Rondônia - 16 de novembro de 2018
Home / Notícias / Religião / Estudos de Provérbios / Provérbios 15:22 – Onde não há conselho os projetos saem vãos, mas, com a multidão de conselheiros, se confirmarão.

Provérbios 15:22 – Onde não há conselho os projetos saem vãos, mas, com a multidão de conselheiros, se confirmarão.

A regra que garante o sucesso na vida é o de submeter decisões à análise de conselheiros sábios. O rei Salomão, procurando preparar o seu filho para governar a Israel, repetiu esse axioma várias vezes no seu manual de sabedoria (Pv 11:14; 20:18; 24:6). Ele sabia que muitos fatores poderiam torcer o processo de tomada de decisão, especialmente quando ele mesmo estava pessoalmente envolvido na questão.

As pessoas fazem planos para – se casar, mudar de empregos, responder a um inimigo, voltar à escola, comprar uma casa, encontrar uma nova igreja, ensinar as crianças em casa, investir em negócios, etc. Se você avança sem recorrer a sábios amigos que não estão emocionalmente envolvidos para criticarem suas idéias, você ficará desapontado. Mas se você humildemente permitir que conhecidos seus, que têm conhecimento, analise seus planos, você pode tomar uma direção certa na sua vida.

Esta regra de sucesso é básica e simples. Por que a maioria a ignora? Eles são orgulhosos demais para perguntar a qualquer outra pessoa (Pv 26:12,16). Eles não querem ouvir quaisquer criticas negativas (Pv 18:17). Eles são impacientes demais (Pv 19:2). Eles já estão comprometidos, e é humilhante demais voltar atrás. Eles não têm conselheiros sábios. Eles têm péssimos hábitos em tomadas de decisão.

Quando você faz planos para você ou para a sua família, você já está influenciado na direção de suas conclusões. Você está emocionalmente envolvido, você não está enxergando claramente. Seus desejos, experiências, conhecimento, circunstâncias e outros fatores distorcem a sua percepção da realidade. Você não enxerga o problema ou as fraquezas com a mesma clareza que um terceiro desinteressado.

Para aplicar esta regra, você precisa de sábios conselheiros. A maioria dos homens não serve de conselheiros. Você precisa de pessoas com conhecimento, perspicácia, sobriedade e crítica. Porque aceitar por menos? Porque você pode persuadi-los facilmente? Você quer pessoas negativas, que enxergam perigo em tudo, porque você já é suficientemente negativo ou porque você não estaria efetivamente considerando a questão!

Você precisa de mais do que um conselheiro. Segurança e sucesso dependem da sabedoria multiplicada de muitos conselheiros. Você precisa de mais humildade e tempo para consultar vários conselheiros, mas os benefícios obtidos não podem ser apreciados até que você tenha si queimado com as suas próprias decisões. O rei Assuero da Pérsia, sabiamente confiava em sete homens para guiá-lo numa questão passional (Et 1:10-22). Deus lhe deu conselho de realeza ao inspirar Salomão.

Assim, você deve colocar tudo na mesa para os seus conselheiros. Você não pode reter aspectos de sua proposta que você sabe serem fracos ou errados. Você deve jogar limpo com eles. E você deve ouvir e seguir os seus conselhos. Isto não é um mero exercício vazio para discutir idéias: o objetivo é o de obter uma resposta. Você tem que aceitar a avaliação deles.

Que tipo de homens são bons conselheiros? Homens que temem a Deus e conhecem a Sua palavra podem ajudar, pois não há luz nos incrédulos (Is 8:20). Os filhos deste mundo são sábios só em questões terrenas, como escolher um fabricante de determinado tipo de equipamento, por exemplo (Lc 16:8). Qualquer decisão que afeta o seu coração, seu andar com Deus, moralidade, ou um assunto bíblico, mesmo que tenham ligações remotas, exigem cristãos fiéis e sóbrios, pois só eles têm a verdadeira sabedoria (Pv 1:7; 9:10).

Você pode se tornar um conselheiro assim aprendendo a Bíblia. Só no Livro de Provérbios já tem muita sabedoria para salvar os homens de tomarem decisões tolas, envolvendo éticas comerciais, treinamento infantil, comunicações, amizades, ações fraudulentas, casamento, dinheiro, linguajar, prostitutas, vinho, ética de trabalho e muitas outras questões. As Escrituras podem tornar homens simples em sábios e é o seu dever e privilégio aprendê-las (Pv 22:17-21; Sl 19:7; 119:130).