Home / Notícias / Religião / Estudos de Provérbios / Provérbios 29:18 – Não havendo profecia, o povo se corrompe; mas o que guarda a lei, esse é bem-aventurado.

Provérbios 29:18 – Não havendo profecia, o povo se corrompe; mas o que guarda a lei, esse é bem-aventurado.

As escrituras inspiradas de Jeová são cruciais para a sua vida. Sem uma revelação da vontade de Deus, a humanidade é desesperadamente ignorante e perecerá na ignomínia e na dor. A realização e a felicidade se obtêm guardando os mandamentos de Deus, que só podem ser conhecidos se atenção for dada à Bíblia. Negligencie a Bíblia por sua conta e risco! A lição deste provérbio é simples, mas a maioria das pessoas é enganada por uma falsa interpretação e aplicação.

O mercenário convidado por um ambicioso pastor diz à igreja contente, “Para ser uma grande igreja, você tem que pensar grande. Se você quer crescer, então você tem que pensar crescimento. Se você quer triplicar a frequência em dois anos você terá que construir um auditório que comporte esse número. Se você pode sonhar com isso, você pode crer nisso. Se você pode crer nisso, você vai conseguir chegar lá. Até mesmo Deus concorda. A Bíblia diz, “Onde não há visão, o povo perece”. Tenha uma visão, povo! Tenha uma visão que triplique o tamanho de sua igreja! Assine o seu cartão de compromisso hoje, e ajude o seu pastor a obter aquela hipoteca multimilionária.”

Quem é que nunca ouviu essa breve mensagem, “Onde não há visão, o povo perece”? Temos aqui um dos versículos mais abusados na Bíblia. Isto é o ruído das palavras sem nenhuma consideração com o sentido das palavras. Senhor nos salva do uso tão ignorante e desrespeitoso com as Suas escrituras.

Este provérbio é frequentemente corrompido para seduzir as igrejas a tomarem altas somas de dinheiro para financiar projetos de construção desnecessários. A “visão” é o plano para aumentar o tamanho da igreja; e o “perecer” é o continuar no mesmo curso de uma construção adquirida e paga. Que travestimento de interpretação bíblica! Que o SENHOR possa lhe abençoar ao ler e compreender o sentido deste provérbio, da mesma forma em que Esdras leu e transmitiu o verdadeiro sentido a Israel (Ne 8:8).

Com frequência encontramos o paralelismo no livro de Provérbios ensinando que “visão” é o ouvir e ler a palavra de Deus. Pois um homem feliz é contrastado com povo perecendo, e a lei de Deus é contrastada com “nenhuma visão”. Não temos nada aqui a respeito de sonhos ou planos de construir.

A lição é simples, porém ponderosa. A palavra de Deus é uma grande benção e no obedecê-la está o alicerce da verdadeira felicidade: mas onde a palavra de Deus não é pregada, o povo morrerá na ignorância por inanição de conhecimento. Senhor, salve-nos de tal ruína!

Às vezes Deus pode tirar a Sua palavra do Seu povo. Considere os primeiros dias de Samuel que ungiu Davi rei de Israel. A palavra de Deus, ou uma revelação de Deus, era rara naqueles dias, e é especificamente chamada de visão. Em geral, Deus não estava revelando a Si mesmo e a Sua vontade à nação até que Samuel chegou (ISm 3:1).

Deus retirou a Sua palavra em outras ocasiões, também. Sob Asa, a nação tinha passado um longo período sem um sacerdote que ensinasse ou tivesse a lei de Deus (IICr 15:3). E durante o reinado de Josias, a lei de Deus que havia sido perdida, foi encontrada durante a renovação do templo (IICr 34:14). Enquanto estavam na Babilônia, Deus também retirou a Sua palavra do povo de Israel (Ez 7:26; Lm 2:9). Jesus viu o Seu próprio povo, sem a fiel pregação, como ovelhas sem pastor (Mt 9:36).

