Home / Notícias / Norte / Roraima / RESGATE | Corpo de Bombeiros colabora na remoção de deputado acidentado na Venezuela | RORAIMA

RESGATE | Corpo de Bombeiros colabora na remoção de deputado acidentado na Venezuela | RORAIMA

Resgate do deputado Dhiego Coelho (2)

Equipe do CBMRR (Corpo de Bombeiros Militar de Roraima), acompanhada de dois médicos designados pela Sesau (Secretaria Estadual de Saúde), deu apoio para remoção do deputado estadual Dhiego Coelho, nesta terça-feira, que sofreu um acidente na segunda-feira, 12, no Estado Bolívar, na Venezuela, e foi resgatado pelo Exército do país vizinho.

O parlamentar sofreu uma lesão na coluna, ao saltar de uma altura de dez metros em uma cachoeira na região de Gran Sabana, proximidades da cidade de Santa Elena de Uairén.

De acordo com o comandante-geral do Corpo de Bombeiros de Roraima, coronel Doriedson Ribeiro, a solicitação de ajuda foi feita por volta das 17 horas da segunda-feira. O trabalho de remoção teve o apoio da Sesai (Secretaria Especial de Saúde Indígena), do Ministério da Saúde, que estava com helicóptero na região do Uiramutã, e participou da ação, por solicitação da Assembleia Legislativa de Roraima. O Exército brasileiro também contribuiu nas atividades de resgate.

Chegando à Venezuela, a equipe do CBMRR foi de helicóptero até o local onde se encontrava o deputado, já imobilizado e estabilizado, pois recebeu os primeiros socorros do Exército do país vizinho. Ele foi levado para a sede do município de Uiramutã e chegou a Boa Vista por volta das 9 horas desta terça-feira.

Segundo o secretário estadual de Saúde, Marcelo Batista, a situação do deputado Dhiego Coelho é considerada estável. “Ao ser atendido no HGR (Hospital Geral de Roraima), ele passou por uma tomografia. Foi verificada uma pequena lesão na coluna. O neurocirurgião avaliou e não se trata de caso que exija procedimento cirúrgico. Ele está imobilizado, passando por tratamento, porque apresenta um quadro de dor. Permanece em observação e depois vai pra casa e ficará fazendo tratamento ambulatorial”, explicou.