Rondônia - 15 de dezembro de 2018
Home / Notícias / Política / Capiberibe critica TRE do Amapá por prejudicar sua chapa a poucos dias da eleição

Capiberibe critica TRE do Amapá por prejudicar sua chapa a poucos dias da eleição

O senador João Capiberibe (PSB-AP), que disputa no segundo turno a eleição para governador, criticou nesta quarta-feira (10) o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Amapá por agir com “dois pesos e duas medidas”. Ele lamentou a decisão, já derrubada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de impugnar sua candidatura a governador, assim como a de sua mulher, Janete Capiberibe (PSB), que concorria ao Senado. Ambos lideravam as pesquisas. O TSE posteriormente confirmou sua candidatura, mas a confusão entre o eleitorado já estava estabelecida. Capiberibe foi ao segundo turno, mas Janete perdeu a eleição.

A confusão criada pelo TRE teria levado os eleitores a pensar que a chapa inteira estava fora da disputa, disse Capiberibe. Ele ressaltou que a decisão foi especialmente danosa à candidatura de Janete Capiberibe, que perdeu a disputa para o Senado por 3.300 votos.

— O eleitor não sabia se nós éramos candidatos. É muito comum encontrar as pessoas passando mensagem, declarando que não votaram nem em mim, nem em Janete, porque achavam que nós estávamos fora do pleito — lamentou Capiberibe.

A dois dias da eleição, ressaltou o senador, o TSE derrubou a decisão do TRE do Amapá, que considerava nulos os votos que fossem computados na chapa. O Tribunal Superior Eleitoral endossou apenas a decisão do TRE de excluir da eleição — e, portanto, de sua chapa — o PT, pela não prestação de contas dos gastos do Fundo Partidário. Na opinião do senador, que criticou os candidatos que tentam ganhar no “tapetão”, o TRE de seu estado usou “dois pesos e duas medidas” em relação a outros partidos, que segundo ele também não prestaram contas ao Fundo Partidário.

— O mais impressionante são os meus eleitores no Amapá: mesmo diante da insegurança total, 30% do eleitorado foi às urnas e sufragou o nosso nome e nós estamos no segundo turno. Mas os nossos adversários não querem a disputa pelo voto. Eles querem a disputa do tapetão. Eles insistem em me tirar do processo eleitoral. Gente, a democracia tem que respeitar a vontade do povo. A vontade do povo do Amapá já foi manifesta. Era para eu ter chegado, talvez, a ganhar até a eleição no primeiro turno: cheguei em segundo lugar com uma diferença bem pequena do primeiro. E, agora, nós estamos disputando a eleição do segundo turno, mas há toda uma articulação para tentar me tirar através de decisão judicial — declarou Capiberibe, que espera ainda a decisão da Justiça Eleitoral contra novo recurso apresentado por seus adversários no Amapá.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)