Rondônia - 18 de agosto de 2018
Home / Notícias / Religião / Estudos de Provérbios / Provérbios 3:11 – Filho meu, não rejeites a correção do Senhor, nem te enojes da sua repreensão.

Provérbios 3:11 – Filho meu, não rejeites a correção do Senhor, nem te enojes da sua repreensão.

Aflições atingem todos os santos. Adversidade, dificuldade, dor e problemas são as ferramentas do abençoado Deus para corrigir suas falhas e aperfeiçoá-lo. Ao invés de se ressentir Suas correções ou se cansar das derrotas que Ele envia para você, você deve se regozijar pelo fato de que Ele te ama e deseja aperfeiçoá-lo. Se Ele o deixou à vontade, então você é um bastardo e não um filho (Hb 12:7-8)!

Ninguém gosta de aflições, dificuldades ou problemas. Estas são coisas que você procura evitar ao máximo possível em sua vida. Mas o Senhor as envia em amor pois Ele é capaz de utilizá-los para lhe ensinar mais do que a paz e a prosperidade jamais pudessem lhe ensinar. Os bons tempos parecem fabulosos, mas eles não servem para tornar alguém melhor. Os tempos difíceis incomodam, mas eles o tornam mais forte e sábio.

É fácil se irritar contra o Senhor e dizer, “Senhor, porque permitiste isto na minha vida?” É fácil dizer que Ele não é justo – você não merece tantos problemas. É fácil ficar desanimado e pensar em desistir da sua corrida cristã. Jó usou estes tipos de pensamentos. Mas Eliú disse a Jó que ele estava errado, Deus estava certo e Jó poderia por um fim a essas lições dolorosas se ele se humilhasse.

Existem quatro razões para que aconteçam coisas ruins para um cristão. Ele está sendo castigado por causa de pecado em sua vida; ele está sofrendo as consequências naturais de sua própria tolice; ele está sendo testado para edificar a sua fé; ou Deus está simplesmente manifestando a Sua própria glória na vida dele. O objetivo do autoexame é de analisar suas circunstâncias para descobrir a lição de Deus contida nelas. Assim que o homem reconhece que a questão é um ato de Deus, ele deve se submeter humildemente e se regozijar nela.

A razão final pela qual você deve aceitar de bom grado a correção em sua vida é a prova que ela dá do amor Dele por você (Pv 3:12; Hb 12:5-6; Ap 3:19). O Deus verdadeiro aflige os Seus filhos por questões de fidelidade e desejos para com eles. Davi disse, “Bem sei eu, ó Senhor, que os teus juízos são justos e que em tua fidelidade me afligiste.” (Ps 119:75).

A segunda razão para aceitar com alegria a correção de Deus em sua vida é que ela o protege de pecar ainda mais (Jó 34:31-32; Sl 119:67; Jr 31:18-19; ICo 11:32). Considerando que aquilo é a única maneira para você aprender a não fazer alguma coisa errada que lhe atrai, você deve ficar grato pela Sua misericórdia em lhe ensinar a Sua lei e os Seus caminhos (Jó 5:17; Sl 94:12).

A terceira razão para aceitar alegremente a correção de Deus é a razão amorosa que há nela – para torná-lo perfeito (Rm 5:3-5; Hb 12:10-12; Tg 1:2-4). Aprender a lidar pacientemente com a adversidade é uma grande medida de maturidade (Pv 24:10; IPe 5:10). A aflição gera fé em Deus; prosperidade não o leva a aumentar a sua confiança Nele (Pv 30:8-9). Paulo se sentia estimulado pela oportunidade de crescer na graça de Deus através da adversidade em sua vida (IICo 12:7-10).

Este provérbio, assim como os outros, ensina sabedoria. Ao considerar a adversidade como a Sua ferramenta de aperfeiçoamento, você está avisado e armado com antecedência para poder lidar com ela (Ec 7:14). Quanto mais rápido você aprender a lição, o problema cessará mais cedo; se você desprezá-la ou se ressentir dela, Ele a enviará com maior intensidade (Jó 36:15-18). Não há razão para desmaiar, pois aqueles que a suportarem obterão as promessas (IICo 4:16-18; Gl 6:9; Hb 6:10-12; Hb 12:1-6; Tg 5:11).