Rondônia - 22 de julho de 2018
Home / Notícias / Colunas / Opinião de Primeira / Liberdade total ou censura? Como resolver o caos da cultura brasileira?

Liberdade total ou censura? Como resolver o caos da cultura brasileira?

Será censura, protestar contra a letra de uma música que exalta o estupro e a transformação da mulher apenas como um objeto sexual descartável? Será censura exigir que manifestações culturais como as que colocam uma criança, uma menina de seis anos, tocando um homem nu numa exposição, seja extirpada do circuito de exposições culturais? Será censura os constantes protestos de alguns pais, Brasil afora, contra a exposição sexual em horário nobre de TV? Serão apenas censores os que berraram contra cenas de lesbianismo e beijo gay entre duas garotas, numa novela para crianças e jovens, no final da tarde? Afinal, o que é arte e o que é censura? Alguém deveria ter o poder de censurar o que quer que se analise, num país onde a democracia é plena e a liberdade total? Todas essas perguntas vêm a calhar, nesse momento em que o Brasil se racha no meio, também nesta questão.

De um lado estão os artista e seus seguidores e patrocinadores, que não aceitam controle algum sobre a criação cultural, seja nas artes, no cinema, na música, na poesia, no teatro. De outro, os que acham que criança junto com homem nu é cena impossível de se aceitar. Que acham que beijo gay entre meninas é forçação de barra. Que pensam que quando um cantor de funk, (um tal MC Diguinho), faz uma música de sucesso, compartilhada por milhões de pessoas nas redes sociais, dizendo, por exemplo: “só uma surubinha de leve, com essas filhas da puta; taca bebida nelas, depois taca a pica e abandona na rua”! é um absurdo. Isso é arte? MD Diguinho diz que é. E avisa: se essa minha música é um incentivo ao estupro, muito prazer, sou o novo estuprador na praça!”. E agora?

Há sim uma parcela do mundo das artes com criatividade, bom gosto, senso crítico, exagerado até, às vezes; mas também é verdade que o domínio do que há de pior nas artes e na cultura foi solto, de uma só vez, na vida brasileira. Muitas músicas, adoradas por multidões, são horrorosas, sem poesia, sem criatividade, com rimas forçadas. Há muitos anos não surge algo que preste na musica popular brasileira. Não há textos novos no nosso teatro e os que aparecem, raramente, são sofríveis.

As novelas ensinam sacanagem e putaria, mas pouco de cidadania e de respeito às famílias e às pessoas que não concordam com tudo isso. Qual a última grande exposição de um artista brasileiro que mereceu destaque, a não ser por mau gosto e escândalos? “Nossa música chegou à fase anal!”, lamentou o cantor Lulu Santos. É um resumo, mas infelizmente, é apenas uma pequena parte da triste e lastimável verdade: a porcaria cultural registra e toma conta do nosso país.. E cresce porque tem público!

O DEDO APONTADO, SEM HIPOCRISIA

Por que, então, estamos nesse profundo abismo do mau gosto e da baixaria? Ah, resposta fácil. Então, para se responder a todas essas perguntas, não se pode ser hipócrita. Tudo isso só cresce no nosso país porque tem público. O povão adora sacanagem, letras de músicas horrorosas, de sentido duplo; adora cenas de sexo na TV e as aplaude, mesmo que seus filhos estejam crescendo com essa distorcida visão das coisas; aplaude um doido que escreve uma música transformando as mulheres em objetos, como se elas merecessem serem maltratadas, estupradas e jogadas no meio da rua. Como se isso não ajudasse a piorar a situação, num país em que, todo o ano, 50 mil mulheres são estupradas. Nenhuma dessas coisas terríveis que abundam na nossa cultura, teria qualquer chance de sucesso, se não tivesse o aval do público. Os que dizem que vivemos uma época de horror em termos culturais estão errados? O que disse Lulu Santos retrata a realidade, mas é apenas um resumo, uma pequena parte da triste e lastimável verdade: a porcaria cultural se amplia e toma conta do nosso país. E cresce apenas por um motivo: porque tem público!

