Rondônia - 20 de julho de 2018
Home / Notícias / Sudeste / São Paulo / Membros do Banco Mundial conhecem projeto Microbacias II | São Paulo

Membros do Banco Mundial conhecem projeto Microbacias II | São Paulo

  • imagem18-06-2018-18-06-25
  • DownloadDivulgaçãoimagem18-06-2018-18-06-25Membros da instituição financeira estiveram, nesta sexta-feira (15), na Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento

Representantes do Banco Mundial visitaram a Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento nesta sexta-feira (15). Martien Van Nieuwkoop, diretor geral de Práticas Globais de Agricultura e Preeti Ahuja, gerente de Agricultura para América Latina e Caribe, foram recebidos pelo secretário Francisco Jardim, na sede da pasta.

A audiência também teve a participação de Maurizio Guadagni, especialista sênior em Agricultura e gerente de projetos do banco, João Brunelli Junior, dirigente da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati) e Helena Carrascosa, coordenadora de Biodiversidade e Recursos Naturais, representando Maurício Brusadin, secretário de Estado do Meio Ambiente.

A delegação conheceu os resultados do Projeto de Desenvolvimento Rural Sustentável – Microbacias II – Acesso ao Mercado, que termina em setembro deste ano. Vale destacar que o programa é realizado com recursos provenientes do Governo do Estado e do acordo de empréstimo firmado com o Banco Mundial. Há, ainda, a contrapartida de prefeituras e organizações formais de produtores rurais e comunidades tradicionais.

Empreendimentos

A iniciativa tem o objetivo de ampliar a competitividade e proporcionar o acesso ao mercado aos agricultores familiares organizados em associações e cooperativas em todo o território paulista, bem como organizações de produtores de comunidades tradicionais como quilombolas e indígenas. O projeto busca aumentar as oportunidades de emprego e renda, a inclusão social e promover a conservação dos recursos naturais.

Por isso, a equipe visitou empreendimentos desenvolvidos com apoio da iniciativa, como a Cooperativa do Horto Vergel (Coopervel), formada pelos produtores do Assentamento 12 de Outubro, em Mogi Mirim, no interior paulista.

“Os cooperados estão montando uma estrutura de beneficiamento mínimo de vegetais, que fará enorme diferença na hora de colocar os produtos no mercado”, explica o coordenador da Cati, João Brunelli Junior. Além disso, o grupo conheceu a Associação dos Piscicultores de Itapira (Aspi) e a Adega Beraldo di Calle, em Jundiaí, onde fica a única unidade móvel de envase de vinho do Brasil certificada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

“O Microbacias II foi muito importante, pois permitiu a estruturação de uma agroindústria para processamento do peixe, armazenamento e distribuição de pescados”, revela o presidente da Aspi, José Marcos. O valor total da proposta de negócio, que englobou itens como balanças, caminhão, lavador de pescados, descouradeira, máquina de escova, veículo utilitário, entre outros, foi de R$ 1.114.588. Vale destacar que cerca de 20 famílias foram beneficiadas.

Relatórios

Segundo o coordenador da Cati os integrantes da comitiva precisavam comprovar o que os relatórios do projeto apresentam. Os representantes pretendem divulgar os números positivos e reproduzir o modelo em outras ações pelo planeta.

Após visitares os empreendimentos viabilizados pelo Projeto, o holandês Martien Van Nieuwkoop, diretor geral de Práticas Globais de Agricultura, e a indiana Preeti Ahuja, gerente de Agricultura para América Latina e Caribe, afirmaram que o Microbacias II rompe barreiras e proporciona aos beneficiados melhores condições de vida no campo. “A agricultura do Estado de São Paulo tem um enorme potencial e o projeto atende às necessidades das pequenas propriedades para captar as oportunidades”, avalia Martien Van Nieuwkoop.

Além dos impactos econômico e social, os dois membros do Banco Mundial destacaram a sustentabilidade como quesito importante na análise das propostas apreciadas. “As equipes da Agricultura e Meio Ambiente trabalharam todo tempo em sintonia. Por isso, gostaria de agradecer a todos que participaram dessa etapa do projeto. Nossa preocupação, agora, é dar continuidade e trabalhar para que o Microbacias III saia do papel”, enfatiza o secretário Francisco Jardim.