Rondônia - 17 de agosto de 2018
Home / Notícias / Religião / Estudos de Provérbios / Provérbios 14:25 – A testemunha verdadeira livra as almas, mas o que se desboca em mentiras é enganador.

Provérbios 14:25 – A testemunha verdadeira livra as almas, mas o que se desboca em mentiras é enganador.

Mentiras custam vidas; verdades salvam vidas (Pv 18:21). Testemunhas têm que contar aquilo que sabem para livrar o inocente (Pv 24:12; 31:8-9). A testemunha pode salvar uma pessoa em dificuldade, contando a verdade, ou a testemunha pode condenar uma pessoa ao mentir a respeito da mesma. O poder de uma testemunha é enorme, e você tem oportunidades todos os dias para ser uma fiel testemunha ou uma testemunha enganosa. É importante que você determine em seu coração e na sua boca para sempre contar a verdade.

O provérbio de hoje é o resultado de uma simples observação a respeito de testemunhas. A lição oculta é o poder da verdade ou da mentira na boca de uma testemunha. Uma testemunha verdadeira pode salvar um homem inocente de suspeitas ou falsas acusações. Uma testemunha mentirosa pode destruir um homem inocente ao criar suspeições enganosas ou confirmar falsas acusações. O dano causado por testemunhas é muito grande, o que deveria nos provocar a amar a verdade e os homens verdadeiros e odiar mentiras e mentirosos.

A lei perfeita de Deus, que é mais excelente do que as leis de qualquer nação, exige, no mínimo, duas testemunhas antes que uma acusação possa ser aceita contra qualquer pessoa (Nm 35:30; Dt 17:6; 19:15; Mt 18:15-16). Só uma testemunha não é suficiente, porque é muito fácil para uma pessoa amargurada ou com raiva arruinar a vida de outros usando mentiras enganosas. É raro passar o dia sem que você leia ou ouve alguma coisa a respeito de reputações e vidas que foram afetadas ou destruídas por um só mentiroso.

A lei perfeita de Deus protege contra o perjúrio ou a mentira numa corte de justiça. Se uma falsa testemunha for exposta, ela seria julgada e punida com a sentença a que estaria prevista na lei, se ela estivesse falando a verdade (Dt 19:16-21). Por exemplo, se uma pessoa testemunhasse falsamente num caso de assassinato, e a pena capital fosse a punição estabelecida, a falsa testemunha seria morta! Se a vista estava em jogo, então os olhos da falsa testemunha seriam arrancados! Compare isto com um tapa com luva de pelica aplicado àquele que perjurou hoje em dia! Há grande sabedoria na Bíblia, e toda a classe de ciência deveria ler e estudar a Bíblia (Dt 4:5-8)

A lei perfeita de Deus também exigia um juramento antes de ouvir uma testemunha, cujo poderoso objetivo era o de trazer o temor de Deus sobre a controvérsia em questão (Pv 29:24; Lv 5:1). Depois que uma pessoa jurou dizer a verdade em o nome do SENHOR Jeová, qualquer intenção de mentir traria consigo o pensamento da certa maldição de Deus. Note que Jesus de Nazaré finalmente abriu a boca quando o sumo sacerdote usou de um juramento para obrigá-lo a falar (Mt 26:63-64).

Considere o dano causado por uma falsa testemunha. A mulher de Potifar acusou o perfeito José de tentar estuprá-la e isto lhe custou o seu emprego, sua reputação e a sua liberdade (Gn 39:7-20). Mas ele foi elevado à posição de governador do Egito, e nunca mais se ouviu falar dela. A má Jezabel contratou duas falsas testemunhas para mentir a respeito de Nabote para que pudesse roubar os seus vinhedos para o seu marido mau, o rei Acabe (IRs 21:7-14). Ele foi morto em batalha e ela foi devorada pelos cães!

Se uma testemunha numa corte de justice é importante, o que dizer dos homens que são embaixadores e testemunhas num púlpito! Que cada homem chamado por Deus para pregar o Seu evangelho se atente às doutrinas que ele anuncia (ITm 4:16; Tt 1:9-11). Mas existem nos dias de hoje, e sempre existiram, falsos mestres que contam mentiras no nome de Deus e da Sua religião (Is 30:8-11; Jr 5:31; II Cor 2:17). Meça cada ministro pela palavra de Deus (At 17:11)!

O maior julgamento está por vir logo, logo. Todos os homens darão conta de suas vidas a Deus (Rm 14:10-12; IICo 5:9-11). Para os eleitos de Deus, salvos pela graça de Deus e do sacrifício substitutivo de Jesus Cristo pelos seus pecados, haverá um mediador e conselheiro com o nome de Testemunha Fiel e Verdadeira (Ap 3:14; Ap 19:11). Ele é o Senhor Jesus Cristo, e Ele confessará fielmente aqueles que são Seus (Hb 2:13; Ap 3:5).