Home / Notícias / Suíça condena banqueiro por omissão no caso de Cerveró

Suíça condena banqueiro por omissão no caso de Cerveró

A Justiça suíça condena, pela primeira vez, um banqueiro por conta de seu papel em esquemas de corrupção revelados pela Lava Jato, informa o Estadão.

Diretor-adjunto do banco Heritage, Thierry Zumstein violou as leis do país europeu ao não notificar às autoridades sobre as movimentações suspeitas de Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobras que conseguiu, assim, praticamente esvaziar sua conta.

Zumstein havia sido condenado em primeira instância a pagar uma multa de 30 mil francos suíços, mas recorreu. Apesar de confirmar a condenação, o Tribunal reduziu a pena para apenas 15 mil francos e os custos do processo, uma fração do valor que passou pelas contas de Cerveró.

“Ainda assim, a condenação é considerada como simbólica, já que representa um reconhecimento das falhas dos bancos no esquema no Brasil.”

Os bancos suíços passaram a ser investigados neste sentido depois que o Ministério Público em Berna descobriu mais de mil contas envolvendo o escândalo brasileiro.