Sem a palavra de Deus para salvá-lo, o homem zelosamente adorará árvores, queimará galinhas como sacrifício, ensinará a reencarnação, acreditará que ele veio do macaco, comerá um deus-bolacha, beijará uma pedra em Meca, adorará um búfalo, queimará as viúvas em piras funerais e assim por diante. Sem a palavra de Deus, o homem se desviará do caminho do entendimento e permanecerá na congregação dos mortos, para perecer sob as desilusões de Satanás (Pv 21:16; At 26:16-18; Ef 2:1-3).

Quando Paulo pregou em Listra e Atenas, ele explicou que Deus tinha deixado os gentios para andarem nos seus próprios caminhos ignorantes sem a Sua palavra durante muitas gerações, mas que agora Ele estava ordenando aos homens que se arrependessem de suas ignorâncias (At 14:11-18; 17:22-31). Sem as escrituras, os homens com as suas vorazes ambições se apressarão a praticar os mais vis estilos de vida (Ef 4:17-19).

No nosso próprio mundo, grandes porções dele estão fechadas para a leitura e pregação da palavra de Deus. É geralmente proibido em países muçulmanos, hindus e budistas. Onde não é lido nem pregado, o povo sofre na ignorância e tolice de toda a sorte. Sem a palavra de Deus tais nações estão religiosamente “sem esperança” (Ef 2:12; Jo 4:22; ITs 4:13), e eles não conseguem criar “invenções engenhosas” ou até mesmo o progresso natural (Pv 8:1-31).

Um sexto do mundo é católico, onde até recentemente seus membros não tinham a permissão de ler a Bíblia, e a Missa – sua única exposição às Escrituras, eram realizadas em latim! Que ignorância supersticiosa! E isto no nome da religião! Compare um país católico com aqueles à sua volta, e o perecimento através da ignorância é claramente visível. Como não receberam o amor da verdade, Deus enviou-lhes as desilusões (IITs 2:9-12).

A lógica é simples. A salvação religiosa ocorre pelo clamar no nome do Senhor Jesus Cristo. Mas como é que eles podem clamar sem crer? E como podem crer sem que ouçam? E como ouvir se não há pregador? E como pregarão se não forem enviados? Deus retirou a Sua palavra de um mundo que a rejeitou (Rm 10:13-17).

O Senhor avisou que um dos seus juízos é a retirada da palavra de Deus e deixar que o povo fique faminto por Ele e pelas escrituras. O Senhor diz: “O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porque tu, sacerdote, rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos” (Os 4:6). Ele descreveu a fome que Ele trará sobre a terra: não uma fome de pão mas uma fome de ouvir a palavra de Deus (Am 8:11-12). Senhor, salve-nos!

Os Estados Unidos estão nessa condição. Eles estão cumprindo os tempos perigosos dos últimos dias, profetizados por Paulo (IITm 3:1-5). Apesar de terem uma explosão de informações com aumentos geométricos no aprendizado, não há nenhuma habilidade para identificar ou aprender a verdade (IITm 3:6-7).

Falsos mestres estão trabalhando em todos os lugares, enganando e sendo enganados (IITm 3:8-13). Os tais chamados cristãos ressentem a sã doutrina e verdade, e eles multiplicam professores e humoristas que farão comichão em seus ouvidos e nos seus desejos sexuais com fábulas (IITm 4:3-4). A pregação está fora da moda, tedioso e atividade negativa. Regras de entretenimentos! Não há mais visão! A América do Norte está no meio de uma escassez da palavra de Deus.

Os homens estão vivendo vidas disfuncionais e pervertidas e estão perecendo na tolice e na ignorância! Cristãos através da nação estão famintos de ouvir e compreender a palavra de Deus, mas não conseguem achá-la sendo pregada em parte alguma. Confusão e erros reinam sobre todo e qualquer assunto.

Qual é a cura? Os homens chamados por Deus devem pregar a Palavra de Deus fiel e dogmaticamente. A escritura é suficiente para fazer com que fiéis ministros sejam preparados para instruir o seu povo em toda a sabedoria de Deus (IITm 3:14-4:2; Jr 3:15). Tendo a Bíblia como o seu manual, o homem fiel de Deus pode destruir os erros e as ilusões de qualquer povo, pois a palavra do Senhor é um martelo e um fogo (Jr 23:28-29).

