Rondônia - 20 de outubro de 2018
Home / Notícias / Colunas / A metralhadora de Bolsonaro, dona Dodge na parada e as novas pesquisas na corrida ao governo

A metralhadora de Bolsonaro, dona Dodge na parada e as novas pesquisas na corrida ao governo

Já começou, em parte da sociedade, da mídia e de setores que não querem ouvir falar em Jair Bolsonaro como Presidente, um grande movimento para valorização do tucano Geraldo Alkmin. Seu discurso água com açúcar contrasta com a virulência do que fala Bolsonaro e, por isso, muitos setores preferem um governante que represente o meio termo, o diálogo; que mantenha muitas coisas iguais como são, do que o risco de um governo extremista.

Os primeiros sintomas já apareceram nesta segunda, quando uma antiga pesquisa do Ibope, contratada pela Jovem Pan e feita há mais de um mês, apareceu nas redes sociais, como se fosse de hoje, informando que, num cenário sem Lula, Alkmin já estaria à frente do candidato da direita. Para enganar quem não foi buscar informações corretas e a fundo, a tal pesquisa, sem qualquer valor atual, começou a ser divulgada como seu fosse deste final de semana. Mentira e enrolação, apenas. A partir de agora, a pressão de setores chamados “moderados”, que não querem nem ouvir falar no candidato do nanico PSL, será muito mais intensa.

O problema será convencer o eleitor que pesquisas como essas retratam a realidade e que um candidato como Alkmin, que não consegue empolgar com seu discurso da mesmice, pode ganhar a eleição. Já no outro lado da moeda, o incorrigível candidato fez mais uma das suas. Pegou um tripé de um cinegrafista, ao falar a uma multidão em Rio Branco, e o usando como seu fosse uma arma, anunciou que iria “metralhar os petralhas” do Acre, mandando-os para a Venezuela. Tentou corrigir depois, dizendo que era apenas uma brincadeira, mas foi tarde demais. A procuradora geral da República, Raquel Dodge, louca por um holofote, já avisou que irá pedir a cassação de Bolsonaro por incitação á violência e ao ódio. Dessa vez – e de novo – foi ele quem pediu! Para que dizer uma asneira dessas, numa campanha presidencial em que todos os nervos estão a flor da pele?

Já em termos locais, o tema das pesquisas também está no ar. Duas delas devem ter seus números divulgados entre a terça e a quarta, sobre a corrida ao Governo de Rondônia e ao Senado, segundo se ouve nos meios políticos. Uma do Ibope e a outra de um novo instituto, o Big Data, contratado pela rede Record de Televisão e que pela primeira vez vai anunciar os resultados de um levantamento feito em Rondônia. A expectativa é grande sobre ambos os levantamentos. Na primeira pesquisa do Ibope, há menos de duas semanas, Expedito Junior saiu na frente, com mais do que a soma dos seus principais adversários, Acir Gurgacz e Maurão de Carvalho. O que essas novas pesquisas trarão? Expedito ainda está frouxo na parada ou seus adversários já se aproximaram? Na disputa pelo Senado, a grande dúvida é se Fátima Cleide repetirá os números do Ibope, quando apareceu em segundo lugar, atrás de Confúcio Moura, mas à frente de Valdir Raupp ou se haverá alguma mudança no quadro. Vamos aguardar para ver…

UMA SEGUNDA PARA IR ATRÁS DO VOTO!

