fbpx
22 C
Porto Velho
quinta-feira, 06 agosto 2020, 08:40
Site de apostas
Site de apostas

COLÉGIO MILITAR | Coronel-aluna recebe o comando do batalhão escolar | RORAIMA

Entrega de alamar Escola Coronel PM Derly Luiz Vieira Borges.6

A coronel-aluna Amanda Carolina Nunes Carvalho, de 16 anos, do 3º ano do Ensino Médio, comandou na tarde desta terça feira, 13, o primeiro Batalhão Escolar do CME (Colégio Militar Estadual) Coronel PM Derly Luiz Vieira Borges durante a entrega de alamar referente às notas do 4º bimestre de 2017.




A cerimônia militar ocorreu na esplanada do palácio Senador Hélio Campos e também oficializou a primeira coronel- aluna ao posto de comandante de todo o Batalhão em 2018.

A formatura contou com 700 alunos e destes 60 foram promovidos aos postos e graduações e 107 receberam a condecoração do alamar por alcançarem as melhores notas do 4º Bimestre de 2017.

Desde a implantação em 2012, esta foi a primeira vez que os estudantes dos Ensinos Fundamentais e Médios do Colégio Militar Estadual passaram a ser comandados por uma aluna do 3º ano.

Além disso, teve a promoção aos postos e graduação visando a primeira composição completa do Batalhão Escolar. Filha do Coronel Wilson Nunes, da Polícia Militar, a nova comandante do Batalhão concorreu com mais de 80 alunos para chegar a esse posto. Ela recebeu o comando por ter obtido bom comportamento e a nota de 98.2.

Honrada em poder comandar a tropa escolar e representar o colégio, a estudante disse que a promoção ao posto de coronel-aluna é uma motivação no processo de aprendizagem do CME e que o esforço servirá como lição e preparação para outras provas.

“A promoção nos motiva cada vez mais, não apenas para tirarmos boas notas, mas também para que possamos nos preparar para vida como: prestar vestibular e concurso”, disse Amanda Caroline.

Na solenidade de condecoração, a governadora Suely Campos, disse que o CME Derly Vieira Borges, foi inspiração para que seu governo implantasse a militarização em 18 escolas públicas no Estado, tanto na Capital quanto no Interior, melhorando a qualidade do Ensino.

“Foi por meio do Colégio Militar que nós nos inspiramos para a militarização das nossas escolas. São 18 escolas, 11 na Capital e sete no Interior e com isso estamos melhorando a qualidade do ensino e o aproveitamento dos alunos e isso é um grande avanço da educação no Estado, que é melhorar a qualidade de ensino dessa geração”, reforçou Suely.

HISTÓRICO – O CME-PMRR que pertence à estrutura organizacional da Polícia Militar de Roraima foi criado por meio da Lei n. 192/2011, de 30 de dezembro de 2011, que criou o Colégio Militar Estadual Coronel Derly Luiz Vieira Borges, na Capital, em 2012, de autoria do deputado estadual coronel Gerson Chagas.

Em 2015, CME participou pela primeira vez da prova do SAEB (Sistema de Avaliação da Educação Básica) e ganhou o 1º lugar dentre as escolas do Estado de Roraima e em 3º lugar dentre as escolas das Polícias Militares do Brasil.

De acordo Chagas, a implantação do CME foi um sonho que se tornou realidade e que pode ser comprovada pela excelência na qualidade do Ensino. “Nós tínhamos um sonho que hoje é uma realidade, esse é um projeto de Estado, e não de governo. E nós sabemos que mesmo com a mudança de governo, não deixou de ser prioridade, que bom que a governadora abraçou e ampliou o projeto para mais 18 escolas, melhorando a qualidade da nossa educação. Parabéns a todos os alunos pela conquista”, disse.

Ele também foi o relator da Lei n. 1.225/2018, de autoria governamental, que permite que o Governo do Estado amplie o número de escolas da rede estadual com o ensino militarizado, chegando neste ano a 18 unidades, tanto em Boa Vista quanto nos municípios do Interior, beneficiando mais de 20 mil alunos.

