Rondônia - 21 de junho de 2018
Home / Notícias / Esportes / Botafogo / Amigos e familiares homenageiam Bebeto de Freitas durante o velório no Botafogo

Amigos e familiares homenageiam Bebeto de Freitas durante o velório no Botafogo

As últimas palavras de Bebeto de Freitas foram ditas em Belo Horizonte, nesta terça-feira, antes da morte do dirigente do Atlético-MG. Na mesma capital mineira, houve cerimônia na manhã desta quarta e, desde às 17 horas, o velório de um dos maiores personagens do esporte mundial acontece no salão nobre de General Severiano. Foi na sede social do Botafogo que amigos, fãs e familiares prestaram mais homenagens.

Ex-companheiros de quadra de Bebeto compareceram, assim como quem foi comandado por ele, como Carlão e Marcelinho. Renan Dal Zotto, técnico da seleção masculina de vôlei, nomes mais recentes da modalidade, como Fernanda Berti, da praia, e outros fãs estiveram no local.

– Nós já tínhamos uma amizade, mas depois ele me chamou para ser o técnico e sempre deu suporte à comissão técnica – explicou Carlos Roberto, técnico do time de futebol do Glorioso em 2006, quando, sob as ordens do presidente Bebeto, foi campeão carioca.

O ex-presidente e parceiro na política do Alvinegro Carioca, Carlos Augusto Montenegro, foi outro a lamentar a perda. Para o também ex-mandatário do clube, o legado deixado por Bebeto não pode ser esquecido.

– Ele deixa uma lição do que é ser apaixonado por um clube – ressaltou.

Também estiveram presentes Afonsinho, ex-jogador do Botafogo na década de 1960 – coordenador da base na gestão de Bebeto – edirigentes atuais do clube, como o atual presidente, Nelson Mufarrej.

– Uma grande perda para todos os Botafoguenses. Foi importante para o clube e para o esporte em geral – explicou.

Bebeto de Freitas morreu nesta terça-feira, logo após apresentar o time de futebol americano do Atlético-MG, clube que amava e também fez história como dirigente. No Glorioso, foi multicampeão como jogador e presidiu o clube da Estrela Solitária de 2003 a 2008. A bandeira, assim como a do Galo, foi hasteada a meio mastro.

No vôlei, Bebeto foi medalhista olímpico, fez sucesso também em clubes e ma seleção italiana. Revolucionou o esporte e impulsionou a modalidade no Brasil. Ao ponto de Carlão não poupar elogios ao amigo que se foi aos 68 anos.

– Ele me transformou como atleta e como homem – decretou.

Fonte: Terra