Rondônia - 23 de julho de 2018
Home / Notícias / Esportes / São Paulo FC / “Me senti identificado com o time, que teve atitude e determinação” – SPFC

“Me senti identificado com o time, que teve atitude e determinação” – SPFC

“Tínhamos que melhorar, e isso aconteceu. Eu fiquei feliz, me senti identificado com o time hoje. O que mais pedi para os jogadores foi atitude e determinação, e isso eu vi”. Assim o técnico Diego Aguirre abriu a entrevista coletiva nesta terça-feira (20), no Morumbi, após a vitória sobre o São Caetano por 2 a 0 que garantiu o Tricolor na semifinal do Campeonato Paulista.

Com uma postura aguerrida e muita entrega, que resgatou o espírito valente da equipe, o São Paulo avançou no torneio contagiado pela raça de Tréllez e com alterações decisivas do treinador uruguaio. O time são-paulino reverteu a derrota na partida de ida por 1 a 0 e segue firme na disputa pelo título.

“Os jogadores encontraram uma resposta de atitude que vemos por aí. Isso tem que ter sempre. Talvez tenhamos cometido erros técnicos, perdemos algumas situações, mas o time se sentiu bem. Futebol é ganhar, e merecemos. É importante para essa nova etapa que está começando. Faz menos de uma semana que estou trabalhando, tive três treinos. Me senti feliz por isso, pelos jogadores rapidamente entenderem que tem de deixar tudo em campo para ganhar”, avaliou.

Tréllez e Diego Souza – entrou na etapa complementar – marcaram os gols que garantiram o triunfo tricolor. Agora, firme na disputa pelo título, o São Paulo aguarda o desfecho das quartas de final para conhecer o próximo adversário. “A responsabilidade eu tenho, mas se você não consegue trabalhar é quase impossível que o time melhore. Por isso focamos na parte do ânimo, atitude”, analisou o Aguirre, que emendou.

“Temos que trabalhar muito. Acredito muito no trabalho. Precisamos de tempo para dar argumentos ao time e para melhorar. Agora é bom para nós termos essa semana de trabalho. O time tem que continuar melhorando, começar um novo caminho, esquecer coisas que talvez não deram certas. Eu não gosto de olhar para trás, temos que olhar para frente. Tem que voltar a alegria e o torcedor tem que se sentir mais identificado”, finalizou.