Unidade se destaca na qualidade de ensino

Atualmente o CME tem como diretor o tenente coronel Edmilson Alves Fernandes. A equipe pedagógica e técnica, bem como o grupo de professores são formados tanto por policiais militares quanto técnicos da Secretaria Estadual de Educação.

“O CME tem demonstrado em alguns testes realizados, que temos um estudo diferenciado, e isso ressalta o nível de comprometimento desses alunos com o ensino e aprendizagem. Além disso, temos que engrandecer a excelente equipe de trabalho dos professores, com o trabalho pedagógico militar, mantendo a disciplina sem deixar o ideal de lado”, ressaltou Alves Fernandes.

Além dos componentes curriculares da base comum de ensino, regularmente ministrados em todas as escolas, o CME-PMRR “Cel PM Derly Luiz Vieira Borges” realiza aulas de música, Clube da Matemática e de educação básica militar, que envolve assuntos relacionados às normas de trânsito e meio ambiente e também destaque-se no cenário do desporto e de atividades físicas do meio escolar de Roraima.

Neste ano ingressaram, por meio de processo seletivo mais de 50 alunos. O Colégio funciona do 6º ano do Ensino Fundamental até a 3ª série do Ensino Médio.

Modelo de militarização foi criado em 2016

O modelo de escola militarizada foi criado a partir de 2016, em duas escolas da zona Oeste de Boa Vista. Foram contempladas as escolas Rittler de Lucena, sob responsabilidade do Corpo de Bombeiros, e Elza Breves, gerida pela Polícia Militar.

Nessas duas unidades, o corpo docente foi composto por professores da rede de ensino, Corpo de Bombeiros Militar e Policiais Militares, estabelecendo uma proposta administrativa e pedagógica de gestão compartilhada e congregada com a comunidade escolar.

Em 2017, ampliou-se o projeto para mais uma escola, Irmã Maria Tereza Parodi, no bairro Cidade Satélite, com a oferta dos Ensinos Fundamental de 6º ao 9º ano e Médio.

Essas escolas militarizadas estão localizadas em área de vulnerabilidade social, econômica e cultural, apresentam problemas de furtos, roubos, assaltos e drogas, fatores que comprometem o espaço social das unidades de ensino quando se trata de segurança e desenvolvimento do trabalho educacional.

Ainda no fim do ano passado, a governadora Suely Campos, anunciou a ampliação do programa de militarização das escolas estaduais. Isso se deu por conta dos bons resultados no rendimento de notas dos alunos, na disciplina e hierarquia das três escolas militarizadas pelo governo, Rittler de Lucena e Elza Breves, em 2016, e Irmã Parodi, este ano.

Das 15 novas escolas militares implantadas no Estado, oito são de Boa Vista e sete do Interior, beneficiando 10.091 alunos do 6° ano do Ensino Fundamental 2 e do Ensino Médio.

Escolas militarizadas em Boa Vista:

1 – Jaceguai Reis Cunha, no bairro Asa Branca

2 – Luiz Ribeiro de Lima, no bairro Equatorial

3 – Maria de Lourdes Neves, no bairro Doutor Silvio Botelho

4 – Maria dos Prazeres Mota, no bairro Santa Teresa

5 – Maria Nilce Brandão, no bairro Cauamé

6 – Pedro Elias, no Jóquei Clube

7 – Conceição Costa e Silva, no bairro Hélio Campos

8 – Wanda David Aguiar, no Raiar do Sol

No interior:

 1 – Maria Mariselma, em Mucajai

2 – João Rogélio, em Caracaraí

3 – Antônia Tavares da Silva, em Rorainópolis

4 – João de Azevedo Cruz, em Nova Colina

5 – Cícero Vieira Neto, em Pacaraima

6 – Aldébaro José Alcântara, em Bonfim

7 – Sadoc Pereira, em Alto Alegre

Site de apostas

Últimas notícias: