Rondônia - 23 de julho de 2018
Home / Notícias / Centro-Oeste / Distrito Federal / Clínica de nefrologia e hemodiálise do Hospital de Sobradinho é entregue totalmente reformada – Brasília

Clínica de nefrologia e hemodiálise do Hospital de Sobradinho é entregue totalmente reformada – Brasília

A clínica de nefrologia e hemodiálise do Hospital Regional de Sobradinho foi entregue totalmente reformada nesta terça-feira (17). A unidade tem cerca de 650 metros quadrados e recebeu novo mobiliário, além de melhorias na infraestrutura.

O investimento da reforma somou R$ 1,5 milhão — o recurso é de emenda parlamentar e de verba da Secretaria de Saúde. O governador de Brasília, Rodrigo Rollemberg, visitou o local nesta manhã.

O atendimento é às segundas, quintas e sextas-feiras, das 7 horas à meia-noite. Às terças e quartas-feiras e aos sábados, o funcionamento da clínica é das 7 às 19 horas

De acordo com a pasta, a reforma abrangeu redes hidráulica, de esgoto e elétrica, piso, forro e pintura. Durante as obras, a unidade continuou em funcionamento em um espaço adaptado no hospital. “Muito bom reformar essa unidade para melhorar o atendimento à população e as condições de trabalho para os servidores”, disse.

Cada máquina de hemodiálise, em geral, atende a um paciente por turno, sendo três turnos de atendimento. Atualmente, a clínica conta com 15 em funcionamento.

O secretário de Saúde, Humberto Fonseca, destacou que atuou como médico residente no hospital de Sobradinho. “Reformamos também toda a pediatria porque havia vazamento de água e de esgoto”, completou.

O atendimento é às segundas, quintas e sextas-feiras, das 7 horas à meia-noite. Às terças e quartas-feiras e aos sábados, o funcionamento da clínica é das 7 às 19 horas.

A diretora do Hospital Regional de Sobradinho, Cláudia Gomes dos Reis, afirma que, por mês, em média, 66 pacientes fazem hemodiálise no local.

66Quantidade média de pacientes atendidos por mês

Ela explica ainda que o setor atende pacientes com patologia no aparelho urinário e que há dois procedimentos diferentes: a hemodiálise e a diálise peritoneal.

Na hemodiálise, uma máquina é responsável por limpar e filtrar o sangue, já que o rim está impossibilitado. “Ou seja, é fazer de forma externa a filtração que o rim deveria fazer.”

Já na diálise peritoneal, a intervenção ocorre dentro do corpo do paciente. “O processo é mais simples. Por meio de um cateter, se injeta solução na cavidade abdominal do paciente. Por osmose, essa solução retira as impurezas, e depois é drenada”, resume.

A diretora compara a nova estrutura com a antiga: “Agora são salas no tamanho correto, separadas adequadamente, respeitando as normas da Anvisa [ Nacional de Vigilância Sanitária]. Tudo reformado, é outra estrutura”.

Além disso, há espaço para espera e local separado para as refeições, uma vez que o período que o paciente passa em atendimento é longo.

Aguarde mais informações e a galeria de fotos.

Edição: Paula Oliveira