A segunda-feira foi dia para apressar campanhas, abraçar o eleitor, conversar e fazer festa política. Expedito Júnior passou o dia na região da BR 429, visitando varias comunidades e empresas da região. Sua assessoria comemora a recepção ao tucano, por onde ele tem passado. Acir Gurgacz ficou em Porto Velho. Gravou programas eleitorais, concedeu entrevista a emissoras de rádio e se reuniu com sua equipe. No meio da coligação que ele lidera, há também bastante otimismo, pelos resultados obtidos nesses primeiros dias de campanha. Já Maurão de Carvalho foi recebido com uma grande festa no Bingool, centro da Capital, nesta segunda à noite. O local ficou superlotado e o ato político foi um sucesso, com muita animação e o otimismo resumido nos discursos, que entraram noite adentro. O candidato do PSL, Marcos Rocha, fez reuniões e se preparou para participar, nesta terça, da sabatina com os jornalistas da SICTV. Ele é o primeiro entrevistado e o programa vai ao ar a partir das 17h50. Pimenta de Rondônia também gravou programas e fez reuniões com eleitores. O coronel Charlon, Vinicius Miguel, Pedro Nazário e o Comendador Queiroz também correram atrás do eleitor, falando de suas propostas e planos. A campanha curta faz com que o tempo seja utilizado de maneira criativa, para que todos possam estar no máximo de lugares até o fim da campanha. O 7 de outubro chega em pouco mais de um mês…

SERÃO TRÊS DEBATES NA TV

Três debates já estão programados em emissoras de TV locais, para confronto dos candidatos ao Governo. O primeiro deles será na TV Alamanda/SBT, no dia 18 deste mês de setembro, uma terça-feira, a partir das 22 horas. A emissora ainda não divulgou o nome do jornalista que vai mediar o evento. Todos os nove candidatos vão participar. O segundo encontro será na SICTV/Record, que sempre faz debates decisivos, a partir das 17h30 do dia 28 de setembro, uma sexta-feira. A mediadora será a jornalista Meiry Santos. Seis candidatos melhor colocados nas pesquisas vão participar do evento, seguindo o mesmo critério adotado pela emissora em nível nacional. Neste primeiro turno, o último debate será promovido pela TV Rondônia/Globo, na noite de 2 de outubro, também com a participação de seis dos nove candidatos. A mediação será feita por um jornalista e apresentador que virá de outro Estado. Seu nome ainda não foi divulgado. Na SICTV, assim como na Rede TV! serão feitas entrevistas individuais com os candidatos, durante todo o mês de setembro, O mesmo ocorrerá na Rádio Parecis FM, durante o programa de maior audiência do rádio rondoniense, o Papo de Redação, com os Dinossauros, que vão questionar os candidatos. As entrevistas na rádio começam na semana que vem.

DINOS SABATINAM OS CANDIDATOS

Ainda dentro do mesmo contexto: as sabatinas/entrevistas com os concorrentes ao Governo do Estado, começam nesta terça, na SICTV, a partir das 17h50 e terão 55 minutos de duração, indo, portanto, até 18h45. No sorteio dos candidatos, o nome sorteado para esta terça, foi o do candidato do PSL, o coronel Marcos Rocha. Na quarta-feira, dia 5, será a vez do jovem Vinicius Miguel, da Rede. Na quinta, dia 6, do Coronel Charlon, do PRTB. Na sexta, dia 7, o entrevistado será o comendador Valclei Queiroz, do PMD. A segunda semana de sabatinas começa com Acir Gurgacz do PDT, na segunda-feira, dia 10. Nas terça, dia 11, será a vez de Expedito Júnior e na quarta, dia 12, o candidato a responder às perguntas será Maurão de Carvalho, do MDB. Os dois últimos: Pedro Nazareno, do PSTU, na quinta, dia 13 e Pimenta de Rondônia, na sexta, dia 14. Todos os candidatos serão entrevistados ao vivo e responderão às perguntas dos Dinossauros (Domingues Júnior, Everton Leoni, Beni Andrade, Jorge Peixoto e Sérgio Pires), participantes do programa Papo de Redação, o maior sucesso entre os programas locais de Rádio e TV e que estão no ar há quase oito anos. Portanto, começa amanhã a série imperdível de entrevistas com os nove candidatos ao Governo rondoniense. Agende aí!

