Rondônia - 22 de setembro de 2018
Home / Notícias / Famosos e Variedades / Morre Givenchy aos 91 anos de idade, um dos mais célebres estilistas do mundo

Morre Givenchy aos 91 anos de idade, um dos mais célebres estilistas do mundo

Criador de uma das mais célebres casas de Alta-Costura, o estilista Hubert de Givenchy morreu no sábado, 10 de março, aos 91. Um dos nomes mais importantes da moda dos anos 1950 e 1960, o francês vestiu estrelas de Hollywood e a realeza européia.

Entre suas clientes, a mais conhecida foi a atriz Audrey Hepburn, imortalizada enquanto ícone de estilo com o ‘pretinho básico’ criado especialmente para ela em Bonequinha de Luxo. Seu estilo clássico e elegante agradou também Greta Garbo, Marlene Dietrich, Grace Kelly, Elizabeth Taylor e Jaqueline Kennedy.

“Entre os criadores estilista que colocaram Paris definitivamente no topo da moda mundial a partir dos anos 1950, Hubert de Givenchy deu a sua casa de modas um lugar à parte. Tanto por seus vestidos longos de gala, como por seus trajes diários, ele soube reunir duas qualidades raras: ser inovador e atemporal”, declarou Bernard Arnault, presidente do grupo LVMH, detentor da grife.

De origem aristocrática, ele nasceu em 1921, trabalhou com Pierre Balmain, Christian Dior e Elsa Schiaparelli antes de abrir sua maison em 1952. Foi um dos primeiros designers de alta-costura a desenhar prêt-à-porter, em 1954.

Emplacou também um conceito de separates, peças avulsas que podem ser coordenadas entre si, como vestidos intercambiáveis, blusas e saias, que evocavam versatilidade e liberdade de criar seu próprio visual.

Em 1988 vendeu a marca para o conglomerado de luxo LVMH (dono de Louis Vuitton e Dior) por 45 milhões de dólares. Fora da criação, foi substituído por jovens talentos da época, como John Galliano, Alexander McQueen e Julien McDonald, que tentaram, sem grande sucesso, reinventar a Givenchy.

MAISBarbara Paz diz que “se sente menino” e deveria ter nascido homem

Sua volta ao hall de grifes relevantes na moda ocorreria apenas a partir de 2005, com a entrada do italiano Riccardo Tisci na criação. Tisci conseguiu adaptar o legado de Givenchy para a época misturando elementos da couture e do streetwear, conquistando apoio, posts e likes de gente influente, como Madonna, Naomi Campbell, Donatella Versace.

Desde o ano passado, o comando da marca está nas mãos da inglesa Clare Waight Keller, que vem recriando seu guarda-roupa com uma moda chique e sensual, clássica mas contemporânea, com materiais luxuosos e um precioso trabalho junto ao atelier de alta-costura.

Os últimos anos de vida de Hubert de Givenchy foram dedicados a restauração da horta de vegetais do castelo de Versailles, à presidência da casa de leilões Christie’s na França assim como à coleção de arte, mobília e esculturas.