Rondônia - 18 de novembro de 2017
Home / Notícias / Famosos e Variedades / Produtor de ‘Narcos” é morto a tiros no México

Produtor de ‘Narcos” é morto a tiros no México

Carlos Muñoz Portal morreu buscando a melhor face do México. O homem de 37 anos foi assassinado na segunda-feira em uma área rural do Estado do México, uma região violenta no centro do país, enquanto procurava locações para a filmagem da série Narcos, da Netflix, que chegará à quarta temporada no México. Muñoz era um cineasta veterano e especialista em encontrar lugares para filmagens para as grandes produções cinematográficas norte-americanas rodadas no México.

Os fatos que levaram à morte de Muñoz Portal não estão claros. Um amigo da vítima afirma que, na segunda-feira, ele pegou seu carro e rumou para o Estado do México para tirar algumas fotografias para a produção. Não se sabe por que, mas o corpo de Carlos foi encontrado horas depois dentro do carro com vários tiros. O veículo estava em uma estrada de terra sem nome na comunidade de San Bartolo Actopan, no município de Temascalapa. O lugar fica no nordeste do Estado do México, muito perto da fronteira com Hidalgo. Esse Estado, o mais populoso do país, é o que mais tem homicídios. No mês de julho foram registrados 182 casos, uma taxa de 12,2 por 100.000 habitantes.

As autoridades tiveram problemas para reconstruir o crime. “Dado que a região é despovoada, não temos testemunhas”, diz Claudio Barrera, porta-voz do Procurador-Geral do Estado do México. O amigo de Muñoz, que prefere permanecer no anonimato por respeito à família, supõe que a presença de um forasteiro com uma câmera incomodou os moradores, assustados com a insegurança da região. “Talvez pensaram que ele estava coletando informações e começaram a segui-lo em um carro”, diz. “O carro da vítima bateu em um cacto”, confirma Barrera, o que leva as autoridades a pensar que aconteceu uma perseguição. “Não sabemos se ele estava em Hidalgo e de lá o seguiram ou se estava no Estado do México e tentou fugir para Hidalgo”, acrescenta o porta-voz.

Fonte:El País

Comente pelo Facebook

comentários