Home / Notícias / Opinião / Artigos / Estudo com mais de 4 mil participantes de todo o Brasil mostra que 59% dos pais na região Norte escolhem nome composto para o filho

Estudo com mais de 4 mil participantes de todo o Brasil mostra que 59% dos pais na região Norte escolhem nome composto para o filho

A maioria das pessoas não pensa na importância que um nome carrega ou nos significados que possui e escolher o nome para um bebê não é uma tarefa tão simples quanto se pensa. A pesquisadora Carmem de Oliveira em sua tese ‘Os nomes plantados nas árvores genealógicas’, discute que desde o momento da concepção da criança, os pais já constroem por meio de seus desejos e expectativas uma rede simbólica que aparará o bebê psiquicamente. Por meio de um nome a criança é inscrita em uma família e nasce subjetivamente.

Como a escolha de nomes é feita no Brasil?

O Estudo sobre ‘Escolha dos Nomes’ foi desenvolvido pelo portal especialista em saúde feminina Trocando Fraldas com mais de 4.000 participantes de todo o país entre os dias 18 e 23 de agosto deste ano. Um questionário foi disponibilizado no site e os pais responderam de forma espontânea.

 

Foi constatado que 3 em 7 nomes são escolhidos pela mulher. Na região Nordeste, o percentual de decisão pelo nome da criança entre as mulheres é de 45%. Nos estados Tocantins, Alagoas e Acre, mais da metade dos nomes é escolhida pelas mulheres. Os pais decidem em 18% dos casos e participam do processo de escolha do nome junto à mulher em 34% dos casos.

Na região Sul, a escolha foi considerada mais democrática já que 40% dos nomes são escolhidos pelo casal. Nas capitais Curitiba e Porto Alegre, quase metade dos casais escolhe juntos o nome do bebê. Apenas 6% dos nomes são definidos por terceiros e mais de um quarto dos homens nos estados Paraíba e Mato Grosso do Sul decidem sozinhos.

Em qual mês de gestação o nome é escolhido?

A pesquisa conduzida pelo TF constatou que em média a escolha do nome do bebê acontece entre 3 e 7 meses de gestação. Quase um terço dos nomes é escolhido antes mesmo do casal engravidar e somente 1 em cada 6 casais espera até o último trimestre para a definição do nome da criança.

Na região Sudeste a escolha do nome costuma acontecer de maneira mais rápida e no Norte, liderado pelos estados Tocantins, Roraima e Pará demora pelo menos até o quinto mês de gravidez. A decisão mais rápida acontece em Alagoas com pouco mais de três meses de gestação, seguido pelos estados Piauí e Mato Grosso.

O que influencia na escolha do nome do bebê?

Segundo a pesquisa, quase metade dos pais procura por nomes diferenciados, sendo a região Sul a que mais procura fugir do tradicional. Os estados Roraima e Mato Grosso do Sul, 53% e 51% respectivamente, procuram por nomes atípicos.

A segunda influência mais importante na escolha do nome da criança é a tradição familiar com 21%, se apresentando maior na região Norte e nos estados Tocantins e Roraima. A influência familiar é menos impactante nos estados Paraná, Acre e Bahia.

Nomes populares e a religião influenciam na escolha em 1 a cada 6 seleções. O quesito religiosidade se mostrou mais importante no Nordeste e a popularidade de nomes na região Sudeste. Os motivos religiosos se mostraram mais importantes no Distrito Federal, em Pernambuco e em Sergipe e com menos significado nos estados Rondônia e Roraima.

Ficou provado que 1 em cada 25 casais costuma escolher o nome dos filhos baseado em celebridades; 54% dos nomes escolhidos são compostos e 46% simples.

Dentre as dicas para a escolha do nome da criança está pensar em possíveis apelidos para esse nome que poderão ser dados assim que a criança for inserida no convívio com outras crianças e se esse nome ou apelido poderão gerar desconfortos como trocadilhos ou piadas que possam constranger a criança ao longo da vida.

Fonte

OLIVEIRA, C.S.C. Os nomes plantados nas árvores genealógicas. Dissertação de Mestrado. Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo. São Paulo, 77p. 2014