Home / Notícias / Centro-Oeste / Mato Grosso / Sesp determina reforço para prisão de criminosos que feriram cinco em tentativa de resgate de preso

Sesp determina reforço para prisão de criminosos que feriram cinco em tentativa de resgate de preso

A Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp) determinou reforço das Polícias Militar e Civil para a prisão dos criminosos que feriram cinco pessoas durante tentativa de resgate do preso José Edmilson Bezerra Filho, 31 anos, na tarde desta terça-feira (13), na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Morada do Ouro, em Cuiabá.

Ficaram feridos: o agente prisional  D.P.P.; o bebê de 6 meses V.H.C.M.; a mãe da criança, E.C.S., 22 anos; a paciente D.S.R.; e R.S.S., que foi atingida por um disparo na perna. 

Os feridos estão internados no Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá e todos estão estáveis. O bebê já foi submetido a cirurgia e passa bem. Ainda assim, a Polícia Militar destacou uma equipe policial para acompanhar a situação dos feridos na unidade. Uma equipe da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) acompanha a situação do agente prisional ferido.

O reeducando não chegou a ser resgatado. José Edmilson está preso no Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC) e responde por homicídios.

De acordo com as informações colhidas pela equipe de plantão da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), coordenada pelo delegado Marcelo Jardim, três homens armados tentaram resgatar o preso, que estava realizando triagem na recepção da unidade de saúde. Eles teriam feito uma mulher refém, contudo, os agentes penitenciários, que faziam a escolta do preso, em rápida ação evitaram o resgate. 

Houve troca de tiros, resultando nos cinco feridos. Cápsulas de projeteis de armas de fogo foram recolhidas no local e serão encaminhadas à Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), que também esteve no local realizando a coleta de vestígios para auxiliar nas investigações da Polícia Civil.

Os criminosos fugiram e as Polícias Civil e Militar trabalham para identificar e prendê-los.