SINDPETRO NÃO TEME NOVA GREVE

O presidente do Sindpetro de Rondônia, empresário Eduardo Valente, que lidera o sindicato dos revendedores de combustíveis do Estado, diz não acredita que haja risco de uma nova greve dos caminhoneiros, apesar de uma intensa boataria que surgiu nos últimos dias, nas redes sociais. Ele lembrou que tão logo começou a conversa sobre a possibilidade de nova paralisação, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) já anunciou que vai ajustar a tabela de preços mínimos de frete, por causa da alta recente de 13 por cento do diesel nas refinarias. Para Eduardo, não há motivo de preocupação para o porto velhense. Ele lembra que o combustível para abastecer Porto Velho chega aqui pelas balsas que vão e vêm pelo rio Madeira. A falta nos postos, na greve de maio (entre 21 e 30), foi porque os caminhoneiros bloquearam a saída do combustível das distribuidoras, localizadas no bairro da Balsa. O presidente do Sindpetro avisa que não acredita que haja risco de que se repita o drama da greve que atingiu todo o pais. E nos atingiu também. Vamos ver, enfim, se o bom senso impera ou se vamos para o caos, novamente.

SUCESSO NA FEIRA DOS 100 MILHÕES

Claro que aqui e ali houve ainda alguns pequenos problemas que precisarão ser corrigidos, como o chão batido, que se transformou em barro e que deixou parte do local inundado, depois de uma forte chuva na sexta-feira. Mas, no geral, a edição deste ano da Portoagro foi um grande sucesso. O agronegócio, que segundo o prefeito Hildon Chaves, “é a solução para Porto Velho”! teve um dos grandes momentos, com a realização do evento, na BR 364, perto da Emater. Grandes negócios foram realizados e provável que a meta de vendas de 100 milhões de reais tenha sido ultrapassada, até que muitos negociações feitas na feira comercial, somente serão efetivas nos próximos dias ou até nas próximas semanas. Os bancos colocaram a disposição dos produtores mais de 1 bilhão de reais para financiamentos de todos os tipos, com juros muito baixos. A Portoagro, em sua terceira edição, deu um salto de qualidade no contexto de um evento que se torna vital para o desenvolvimento do nosso setor produtivo. Que volte em 2019, melhor, mais organizada ainda e com uma infraestrutura ainda melhor. A Prefeitura garante que vai investir pesado para que isso ocorra.

A METÁFORA DA DESTRUIÇÃO DE UM PAÍS

“Não é apenas a história brasileira que está em chamas. Muitos veem isso como uma metáfora para a cidade e para o país como um todo. O Rio de Janeiro está em crise. A violência crescente, o profundo declínio da economia e a corrupção na política se combinaram para tornar a cidade uma sombra do que já foi um dia. Este foi um museu por muito tempo ignorado e subfinanciado, agora, com consequências devastadoras para o patrimônio histórico do Brasil”. Nessas poucas linhas, publicada pelo site inglês da BBC News e assinadas pela jornalista Katy Watson, provavelmente há o melhor resumo do que representou a destruição do Museu Nacional do Rio, por um incêndio devastador, na noite do domingo. Governantes irresponsáveis, no ano passado, repassaram apenas 54 mil reais para manutenção do Museu, enquanto autorizaram gastos de milhões de reais em investimentos “culturais”, para diversas porcarias, incluindo-se aí pelas teatrais de péssimo gosto e documentários, como o que contará a vida do chefe de quadrilha e presidiário José Dirceu. É esse o triste quadro: vivemos uma crise econômica, moral e social , agora simbolizada pela cinza de milhares de anos de anos de História da Humanidade e pelo menos cinco séculos da História brasileira. Pobre Brasil!

PERGUNTINHA

O que você achou da declaração do grande democrata Nicolás Maduro, presidente da Venezuela, uma ilha de prosperidade, criticando duramente a Justiça brasileira por ter impedido o presidiário Lula da Silva sair candidato à Presidência no Brasil?

Fonte:Sérgio Pires