Rondônia - 17 de junho de 2018
Home / Notícias / Brasil / Padilha diz que ‘grupos de WhatsApp’ impediram fim da greve

Padilha diz que ‘grupos de WhatsApp’ impediram fim da greve

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, culpou os “grupos de WhatsApp” pela tímida desmobilização da greve dos caminhoneiros após o acordo celebrado entre o governo e entidadesque representam a categoria na quinta-feira (24).

Durante a coletiva, que ocorreu na tarde desta sexta-feira (25), Padilha disse que o “acordo está rendendo seus frutos”, mas que a mobilização pelo WhatsApp interferiu no apelo feito pelos representantes da categoria.

— Estamos vivendo um tempo diferente, com as redes sociais (…). Nós sabemos que os grupos de WhatsApp às vezes se sobrepõe às hierarquias das associações.

Ainda segundo Padilha, a confusão no país nesta sexta-feira foi causada por uma “minoria barulhenta”.

Greve começou no WhatsApp

Foi justamente no aplicativo de mensagens que a greve começou, segundo alguns caminhoneiros. Os grupos de conversas eram utilizados para organização e divisão dos transportes, além de troca de informações sobre a situação das estradas.

Não é palestra

O ministro do Gabinete da Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen, que foi apresentado como coordenador do plano de segurança do governo para tentar acabar com a greve dos caminhoneiros, perdeu a paciência com os jornalistas ao ser questionado sobre a diferença entre GLO e requisição de bens.

— Acho que vocês podem pegar a Constituição e dar uma olhadinha.

Após explicar brevemente a diferença entre os dois termos, ele complementou.

— Isso não é uma palestra, isso é uma coletiva de imprensa. A entrevista já deu algumas dicas.

Fonte: R7