Rondônia - 20 de outubro de 2018
Home / Notícias / Política / Programa da Câmara de atendimento a adolescentes aprendizes completa 25 anos

Programa da Câmara de atendimento a adolescentes aprendizes completa 25 anos

Desde 1993, a Câmara dos Deputados mantém o Programa Pró-Adolescente, que oferece oportunidade de atuação profissional a adolescentes de baixa renda do Distrito Federal. Nesses 25 anos de existência, mais de cinco mil estudantes já atuaram na parte prática do Programa de Aprendizagem Profissional, além de frequentar o curso teórico de Auxiliar de Escritório Administrativo no Centro Salesiano do Menor, na cidade satélite de Ceilândia.


Ouça esta matéria na Rádio Câmara

Atualmente, 430 adolescentes colaboram com os diversos setores da Câmara. O programa beneficia alunos do ensino regular a partir do 8º ano, com idade de 14 a 15 anos e seis meses, e provenientes de famílias cuja renda familiar per capita seja igual ou inferior a meio salário mínimo, ou estejam em situação de risco ou de vulnerabilidade social.

Secretária-executiva do programa, a servidora Juliene Botelho informa que os participantes recebem um salário mínimo, vale-transporte, vale-alimentação, uniforme, orientação vocacional e atendimento psicológico, entre outros benefícios.

Reforço escolar
Além da prática de aprendizagem profissional, o Pró-Adolescente estimula o aprendizado dos jovens com aulas de reforço escolar dadas pelos servidores da Câmara.

A estudante Nailê dos Santos Silva, de 17 anos, que faz parte programa, elogia as aulas promovidas pelos voluntários: “Não é igual à escola, que só passa o conteúdo e você aprende. Os servidores trazem dinâmicas interessantes, que nos ajudam a entender melhor as matérias”.

A museóloga do Centro Cultural da Câmara Luciana Scanapieco atua como voluntária, dando aulas de reforço de história para os adolescentes. “Todo fim de semestre, fico feliz porque tenho o retorno dos alunos, que vêm me agradecer, pois as notas deles na escola melhoraram muito”, relata ela.

Coordenadora do plantão de apoio escolar, a Mariana Araújo pede que mais servidores se voluntariem para dar aulas aos adolescentes: “Nossa principal necessidade é na área de química”. Interessados em lecionar podem se inscrever pelo e-mail institucional do programa ([email protected]).

Atualmente, uma média de 160 adolescentes participam das aulas de reforço escolar por bimestre.