Rondônia - 18 de novembro de 2018
Home / Notícias / Colunas / Opinião de Primeira / Ex-governador Confúcio Moura fica abalado quando fica sabendo de fake news contra ele; emedebista espera ataques e notícias falsas durante a campanha

Ex-governador Confúcio Moura fica abalado quando fica sabendo de fake news contra ele; emedebista espera ataques e notícias falsas durante a campanha

O jornalista Cláudio Humberto, um dos mais bem informados do país, comenta em seu Blog, com o título de “Um negócio rentável”, as negociatas da República Sindicalista implantada o Brasil, denunciando, por exemplo, que a liberação de uma carta sindical, que ele chama de “cartão de nascimento da uma entidade dessas”, pode custar entre 200 mil e até 4 milhões de reais, dentro do sistema corrupto de liberação destes documentos pelo Ministério do Trabalho. A Polícia Federal deflagrou a Operação Registro Espúrio.

Na primeira fase dos trabalhos policiais, segundo a revista Veja, foi descoberto um sistema de corrupção envolvendo, como sempre, gente graúda. Segundo a Veja,  a operação “mostrou como funciona a engrenagem de concessão de registros sindicais no Ministério do Trabalho, com o pagamento de propina a servidores indicados politicamente por caciques de PTB e doSolidariedade, como Roberto Jefferson e os deputados Jovair Arantes e Paulinho da Força, alvos da operação em maio. Também estão enrolados os senadores Dalírio Beber e Cidinho Santos, atualmente licenciado.

Numa segunda fase das investigações, o alvo principal foi a filha de Roberto Jeferson, a deputada Cristiane Brasil. Por enquanto, o Ministério do Trabalho decidiu suspender por 30 dias a concessão de novas cartas sindicais. Será que isso basta? Segundo Cláudio Humberto, não! A operação da PF na Câmara Federal e no Ministério do Trabalho – escreve ele – “mostra que o rentável negócio de criação de sindicatos, atraiu o submundo da corrupção!”. Vai mais longe: “Turbinado nos governos do PT, o fenômeno fez o Brasil reunir 91 por cento de todos os sindicatos do Planeta, com mais de 16.700 entidades registradas”, O jornalista ainda acrescenta outra informação, quase inacreditável: apenas nos governos petistas, foram criados mais de 15 mil sindicatos, alguns deles desfeitos, mas a maioria ainda em atividade.

Para se ter ideia da situação esdrúxula que norteia a criação incontrolável de entidades sindicais (a imensa maioria é de trabalhadores, mas há também as patronais, fazendo parte deste esquema tenebroso), o segundo país do mundo em número de sindicatos é o que representa a maior economia do mundo: os  Estados Unidos, que reúne 191 entidades classistas. Pela matemática, os americanos têm 16.509 a menos que no Brasil. O Reino Unido tem 168 sindicatos.

A Dinamarca tem 164. A Argentina, onde o sindicalismo é forte desde os tempos dos Péron, existem apenas 92 entidades sindicais. Envolvidos em corrupção, sobrevivendo de verbas públicas e da antiga (que eles querem que volta a qualquer preço), “contribuição” sindical obrigatória, a maioria dessas entidades serve apenas a si mesmas e aos seus líderes, nunca aos que representam. Por isso, os brasileiros decentes, os que querem ver o País melhor e com futuro digno para todos, têm que lutar contra a República Sindicalista e seus mentores. Vade Retro!

OUTRO VIADUTO ÀS ESCURAS

Até que durou mais que o normal! Poucos meses depois de inaugurado, o viaduto sobre a BR 364, que dá acesso à Três e Meio, na zona sul, está completamente às escuras. Já se esperava que, mais dia menos dia, os ladrões que agem livremente, roubando a fiação em toda a Porto Velho, arrancassem a que permitia a iluminação especial da grande obra. Também ninguém esperava que alguma autoridade decidisse ficar de olho, para flagrar os bandidos, porque daí seria pedir demais.

É bom a gente começar a avisar sobre a iluminação do Espaço Alternativo e a que vai ser instalada, ainda, na ponte sobre o rio Madeira, no bairro da Balsa.

Os ladrões já estão com todos os planos prontos para arrancar tudo, já que podem fazê-lo sem serem incomodados. Aliás, podem ser os mesmos que roubaram toda a fiação da BR 364, no acesso à cidade, mais de uma vez.

E que andam, lépidos e faceiros, arrancando os fios que estavam deixando a cidade um pouco menos feia. Tomara que esses bandidos decidam começar a roubar os fios em órgãos públicos e nos postos policiais e delegacias, porque daí, certamente, correrão o risco de serem presos. Afora isso, eles podem ficar tranquilos,  que estará tudo livre para que continuem seu “trabalho”!

CONFIDÊNCIAS DE CONFÚCIO

Nessa semana, o ex governador e agora pré candidato ao Senado, Confúcio Moura, percorreu câmeras e microfones, tornando-se quase onipresente na mídia estadual. Na quarta, ao participar de um dos programas de rádio de maior audiência no Estado, o Papo de Redação (Parecis FM, 98.1, de segunda a sexta, meio dia às duas da tarde), ele lembrou realizações importantes do seu governo, mas também fez algumas confidências, agora públicas. Lembrou, por exemplo, que em seus primeiros quatro anos no Governo, ouviu muitos pedidos e propostas indecorosas. Ouvia, prometia responder e, claro, nunca respondia.

Outra: fica sim abalado, quando sabe de alguma fake news não só contra ele, mas até contra adversários. Exemplificou, citando que um eleitor seu, publicou nas redes sociais uma fake sobre determinado adversário, como se fosse Confúcio quem o tivesse fazendo. Imediatamente, o ex governador corrigiu a publicação, a desautorizou e negou que tenha algo a ver com o assunto. Das redes sociais, aliás, Confúcio espera muitos ataques e fakes, durante sua campanha ao Senado.

