Rondônia - 18 de novembro de 2018
Home / Notícias / Esportes / Corinthians / Zagueiro do Corinthians explica ‘ferrolho’ e aponta dois trunfos por evolução ofensiva

Zagueiro do Corinthians explica ‘ferrolho’ e aponta dois trunfos por evolução ofensiva

6.3 mil
visualizações

28 comentários


Comunicar erro

Léo Santos projetou Corinthians mais ofensivo para os próximos jogos

Léo Santos projetou Corinthians mais ofensivo para os próximos jogos

Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Muitos torcedores e jornalistas vêm nas últimas horas apontando a estratégia do Corinthians no empate de 0 a 0 contra o Flamengo como “ferrolho”, seja pejorativamente ou não. Fato é que há um motivo bem claro por trás do aparente excesso defensivo do Timão neste início de trabalho de Jair Ventura. E no que depender das declarações concedidas por Léo Santos nesta quinta-feira, há também um prazo de validade para a falta de ofensividade da equipe.

Ferrolho, de acordo com o Dicionário Priberam da Língua Portuguesa: Ferro corrediço com que se fecham portas, janelas, etc.

“Defensivamente nos comportamos muito bem, o professor Jair nos passou o que poderíamos fazer para neutralizar o ataque do Flamengo. Sobre ser tímido ofensivamente, o Jair não teve nem tempo para trabalhar do meio para frente. Fomos bem taticamente”, argumentou o zagueiro de 19 anos, eleito pela Fiel um dos melhores em campo.

Leia também: Léo Santos reconhece melhor atuação pelo Corinthians, mas joga ‘bomba’ para Jair Ventura

Questionado se a intenção do Corinthians era empatar no Maracanã, no jogo de ida das semifinais da Copa do Brasil, Léo Santos negou. Ainda assim, o zagueiro reconheceu que o fato de o Timão não acertar um chute a gol nem contra Palmeiras nem contra Flamengo, nas duas primeira partidas de Jair Ventura, é preocupante – mas dentro do esperado…

“Primeiro: nós fomos buscar a vitória. Mas foi uma questão tática, o Jair falou com a gente. Considero que o Corinthians jogou de uma maneira muito boa. Infelizmente não conseguimos a vitória, mas nos portamos bem defensivamente”, ressaltou.

“Isso (falta de chute a gol) realmente preocupa pelo tamanho e grandeza do Corinthians. Mas é como falei: não tem muito tempo que o Jair chegou, vamos ainda trabalhar essa parte aí da frente”, acrescentou, projetando “tempos melhores” para a Fiel.

E essa evolução ofensiva pela qual todos esperam, ao menos no entendimento de Léo Santos, deve passar por dois fatores nos próximos jogos:

  • o retorno do Corinthians à Arena (Jair Ventura estreará em Itaquera no próximo domingo, contra o Sport);
  • a semana livre para treinos entre os jogos contra Sport e Internacional (Jair Ventura enfim terá tempo para trabalhar alternativas com o elenco no CT Joaquim Grava).

“Na nossa casa a postura é diferente, com nossa torcida apoiando. Muda pra frente, jogamos com postura mais ofensiva, isso é normal”, afirmou o beque.

“Temos um jogo agora no Brasileiro e temos de focar nisso. Na outra semana temos semana livre, bom período para o professor trabalhar. Vamos focar nessa questão ofensiva”, completou.

Veja mais em:
Léo Santos, Copa do Brasil, Campeonato Brasileiro e Jair Ventura.