Rondônia - 19 de setembro de 2018
Home / Notícias / Sudeste / São Paulo / Festas juninas: os perigos e riscos dos balões e fogos de artifício | São Paulo

Festas juninas: os perigos e riscos dos balões e fogos de artifício | São Paulo

O mês de junho é um dos mais esperados do ano por causa das festas de São João (data celebrada precisamente no dia 24 de junho) características da época, não por acaso chamadas “juninas”.

É quando a família, os amigos e a comunidade se reúnem para dançar quadrilha, confraternizar em torno da fogueira, comer e beber todas as guloseimas típicas, como cuscuz, caldo verde, pipoca, pamonha, canjica, quentão, vinho quente, entre outras.

No entanto, nem tudo que é típico das festas juninas é necessariamente positivo. Isso vale para os fogos de artifício e, principalmente, para os balões, uma prática proibida que pode causar estragos incalculáveis. As duas coisas devem ser evitadas, como forma de prevenir acidentes e queimaduras.

Veja também: Governo do Estado amplia as atividades da Operação Corta Fogo

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, são considerados casos de grandes queimaduras aquelas que ocupam mais de 40% do corpo ou atingem locais considerados vitais, como rosto, cabeça ou tronco. Em geral, demandam internação e cuidados intensivos.

De acordo com dados analisados pelo Hospital das Clínicas da FMUSP, ligado à Secretaria, mais de 70% das queimaduras ocorrem em acidentes domésticos e atingem, em cerca de 40% dos casos, crianças de 0 a 9 anos. Em relação às causas de queimaduras, mais de 40% são por combustão (fogo e álcool).

Além da capital paulista, as regiões de Piracicaba, São José do Rio Preto e Vale do Paraíba concentram os tratamentos mais graves por terem unidades de referência para queimaduras.

Confira abaixo as dicas de prevenção da Secretaria da Saúde para evitar lesões nas mãos, braços, rosto ou mesmo auditivas:

– Nunca use materiais de fabricação caseira;

– Não armazene grande quantidade de fogos em um único local. Uma simples faísca pode causar um grande acidente;

– Nunca solte rojão segurando diretamente na mão. O ideal é interpor com vários rojões já usados ou varetas, deixando uma distância de pelo menos 60 cm da mão e afastado do rosto;

– Não aponte o rojão para onde há aglomeração de pessoas;

– Evite soltar fogos em proximidade com fios elétricos;

– Não se aproxime da fogueira se estiver segurando copos de vinho quente ou quentão. Como são inflamáveis, a proximidade das bebidas com as fogueiras pode resultar em acidentes;

– Se beber, não solte fogos ou mesmo brinque perto de fogueiras;

– Cuidado com a combinação crianças e biribinhas (bombinhas que estouram quando lançadas ao chão). As faíscas podem atingir substâncias com potencial para incêndio, como o álcool utilizado para iniciar o fogo das fogueiras, e provocar acidentes;

– No caso de queimaduras e bolhas, lave o local com água corrente e limpa, cubra com um pano limpo (uma toalha ou uma fralda) e procure ajuda médica;

– Não aplique, de maneira nenhuma, qualquer outra substância sobre a queimadura como pomadas, pasta de dente, pó de café, entre outros;

– No caso de queimaduras das vias respiratórias por inalação de fumaça em alta temperatura, procure um local aberto e arejado e acione o serviço de resgate. Evite ingerir água, leite ou qualquer outro tipo de bebida antes de uma avaliação médica;

– Por fim, em caso de acidente com fogo, mantenha a calma e ligue 193 para falar com o Corpo de Bombeiros.

Clique aqui para ver a lista de hospitais e atendimentos de emergência no Estado de São Paulo.