Home / Notícias / destaque / O 2018 já chega fervendo, com o julgamento de Lula pelos duros juízes gaúchos

O 2018 já chega fervendo, com o julgamento de Lula pelos duros juízes gaúchos

O ano que está chegando será, sem dúvida, de muitas emoções. Há esperança de melhorias na economia, há a quentíssima eleição que se aproxima; há julgamentos de personagens importantes, como é o caso do ex presidente Lula. Aliás, essa será a primeira grande emoção do ano que chega, até porque ele será na quarta semana do janeiro que já bate às nossas portas.

E a partir daí as coisas vão ferver mesmo.

Lula e seus seguidores só aceitam um veredito da segunda instância: a absolvição. Afora ela, para os petistas e seus parceiros, será uma decisão política, apenas para afastar o maior líder da esquerda do país, da sua batalha para voltar à Presidência. O problema maior de Lula, contudo, são os magistrados. E os do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), aquele que julga os recursos dos sentenciados pelo juiz Sérgio Moro, dos envolvidos na Operação Lava Jato. O grupo piorou a situação da maioria dos réus. Entre 71 decisões, praticamente a metade (35) foram de penas aumentadas. E em alguns casos, muito para cima.

O TRF4 manteve 20 sentenças e reduziu apenas 16 delas e absolveu 17 réus. Ou seja, apenas 20 por cento das penas da primeira instância foram reduzidas ou se deu a absolvição do réu. É nesse pequeno percentual, quase uma loteria, que Lula e seus advogados têm se apegado, sonhando que ele possa sair ileso, depois da condenação a mais de nove anos, lavrada por Moro. . Desde que os recursos começaram a ser julgados no TRF4, a maior pena já aplicada é de 43 anos e nove meses, para o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque.

Na primeira instância, a condenação foi de 20 anos e oito meses de prisão. Esse é o grande perigo para o ex presidente.

Há dois grandes perigos para Lula, nesse novo julgamento. Um deles, é claro, será a pena. A dureza dos componentes da turma do TRF de Porto Alegre é notória. Na maioria dos casos, quase dois para um, os réus têm aumento no período de prisão a que foram condenados em primeira instância. O outro, é também pesadíssimo, porque pode encerrar a carreira de Lula. Se punido em segunda instância, além do risco de ir para a cadeia (a decisão também será dos magistrados que analisam o caso), ele automaticamente estará fora da eleição de 2018, já que entrará para a relação dos políticos com Ficha Suja. A pressão sobre o TRF gaúcho é terrível. Piorou depois que foi anunciada a data para o anuncio da sentença. O 24 de janeiro será emblemático e decisivo para Lula, para o PT, para a esquerda brasileira e seus planos para o ano que vem. Eita! O 2018 que está chegando já vem fervilhando. Imagine-se o que ele nos prepara até dezembro?

A CAMPANHA COMEÇA

O ano está terminando, mas a corrida ao voto dos candidatos de 2018 agora sim é que começa a se intensificar. Pelos lados da Câmara de Vereadores de Porto Velho, por exemplo, o número de pré candidatos à Assembleia continua aumentando. Quase uma dezena dos atuais vereadores, que recém completaram o primeiro ano de mandato, já estão de olho numa cadeira na Assembleia Legislativa. Já são pré candidatos confirmados, entre outros: o presidente Maurício Carvalho; Jair Montes, Joelna Holder, Zequinha Araújo, Marcelo Cruz, Alan Queiroz, Junior Cavalcante. Ada Boabaid pode sair como candidata à Câmara Federal. Marcelo Reis também anda pensando. O caso do vereador mais votado, Aleks Palittot, é um pouco diferente. Ele quer entrar na disputa por uma cadeia na ALE, mas só o fará caso seu amigo e parceiro político Léo Moraes decidir mesmo disputar uma vaga na Câmara Federal. Se Léo for à reeleição, pelo acordo que ambos têm, Pailittot não concorre. Ao menos é o que está apalavreado…

NOSSO AGRONEGÓCIO VAI MUITO BEM

O agronegócio está dando um salto em Rondônia. A cada ano que passa, o setor alcança números mais expressivos, tanto na produção quanto no faturamento. Isso inclui, é claro, a exportação de carne de alta qualidade para mais de 40 países. Vendemos também muito queijo. Você sabia, por exemplo, que de cada dez pizzas vendidas em São Paulo, metade tem queijo de Rondônia? A outra boa notícia, nesse pacote de avanços e melhorias, vem das previsões para 2018. Por exemplo, na produção de grãos. Ao contrário dos indicadores nacionais, Rondônia terá o maior crescimento na produção de grãos total da região Norte na safra 2017/2018, com 1.923 mil toneladas, o que representa um incremento de 3,2% que na safra 2016/2017, segundo os dados do 2º Levantamento da Safra 2017/18 de novembro de 2017 da Conab. Em nível nacional, essa produção pode cair em até 6 por cento. O secretário da Agricultura, Evandro Padovani, diz, por exemplo, que o setor produtivo de Rondônia teve um aumento de 238 por cento de área plantada nos últimos 10 anos”..

