Rondônia - 21 de outubro de 2018
Home / Notícias / Sudeste / São Paulo / Baixada Santista recebe novos investimentos do Governo do Estado | São Paulo

Baixada Santista recebe novos investimentos do Governo do Estado | São Paulo

Nesta quarta-feira (13), a sede do São Paulo foi transferida para o Paço Municipal de Santos. O ato simbólico ocorre em homenagem ao santista José Bonifácio, patriarca da Independência do Brasil e Herói da Pátria.

“Eu me sinto honrado de estar aqui hoje, pela primeira vez na condição de governador, e louvo o fato de reverenciarmos uma figura importante da história do País, que marcou o Brasil. Temos vocação para a paz e para convivermos com divergências. Muito disso foi dado pela convergência intelectual e espiritual de José Bonifácio”, ressalta Márcio França.
 
Ainda na celebração da data, o governador Márcio França assinou autorizações para que a concessionária Ecovias elabore projetos de implantação de uma ponte entre Santos e Guarujá, com o objetivo de melhorar a mobilidade urbana na Baixada Santista. A intervenção inclui a Fase 2 da Nova Entrada de Santos, além de melhorias na Rodovia dos Imigrantes (SP-160), na altura do trecho urbano de São Vicente.
 
“A ponte possibilitará uma mudança importante para as pessoas”, enfatiza Márcio França. “Por se tratar de vias administradas pela iniciativa privada, os procedimentos correm em outro fluxo. Certamente, a ponte Santos-Guarujá permitirá um acesso rápido e desafogará muito o fluxo no local”, acrescenta o governador.
 
Avaliações
 
As análises serão acompanhadas pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), responsável pela fiscalização e gerenciamento dos contratos de concessão. A agência avaliará os projetos e verificará a viabilidade da execução pelo acordo.
 
Segundo a autorização, a Ecovias realizará os projetos funcionais e executivos para a construção de ponte ligando os municípios de Santos e Guarujá, interligação rodoviária entre a Rodovia Anchieta (SP-150), na altura do km 65, e a Rodovia Cônego Domênico Rangoni (SP-055), no km 250.
 
A interligação terá cerca de sete quilômetros. Os projetos incluirão a previsão de obras para a adequação e compatibilização da entrada de Santos com a nova interligação. As obras incluem melhorias da Rodovia Anchieta, com alargamento da ponte sobre o Rio Casqueiro, adequação da SP-148, da Alemoa até o Piratininga, bem como a implantação de passarelas.
 
No trecho por onde circulam em média 110 mil veículos por dia, os benefícios englobam a melhoria nas viagens entre Santos e Guarujá, com a criação de uma opção às balsas. Também haverá facilidade de acesso do bairro Piratininga, da zona noroeste de Santos e do município de São Vicente à pista norte da SP-150, além da eliminação de problemas de inundações na SP-150, com obras de drenagem.
 
Etapas
 
A Fase 1 das obras da Nova Entrada de Santos sob responsabilidade da Ecovias, e fiscalizadas pela Artesp, tiveram início em 30 de abril. As intervenções separarão o fluxo de entrada e saída ao Porto, composto predominantemente por caminhões, do tráfego que entra e sai da cidade, com prevalência dos veículos leves.
 
Vale destacar que as obras buscam organizar os tipos de tráfego na chegada a Santos, melhorando a fluidez viária e a qualidade de vida na região. Com investimento de R$ 270 milhões, provenientes da receita do pedágio, a expectativa é de que as obras sejam concluídas em 36 meses.
 
A outra autorização assinada por Márcio França possibilitará à Ecovias realizar projetos funcionais e executivos para melhorias no trecho urbano da Rodovia dos Imigrantes (SP-160), entre o km 62 e o km 68, em São Vicente.
 
As intervenções previstas vão desde a implantação de iluminação, melhorias nas passagens inferiores com reforço na iluminação e orientação para pedestres e ciclistas, revitalização sob o viaduto do km 68, modernização no sistema de monitoramento com adequação de quatro câmeras para detecção automática de acidentes, organização de acessos, e obras de prevenção de enchentes.
 
O projeto ampliará a segurança viária e integrará a rodovia às comunidades vizinhas, com a proposta de melhorar a fluidez e reduzir os problemas com enchentes.