Qual é a outra forma de cura? Honre a fiel pregação da Sua palavra com uma mente disposta e receptiva, e não despreze os ensinos bíblicos à moda antiga (At 17:11; ITs 5:20; Jr 6:16). Rejeite qualquer movimento voltado para a adoração contemporânea em sua igreja, e restaure uma ênfase apropriada às mensagens estrondosas da palavra de Deus por professores ordenados. Reveja a grande alegria e celebração nacional de Israel ao ouvir e compreender a pregação (Ne 8:1-12).

Qual é a outra cura? Dê valor à Sua palavra como sendo a sua maior possessão terrestre e alegre-se em suas gloriosas palavras do céu; (Jr 15:16; Jó 23:12; Sl 19:10; 119:72,103,111). Promova a Bíblia como sendo a autoridade absoluta e final em todos os assuntos onde você pode, em desafio consciente a essa geração MTV e as suas obsessões com fábulas e prazer. Certifique-se de que você tenha uma versão da Bíblia na qual você pode confiar

O que mais você pode fazer? Obedeça humildemente em sinceridade e verdade aquilo que você lê e ouve da Bíblia, não obedecendo meramente por aparência, mas por um ritual e hábito religioso (Ez 33:30-33; Lc 8:18). Que os outros possam ver a sua verdadeira convicção a respeito das escrituras pela sua obediência a elas.

Que mais? Mostre a verdadeira alegria, paz e esperança em crer, que faça com que os outros sejam estimulados a lhe perguntarem a razão da vossa fé (Rm 15:13; IPe 3:15). Aqueles que estavam sob a influência do Espírito em Pentecostes não consideraram a visão deles como algo leve (At 2:42-47). Pela obediência à Bíblia e tendo uma vida abençoada, você fará muito para levá-la aos outros.

Há grande recompensa em ter e obedecer a Palavra de Deus (Sl 19:11). Moisés disse a Israel que as preciosas revelações que eles tinham recebido de Deus era a sabedoria e compreensão deles acima de todas as outras nações (Dt 4:5-10), as suas justiças e os meios para receberem a benção Dele (Dt 6:20-25), e mesmo as suas próprias vidas (Dt 32:46-47). Construindo sobre este sólido alicerce vai lhe preparar bem para as tormentas da vida que certamente virão (Lc 6:46-49).

Jesus falando a respeito de sua pregação, disse: “Ora, se sabeis estas coisas, bem-aventurados sois se as praticardes” (Jo 13:17). Ele até disse a uma mulher que o ouvir e guardar a palavra de Deus era uma benção maior do que ser a Sua própria mãe (Lc 8:21; 11:28). E Tiago acrescentou que as bênçãos são para aqueles que ouvem e praticam (Tg 1:25). Certifique-se de que você é um praticante!

As Sagradas Escrituras e a fiel pregação delas fornece mais valor para o povo do que qualquer outra benção. Pois a obediência à palavra de Deus salva da terrível ignorância e dos aborrecimentos, conduz à mais alta paz, prosperidade e prazer possível neste mundo, e contém todas as instruções espirituais para se preparar para o mundo seguinte. Ela nos ensina como devemos andar com Deus em confiança da vida eterna e da comunhão pessoal com Ele. Glória!

O Senhor Jesus Cristo ressuscitou dos mortos e ascendeu à mão direita de Deus. Lá Ele recebeu grandes presentes e despojos pela Sua vitória sobre o pecado e a morte, e Ele, por sua vez, tem distribuído esses presentes de habilidade ministerial e de autoridade para pregar as escrituras ao seu povo e às igrejas. Regozije-se e sê muito feliz pois tens visto os belos pés (Rm 10:15; Jó 33:23-24)e ouviram o som alegre (Sl 89:15; Sl 68:11; Rm 10:18).

Caro leitor, você ama, aprecia, lê e obedece a Bíblia como deveria? É a sua vida! Sem ela você perecerá! Se a negligenciar você o faz por sua conta e risco de vida e da alma! É a sua felicidade! Exalte-a para a alegre benção de sua própria vida e da sua família!