DOIS PARTIDOS NA MÃO

Tem fofoca, tem conversa de bastidores, tem muita coisa falsa. Informação que é bom, pouca! Por exemplo: não há qualquer pingo de realidade na história de que o candidatíssimo ao Senado (ou ao Governo) Expedito Júnior, estivesse pensando em trocar de partido, saindo do PSDB, por discordâncias com a presidente regional Mariana Carvalho. As divergências existem sim, mas estão distantes de uma ruptura. Expedito estaria assinando um atestado de burrice, caso deixasse que o ego o engolisse nesse episódio. Primeiro, porque ele só não tem a Presidência do partido tucano no Estado. Todos os demais cargos da Executiva são nomeações dele. Segundo, porque ele tem o total apoio do PSD, dominado no Estado por seu filho, o deputado federal Expedito Neto. Ora, se tem nas mãos duas siglas, porque abriria mão de uma delas? Só se fosse neófito na política ou ingênuo, coisas, aliás, que Expedito Júnior está longe de ser. Pelo contrário. Ele é experiente e conhece toda a malandragem do jogo político. Fica onde está e vai disputar ou o Senado (o que é muito mais provável) ou o Governo do Estado, pela sigla dos tucanos. E com parceria forte de todo o PSD, a menos que aconteça um grande terremoto político, o que está muito longe de ocorrer.

MACONHA PARA O GUINESS

Segundo informações de sua assessoria, a Polícia Rodoviária Federal, em Porto Velho, apreendeu a maconha mais cara do Planeta. Vai acabar indo para o livro de recordes do Guines. Enquanto o quilo “da boa” no mercado, comprando-se já por preço aviltado, não passa de 4 mil reais, para a PRF, sua apreensão de 27 quilos da droga, representou um prejuízo de 1 milhão e 300 mil reais aos traficantes. Ou seja, 48 mil e 150 reais o quilo. Um quilo de cocaína comum, no mercado, pode ser encontrado por até 25 mil reais Pois a maconha apreendida pelos patrulheiros, perto do centro de Porto Velho, dentro de uma camioneta, valeria muito mais. Se fossem 27 quilos de cocaína, o valor seria algo em torno de 675 mil reais, ou seja, a metade da apreensão. É importante que, quando as informações são repassadas à comunidade, que haja um mínimo de conteúdo, para que se tenha credibilidade. Colocar o quilo da maconha a mais de 48 mil reais, é algo tão fora do contexto, que, ao invés de se elogiar a ação eficaz dos policiais, o que se comenta é o superpreço da droga apreendida. Menos, menos! Ah, e para que não se diga que o colunista conhece tudo sobre drogas, nada disso. Basta pesquisar no Google que os preços estão todos lá!

OS PISTOLEIROS AGEM

Os crimes de pistolagem continuam ocorrendo em Rondônia e, infelizmente, a maioria deles jamais são punidos, simplesmente porque a polícia não descobre autores e nem mandantes. Na manhã desta terça, mais um desses assassinatos brutais e covardes foi registrado em Porto Velho. Dois motoqueiros, armados com pistolas Ponto 40 (aquelas que o cidadão comum jamais pode ter para se defender, mas que abundam nas mãos dos bandidos), fuzilaram, numa rua movimentada e em plena luz do dia, um ancião de 70 anos, fazendeiro. Não se sabe ainda os motivos do crime. Pode ser por questões de terras ou por dívidas, segundo teria comentado um dos familiares da vítima. O que surpreende é a facilidade com que esse tipo de assassino transita no meio da comunidade. Espera-se que esta brutalidade a mais, não entre também para o rol dos que nunca são esclarecidos. Matar já é uma moleza. Com a legislação de proteção à bandidagem, então, tornou-se melhor ainda para a prática de crimes de morte. Mata-se por meia dúzia de tostões, até porque os assassinos sabem que as chances de irem para a cadeia e/ou cumprirem longos penas é tão grande quando a do Sargento Garcia prender o Zorro. Lamentável!

