Rondônia - 15 de outubro de 2018
Home / Notícias / Esportes / Vasco da Gama / Vasco Dívida Zero esclarece que não apoia arrecadação via crowdfunding

Vasco Dívida Zero esclarece que não apoia arrecadação via crowdfunding

Arrecadação coletiva e crowdfunding – A VDZ NÃO APÓIA ARRECADAÇÃO DE QUANTIAS EM NOME DE TERCEIROS.

A campanha Vasco Dívida Zero foi reativada a menos de 1 mês e muitas das interações que recebemos nas redes sociais fazem questionamentos sobre maneiras de aumentar o impacto das contribuições. São muitas sugestões, ideias e alguns pedidos de apoio a iniciativas de arrecadação que a campanha, infelizmente, não pode conceder. Como os pedidos e dúvidas têm surgido com frequência, vamos conversar sobre alguns casos específicos para explicar o PORQUÊ DA VDZ NÃO APOIAR ARRECADAÇÃO DE QUANTIAS PARA TERCEIROS.

• NÃO RECOMENDAMOS ARRECADAÇÃO VIA CROWDFUNDING (VAQUINHAS VIRTUAIS).

O site da Vasco Dívida Zero já tem um mecanismo de pagamento bastante simples, eficiente e 100% transparente. Ao gerar e realizar o pagamento de um DARF no nosso site, você:

1) Não transfere quantia a nenhuma pessoa física ou jurídica,
2) O dinheiro não passa por nenhuma intermediação,
3) Não há movimentação financeira passível de tributação,
4) Não há pagamento de comissionamento por uso de ferramenta.
5) O dinheiro abate os débitos do Vasco diretamente na Procuradoria Geral da Fazenda Nacional.

A transparência é princípio inegociável da campanha.

O site www.vascodividazero.com.br já funciona na prática como uma ferramenta de crowdfunding, e é ainda mais eficiente porque não há custo de transação e de tecnologia empregada. Portanto, por mais bem intencionada que seja a ideia de realizar arrecadações em plataformas de financiamento coletivo; a Vasco Dívida Zero se resguarda ao direito de não apoiar nem incentivar que as pessoas realizem ou participem deste tipo de contribuição.

QUERO PAGAR UM DARFÃO EM NOME DE UM GRUPO. COMO FAZ?

Se você lidera um grupo grande de vascaínos interessados em contribuir com a campanha, faça como outros grupos já fazem hoje:

1) Acesse www.vascodividazero.com.br e faça um cadastro em nome do grupo.

2) Arrecade os valores entre os integrantes do grupo, se o valor do DARFÃO a ser pago ultrapassar os R$500,00, mande um email para [email protected]

3) Se preferir não arrecadar, também tem como fazer. Peça para que os integrantes individualmente gerem, paguem e confirmem os DARFS no mesmo e-mail cadastrado pelo grupo;

4) Pronto. Dos 2 jeitos, você conseguirá aumentar o impacto das contribuições e vai garantir que nenhuma quantia passe pelas mãos de terceiros. Lembrando: transparência sempre!

E CONTRIBUIÇÃO DE PESSOAS JURÍDICAS PODE?

A campanha apóia.
Donos de empresas, líderes de torcida organizada, sites vascaínos, grupos políticos…muita gente pergunta se pode fazer contribuições de pessoas jurídicas. Claro que pode. Nosso cadastro é bem simples e a ferramenta foi minuciosamente estudada, testada e desenvolvida para garantir que o torcedor que quisesse ajudar, tivesse 101% de certeza de que esta quantia teria destinação exclusiva para o abatimento das dívidas. Na verdade, pouco importa se a contribuição é feita por pessoa física ou jurídica, o fundamental é que as quantias pagas não passam pela mão de ninguém.

Maior contribuição individual foi de um CNPJ

Já há vários cadastros em nome de organizações, empresas e associações no site da VDZ. Assim que a campanha nasceu, um grupo fez aquela que foi a maior contribuição já realizada até hoje: foi pago um DARFÃO de R$55.000,00.

A campanha apóia essas iniciativas, mas também se resguarda ao direito de não ter obrigação de dar publicidade a estes pagamentos. A campanha é, acima de tudo, voluntária. A ideia é ajudar sem a necessidade de aparecer ajudando. É esse o espírito.

A melhor maneira de ajudar é apresentar a VDZ a todos os vascaínos que você conhece. Se ele e você quiserem fortalecer essa corrente, é só gerar, pagar e confirmar um DARF direto no site: www.vascodividazero.com.br

Continuamos a disposição daqueles que querem ajudar o Vasco. Saudações vascaínas.

Fonte: Vasco Dívida Zero