A INTERNET TAMBÉM DÁ CONDENAÇÃO

“Infelizmente as redes sociais tornaram-se terreno fértil para as pessoas extrapolarem o limite da urbanidade e respeito. Embora a discussão….. “não tenha ocorrido pessoalmente, é certo que o imediatismo da rede social suprime a necessidade da presença física, uma vez que torna-se visível a todos os integrantes da rede, o que atribuiu uma publicidade muito maior às ofensas proferidas”.

Assim, demonstrado pelas provas documentais que a querelada teve a intenção de ofender a querelante”, ficou configurado o crime de injúria.  Essas frases são parte de um trecho da sentença do juiz Roberto Gil de Oliveira, da 1ª Vara do Juizado Especial Criminal de Porto Velho, que condenou a vereadora Ada Dantas Boabaid por ofensas à professora Judith dos Santos Campos, há um ano atrás.

Ada atacou duramente a professora, pelas sociais. A professora também havia ofendido a vereadora, só que em termos menos agressivos. A pena de Ada é simbólica (um mês de prisão em regime aberto, trocado por uma multa de 2 mil reais de indenização), mas mesmo assim dá a tônica de que a Justiça começa a enxergar no Face Boook e outras formas de comunicação, meios que estão extrapolando o aceitável nas relações pessoais. Ada vai recorrer, mas o assunto certamente ainda vai causar grande polêmica.

UMA ESTRADA INTERMINÁVEL!

Pela centésima quadragésima quinta vez, pelo menos, o Governo do Estado anuncia obras de asfaltamento da Estrada da Penal. Ela já começou em inúmeros trechos e nunca andou. Para falar a verdade, está cada vez pior. Agora, tudo vai mudar, promete o DER. Com recursos superiores a 21 milhões de reais já disponíveis para as primeiras etapas, o Governo pretende concluir a obra, embora não anuncie em que ano ou em que década ela será concluída. Mas, para não parecer má vontade, pode-se dizer que as obras no primeiro trecho de 16 quilômetros, dos 31 total da Estrada, já foram iniciados.  O asfalto vai do presídio Urso Branco até a escola Chiquilito Erse, no entroncamento da Ramal Aliança, principal via de acesso terrestre ao distrito de São Carlos, um dos principais do  Baixo Madeira. A população, que depende da Estrada no seu dia a dia e que  já ouviu e leu inúmeras vezes que a obra será concluída, claro que está com um pé atrás. Mas a volta das máquinas na Estrada que também dará acesso, por asfalto, as três portos do rio Madeira, é um indício, quem sabe, de que dessa vez a coisa vai mesmo…

A PM É VISTA NAS RUAS!

Rua Rio de Janeiro, em direção à zona leste. Em torno de nove horas da manhã de uma quarta-feira. Porto velhense fez questão de registrar uma cena que há muitos anos não via, em plena luz do dia e numa avenida movimentada da Capital: uma ação da Policia Militar.

Na viatura, três policiais. Eles alcançaram uma moto em que estavam dois suspeitos e realizaram uma minuciosa revista, observando documentos e checando se ambos não tinham nada a pagar com a lei.

Depois de longo tempo, os dois foram liberados, mas a ação dos PMs, feita com todos os cuidados legais, mereceu o registro. A falta de policiais nas ruas; a raridade de ações em que suspeitos são interceptados e checados; a facilidade com que bandidos andam serelepes pela cidade, assaltando em todos os cantos, a qualquer hora do dia ou a noite, estava deixando a população desencantada.

O novo comandante da PM, coronel Ronaldo Flôres Corrêa, pretende, entre muitas outras ações, que a Polícia Militar esteja nas ruas, protegendo os cidadãos.  Mesmo com toda a falta de pessoal (com um efetivo muito abaixo do necessário) e de estrutura, as forças policiais tentam conter a violência que toma conta de todos os bairros – e também do centro – da Capital.

A VIOLÊNCIA NA SALA DE AULA

O que fazer com uma criança de onze anos que ameaça sua professora de morte? Não aconteceu nos Estados Unidos, onde estudantes armados acabam causando tragédias. O fato ocorreu aqui mesmo em Porto Velho, essa semana. Na Escola municipal João Ribeiro Soares, na zona Leste de Porto Velho. O menino teria encontrado uma arma na rua (depois se constatou que era um simulacro, ou seja, uma arma falsa, não letal) e colocou na sua mochila. Durante a aula, a criança estava abalada e nervosa. Não atendia as ordens da professora e se negava a abrir a mochila, até que ameaçou que iria dar um tiro nela. A situação causou reboliço na escola, envolveu a direção e a chamada de familiares das crianças, até que o caso foi controlado. Crianças armadas em escolas, ameaças e agressões a professores e até mortes dentro de sala de aula não são incomuns também no Brasil, desde que crimes infantis foram considerados inimputáveis. Hoje, muitos professores vão lecionar sem saber se voltarão para casa do mesmo jeito que saíram. Sem poderem corrigir muitos meliantes menores, que usam as escolas para mostrar brutalidade, porque se o fizerem podem ser presos e perder seus empregos, muitos professores querem mesmo é cair fora da profissão. Aqui em Rondônia também!

PERGUNTINHAS

O que você achou da grande festa de abertura da Copa do Mundo na Rússia? Ou está tão desligado, como a maioria dos brasileiros, que acabou esquecendo que maior evento mundial do futebol mundial já começou?

Fonte Sergio Pires