de sair pra rua!”. Vai haver ainda muita discussão, debates, confrontos e até brigas. Mas, infelizmente para os taxistas e mototaxistas, o Uber é uma realidade. Não tem como mantê-lo por muito tempo fora do transporte individual. O Uber está chegando para ficar. Não tem volta!

HÉVERTON ESTÁ PENSANDO

No meio político, anda crescendo o interesse sobre o nome do promotor público Héverton Aguiar, que estaria disposto a concorrer ao Governo, no ano que vem e que já estaria estudando convites de alguns partidos. Por enquanto, a corrida tem como nomes certos, apenas dois: o presidente da Assembleia, Maurão de Carvalho, que tem crescendo muito em todas as regiões do Estado e o do senador Acir Gurgacz, que tem maior prestígio eleitoral na zona central de Rondônia. Ivo Cassol, Expedito Júnior, Jaqueline Cassol, Mariana Carvalho são nomes fortes, mas ainda não se sabe se entrarão na briga no ano que vem. Aguiar entra como uma cara nova, alguém que nunca participou da vida pública, mas que tem uma importante biografia de serviços prestados ao MP, uma das instituições hoje, entre as mais respeitadas. Numa longa entrevista ao site Rondônia Dinâmica, nessa semana, ele deixou claro que anda pensando no assunto.

LÁ SE VÃO ELES!

Os grandes ídolos da música estão morrendo de velhos. Antes, morriam de overdose ou de excesso de bebida. Agora, estão vivendo mais, mas longe dos palcos, dos microfones, do sucesso. Suas músicas maravilhosas foram trocadas por aquelas comerciais, de mau gosta, sem poesia, apenas mesmices repetidas às dúzias, que inundam as rádios e as TVs, como prova concreta do quanto pioramos em termos de gosto musical. Numa só semana, perdemos dois dos grandes. Primeiro, Jerry Adriani, uma vida inteira dedicada ao rock e à música romântica. Logo em seguida, se foi Belchior, um dos poucos gênios da música popular brasileira, “apenas um rapaz latino americano”! Restam, aos amantes das coisas boas e de qualidade, desligar rádios e viverem de pen drives, recheados de gravações dos tempos em que música e poesia eram a mesma coisa. Lamentável!

PERGUNTINHA

Você votaria no ex Presidente Lula, caso ele possa mesmo ser candidato à Presidência da República mais uma vez, como vem anunciando em suas andanças por todo o país?
Fonte:Sérgio Pires

Comente pelo Facebook

comentários