NÃO HÁ POLÍCIA PRA TANTO LADRÃO!

Mais uma operação nacional da Polícia Federal e, outra vez, rondonienses também estiveram no alvo das investigações, em Porto velho, Ji-Paraná e Vilhena. Operação que busca desbaratar um grande esquema de importação ilegal de equipamentos médicos, foi realizada em 18 Estados e 43 cidades. Equipamentos sofisticados e caríssimos, como mamógrafos, tomógrafos, aparelhos de densitometria, que custam muito caro, eram trazidos para o país com notas falsas, como se fossem equipamentos tipográficos. Tudo para escapar das tributações e, ainda, sem passar pelo aval da Anvisa, já que só ela pode autorizar tais importações. Nas três cidades de Rondônia, foram apreendidos vários equipamentos, cujas notas fiscais emitidas por uma empresa de São Paulo, que os distribuía a todo o país, tinham valores de menos de 10 por cento do seu custo real. Mesmo com todas as mudanças que o país está passando; com a descoberta, denúncia e prisão de corruptos, a sacanagem continha grassando país afora. É tanta gente roubando, corrompendo, fazendo mutretagens, que se chega a perder a esperança de que, algum dia, conseguiremos nos livrar dessa canalhada toda. Não há polícia suficiente para prender tanto corrupto e tanto ladrão…

PSL/LIVRES FICA COM BOLSONARO

Muda pouco no PSL (Livres), de Rondônia, depois que o partido se reuniu para definir quantos dos seus membros aceitariam continuar na sigla, depois do ingresso nele do presidenciável Jair Bolsonaro. Tão logo o polêmico deputado que quer suceder Michel Temer e sua equipe assumiram o PSL/Livres, em vários diretórios do país houve burburinho e vozes contrárias. Em Rondônia não foi diferente. Mas, reunida no último sábado, a cúpula do partido no Estado decidiu que permanecerá nele a maioria dos membros. A principal perda foi a do jovem empresário Augusto Pellucio, que chegou a ser cogitado até como pré candidato ao Governo, como uma cara nova na política. Pellucio decidiu abandonar o projeto de integrar o partido, mas continuará sua outa pela renovação na política. Ele é um dos poucos representantes da região, participantes de projeto nacional exatamente na direção de uma total renovação da filosofia e dos nomes na política brasileira. Mas agora o fará fora do partido que estava liderando. Os demais integrantes da sigla, contudo, vão ficar onde estão e apoiar o nome de Bolsonaro para a Presidência, nas eleições de outubro deste ano.

LOURA JUNIOR E A FIDELIDADE PARTIDÁRIA

Um porto velhense ilustre, especialista em Direito Eleitoral e que, aliás, já atuou como juiz na Justiça Eleitoral do Estado, recebeu um honroso convite: Ele partiu de grandes autoridades no assunto, entre as quais o ministro Luiz Fux, do TSE e do STF. O advogado Juacy Loura Júnior foi convidado para escrever artigo que fará parte de uma obra coletiva, relacionada com profundas questões da legislação eleitoral brasileira e que será apresentada em junho próximo, durante o VI Congresso Brasileiro de Direito Autoral, que acontecerá em Curitiba, de 22 a 26 de junho próximo. O convite, assinado por Fux e por especialistas como os professores Luiz Fernando Pereira e Walter de Moura Agra, propõe que Loura Júnior escreva, usando todo o seu conhecimento na área, sobre o tema “Fidelidade Partidária: Evolução do Seu Conceito e Perspectiva”! O texto informa que o convite ao rondoniense foi feito “em razão de sua elevada estima intelectual e da grande contribuição de sua produção acadêmica, além da destacada atuação profissional com o Direito Eleitoral do nosso país. É sem dúvida uma homenagem a Rondônia e a um dos seus representantes.

PERGUNTINHA

Você concorda com a possibilidade, que está sendo discutida, de que o famigerado cheque especial, aquele que tem os juros mais altos do mundo, seja liberado por apenas alguns meses por ano aos clientes dos bancos?

Fonte:Sérgio Pires