TRÊS OU QUATRO FICAM FORA

Na Assembleia, a maioria dos parlamentares vai mesmo à reeleição. Não irão o presidente Maurão de Carvalho, que está cada vez mais sólido na sua batalha para substituir Confúcio Moura, no Governo; o deputado Hermínio Coelho, que disputará uma vaga na Câmara Federal e também Léo Moraes, que provavelmente seguirá o mesmo caminho. Adelino Follador, o mais votado na última eleição, iria também tentar uma vaga no Congresso, mas abriu mão para que seu filho, Lucas Follador, vice prefeito de Ariquemes, concorra à Câmara. Pai e filho formarão uma dobradinha na região ontem ambos são bons de voto. O deputado Lebrão estava pensando em se aposentar, mas parece que mudou de ideia. Ou seja, a tendência é que pelo menos 20 (ou 21) dos 24 parlamentares estaduais disputem mais um mandato, concorrendo com cerca de 300 novos e velhos postulantes. Os palpites sobre renovação no parlamento estadual vão dos mais drásticos, que falam em até 70 por cento de novos nomes, quanto aos que acham que as mudanças não serão drásticas, até porque esse mandato foi bastante positivo para praticamente todos os atuais ocupantes de cadeiras na ALE. Veremos no que vai dar.

OS QUE VÃO À REELEIÇÃO

Os parlamentares que tentarão a reeleição, caso não haja novas mudanças no quadro político do Estado, até meados de março do ano que chega: Adelino Follador, Aélcio da TV, Airton Gurgacz, Alex Redano, Cleiton Roque, Dr. Neidson, Edson Martins, Ezequiel Junior e Anderson Pereira; Jean Oliveira e Jesuino Boabaid, Laerte Gomes, Lazinho da Fetagro e Lebrão. Ainda estão na lista: Geraldo de Rondônia, Luizinho Goebel, Marcelino Tenório, Ribamar Araújo, Rosangela Donadon, Saulo Moreira e Só na Bança. Esses atuais deputados vão disputar, no voto, com centenas de lideranças: prefeitos, ex prefeitos, ex deputados, vereadores e ex vereadores; empresários e caras novas na política, as 24 vagas para o mandato de 2019/2022. A tendência do eleitorado será manter o que deu certo ou ele vai achar que o melhor para o Estado é renovar? E renovar em quanto? O que se pode prever é que haverá sim uma dura disputa em todas as regiões do Estado. Prevê-se que mais de 300 rondonienses entrem na briga pelas cadeiras da Assembleia Legislativa. Lá pelo meio do ano que vem, teremos ao menos uma ideia do que anda pensando o eleitor, nesta questão.

VENDAS FORAM BOAS

Falta muito ainda para fechar os números das vendas natalinas no comércio da Capital, mas pelo que se viu nas ruas, nos dias que antecederam à festa, as vendas foram sim bem mais positivas que no ano passado. Nas promoções da CDL, os chamados Domingões, o público foi excelente, tanto na zona leste, quanto na Jatuarana, quanto na Sete de Setembro. O comércio de rua só não vendeu mais porque o cliente não tem onde estacionar seu carro. Sem isso, não para e não compra. Como Porto Velho é a única capital brasileira de médio porte ainda sem estacionamento rotativo, os prejuízos aos lojistas são óbvios. No Porto Velho Shopping, a movimentação da semana pré Natal foi intensa, principalmente na quinta e na sexta-feiras. Mesmo com o estacionamento a pornográficos 8 reais, o porto velhense foi em peso ao centro comercial, até pela segurança que ele oferece. Nesses próximos dias, os números oficiais certamente mostrarão aumento nas vendas do comércio, neste período de Natal.

CORRUTOS NÃO, ASSASSINOS SIM!

Corruptos, comprovadamente corruptos, tem que ir para a cadeia e não receber quaisquer benefícios. Não importa quem sejam. Os procuradores envolvidos na Operação Lava Jato, deixaram isso bem claro, ao protestarem, com notas pessoais e muita ironia, contra a decisão do presidente Michel Temer de facilitar a saída destes criminosos da cadeia. É sim um deboche contra o povo brasileira e trabalhador, achacado e roubado por essa gente. Então, o que está errado aí? Simples. Não se ouve, nos meios jurídicos, salvo honrosas exceções e muito menos do Ministério Público e seus representantes, em sua grande maioria, protestos contra a soltura de bandidos perigosos, assassinos sanguinários, que têm benefícios legais para andarem soltos nas ruas, em datas especiais. Não gritam os procuradores quando uma assassina dos próprios pais usa o deboche da lei para sair da cadeia para festejar…o Dia das Mães. Ou seja, toda a dureza da lei aos corruptos. Toda a moleza da lei aos assassinos cruéis. Isso está certo? As pessoas de bem deste país podem responder a esta pergunta com toda a clareza.

PERGUNTINHA

Seu Natal foi melhor ou foi pior do que o ano passado, colocando na balança todas as questões que devem ser levadas em conta ao se fazer uma análise como essa?

Fonte:Sérgio Pires